PSICOLOGIA: ANÁLISE BIBLIOGRÁFICA DA SÍNDROME DE BURNOUT NO CONTEXTO DA PANDEMIA DA COVID-19

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Adriano Jorge dos Santos Rocha
Francisleile Lima Nascimento

Resumo

O presente artigo aborda o âmbito do campo psicológico, com a temática da análise da síndrome de Burnout no contexto da pandemia do novo coronavírus, com os profissionais da área de psicologia. Conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), a síndrome de Burnout consiste no estresse crônico mal administrado, oriundo das altas cargas horárias de trabalho e jornada dupla que exigem altos níveis de responsabilidades do profissional. Partindo dessa ótica, o artigo tem como objetivo analisar se a pandemia da COVID-19 contribuiu nos níveis de intensificação do aparecimento da síndrome de Burnout entre os profissionais da área de psicologia. Nesse sentido, o artigo reflete e propõe uma releitura sobre os conceitos e definições da patologia, fazendo uma contextualização da pandemia da COVID-19, apresentando assim os sintomas, causas, diagnóstico e tratamentos, bem como os profissionais mais afetados. A metodologia da pesquisa parte de uma revisão de literatura, denominada de pesquisa bibliográfica de cunho exploratório e descritivo sob a ótica da pesquisa qualitativa e análise de conteúdo. Como resultado esperado, o artigo apresenta uma discussão atualizada sobre o tema no contexto da pandemia, mostrando que as doenças do século se intensificaram com a COVID-19 afetando a vida dos profissionais da saúde, em especial os Psicólogos, que no decorrer da pandemia por estarem na linha de frente, tiveram suas cargas horárias de trabalho ampliadas e passaram a viver a cada dia com uma sobrecarga psicológica maior, intensificada pelos picos da COVID-19 que tem vitimado milhões de pessoas.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
ROCHA, A. J. dos S. .; NASCIMENTO, F. L. . PSICOLOGIA: ANÁLISE BIBLIOGRÁFICA DA SÍNDROME DE BURNOUT NO CONTEXTO DA PANDEMIA DA COVID-19. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 7, n. 21, p. 72–85, 2021. DOI: 10.5281/zenodo.5519960. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/473. Acesso em: 9 dez. 2021.
Seção
Artigos

Referências

ABREU, K. L. et al. “Estresse ocupacional e Síndrome de Burnout no exercício profissional da psicologia”. Psicologia: Ciência e Profissão, vol. 22, n. 2, 2002.

AGRELA, L. “Indivíduo infectado por coronavírus pode contaminar até cinco pessoas”. Revista Exame [20/03/2020]. Disponível em: <https://exame.abril.com.br>. Acesso em: 16/04/2021.

ARAÚJO, C. G. A saúde mental está doente! A Síndrome de Burnout em psicólogos que trabalham em Unidades Básicas de Saúde (Dissertação de Mestrado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano). São Paulo: USP, 2008.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Editora Edições 70, 2011.

BRASIL. Ministério Saúde. Manejo de corpos no contexto do novo coronavírus COVID-19. Brasília: Ministério Saúde, 2020. Disponível em: <https://www.saude.gov.br>. Acesso em: 16/04/2021.

FARIAS, C. “Como é feito o tratamento para síndrome de Burnout”. Portal Eletrônico Tua Saúde [11/01/2020]. Disponível em: <https://www.tuasaude.com>. Acesso em: 16/04/2021.

FIORATTI, C. “Sim, o coronavírus veio da natureza – e não de um laboratório”. Revista Super Interessante [20/03/2020]. Disponível em: <https://super.abril.com.br>. Acesso em: 16/04/2021.

FIRMIDA, M. “Coronavírus: Que vírus é este?”. Portal Eletrônico SOPTERJ [2020]. Disponível em: <http://www.sopterj.com.br>. Acesso em: 16/04/2021.

GAZETA DO POVO. “Números do Coronavírus: Entenda o avanço da COVID-19 no Brasil e no mundo”. Gazeta do Povo [2021]. Disponível em: . Acesso em: 16/04/2021.

GIL, A. C. Metodologia do ensino superior. São Paulo: Editora Atlas, 2008.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Editora Atlas, 2011.

KESTENBERG, K. V. “Síndrome de Burnout: o que é, os sintomas e o tratamento”. Psicologia Viva [06/07/2018]. Disponível em: <https://blog.psicologiaviva.com.br>. Acesso em: 16/04/2021.

LIMA, F. B. Stress, qualidade de vida, prazer e sofrimento no trabalho de Call Center (Dissertação de Mestrado em Psicologia). Campinas: Pontifícia Universidade Católica de Campinas, 2004.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Editora Atlas, 2006.

MENEZES, P. C. M. et al. “Síndrome de Burnout: uma análise reflexiva”. Revista de Enfermagem UFPE on line, vol. 11, n. 12, 2017.

MOREIRA, H.; CALEFFE, L. Metodologia da pesquisa para o professor pesquisador. Rio de Janeiro: Editora DP&A, 2006.

MOTA, R. “Síndrome de Burnout: oito profissões estão no grupo de risco”. Portal Eletrônico Em Tempo [19/03/2019]. Disponível em: <https://d.emtempo.com.br>. Acesso em: 16/04/2021.

NEVES, U. “Síndrome de Burnout entra na lista de doenças da OMS”. Portal Eletrônico PEBMED [2019]. Disponível em: <https://pebmed.com.br>. Acesso em: 16/04/2021.

RAMOS, P.; RAMOS, M. M.; BUSNELLO, S. J. Manual prático de metodologia da pesquisa: artigo, resenha, projeto, TCC, monografia, dissertação e tese. Porto Alegre: Editora Amgh Editora Ltda, 2011.

SALLES, X. “Síndrome de Burnout: 12 estágios (ou sintomas) do esgotamento profissional”. Viva Bem [27/06/2018]. Disponível em: <https://www.uol.com.br>. Acesso em: 16/04/2021.

SENHORAS, E. M. “O campo de poder das vacinas na pandemia da Covid-19”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 6, n. 18, 2021.

SILVA, J. L. L. Aspectos psicossociais e Síndrome de Burnout entre trabalhadores de enfermagem intensivistas (Tese de Doutorado em Saúde Pública). Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2015.

SKODOL, A. “Visão geral dos transtornos de personalidade”. Manual MSD [2018]. Disponível em: <https://www.msdmanuals.com/pt-br>. Acesso em: 16/04/2021.

TRIGO, T. R.; TENG, C. T.; HALLAK, J. E. C. “Síndrome de burnout ou estafa profissional e os transtornos psiquiátricos”. Archives of Clinical Psychiatry, vol. 34, n. 5, 2007.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>