PRODUÇÃO MAIS LIMPA, LOGÍSTICA REVERSA E CONSÓRCIOS PÚBLICOS INTERMUNICIPAIS NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM RORAIMA

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Francisleile Lima Nascimento
Elói Martins Senhoras

Resumo

Os resíduos sólidos são materiais descartados oriundos das atividades humanas no meio social, cuja, o destino final se procede, nos estados líquidos, sólidos ou semissólidos, e gasosos, o que torna inviável o seu lançamento nos esgotos ou em corpos d'água, por gerar diversos problemas de caráter socioambiental, exigindo assim de toda sociedade medidas técnicas e econômicas no seu gerenciamento. Nessa perspectiva, surge a Produção Limpa ou Produção mais Limpa (P+L) compreendida como uma ferramenta da gestão ambiental com características econômicas e tecnológicas que preveem o aceleramento da produção visando à redução de custos e a minimização dos resíduos. Nesse sentido, o presente artigo tem por objetivo refletir sobre o gerenciamento dos resíduos sólidos, bem como a necessidade da utilização racional desse recurso no setor industrial de Roraima. A metodologia parte de uma revisão de literatura de caráter descritivo, fazendo uso do método exploratório e analítico. A análise dos resultados é norteada pela da análise de conteúdo. Logo, os resultados evidenciam que por meio da produção limpa, logística reversa e aplicação dos consórcios é possível gerenciar os resíduos sólidos de forma que o mesmo sirva de insumo para o setor industrial. Conclui-se que os consórcios de gerenciamento dos resíduos sólidos por parte do setor industrial promovem estratégias de encadeamento a montante e encadeamento a jusante através de uma política dupla ganhadora, gerando novos produtos e processos, beneficiando a economia e o meio ambiente.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
NASCIMENTO, F. L. .; SENHORAS, E. M. . PRODUÇÃO MAIS LIMPA, LOGÍSTICA REVERSA E CONSÓRCIOS PÚBLICOS INTERMUNICIPAIS NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM RORAIMA. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 1, n. Especial, p. 32–40, 2019. DOI: 10.5281/zenodo.3751813. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/194. Acesso em: 9 dez. 2021.
Seção
Artigos

Referências

AZEVEDO, G.; CARVALHO, H. F.; SILVA, J. F. “A teoria dos jogos na estratégia de negócios: uma contribuição relevante”. Texto para Discussão da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, vol. 1, n. 1, p. 1-29, 2011.

BARBIERI, J. C. Gestão Ambiental Empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. São Paulo: Saraiva, 2007.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Planalto, 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 21/01/2020.

BRASIL. Lei Federal de 02 de agosto, 2010. Brasília: Planalto, 2010. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 21/01/2020.

BRASIL. Lei n. 9.605, de 12 de fevereiro, 1998. Brasília: Planalto, 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 21/01/2020.

BRASIL. Resolução CONAMA, n. 404, de 11 de novembro, 2008. Brasília: MMA, 2008. Disponível em . Acesso em: 21/01/2020.

FARIAS, A. D.; MEDEIROS, H. R. D.; FREITAS, L. S. “Contribuições da P + L para a gestão de resíduos sólidos das atividades produtivas da construção civil”. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, vol. 4, n. 1, p. 2015.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Editora Atlas, 2008.

RIKILS, V. S. S.; SENHORAS, E. M.; BARELLA, L. A.; SANTANA, E. R. R. de. “Resíduos sólidos na Amazônia: um estudo de caso na Região Metropolitana do Sul do Estado de Roraima”. Revista Espacios, vol. 37, n. 19, 2016.

WERNER, E. M. et al. “Produção mais limpa: conceitos e definições metodológicas”. Anais do Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia - SEGeT 2009. Resende: AEDB, 2009.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>