A CPI DA COVID-19: UMA ANÁLISE BIOÉTICA SOBRE O QUE FOI DESVELADO DA GESTÃO DA PANDEMIA NO BRASIL

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Lavínia Mabel Viana Lopes
Raquel Ferreira Dantas
Hellen Pereira Cardoso
Maria Clara Fernandes Barbalho
Karla Patrícia Cardoso Amorim

Resumo

A CPI da Covid-19 apurou informações acerca de como o Estado brasileiro tratou a coisa pública durante a calamidade originada pela pandemia. Assim, esse artigo objetiva discutir, baseado nos principais achados da CPI da Covid-19, a postura (ações e omissões) do governo federal brasileiro e suas consequências na gestão da pandemia, a luz da perspectiva teórica da Bioética de Intervenção (BI). Realizou-se uma pesquisa documental e analítica, de abordagem qualitativa, que teve o Relatório Final da CPI da Covid-19 como principal fonte de dados. Foi realizado um fluxograma que permitiu filtrar as informações que seriam lidas na íntegra do relatório, buscando-se os aspectos referentes aos tópicos vacinação, negacionismo e populações vulneráveis. Da Análise de Conteúdo Temática do material, são apresentadas três categorias: (1) a anatomia do discurso negacionista durante a pandemia da Covid-19: a defesa pela autonomia e liberdade individuais, onde os resultados apontam para o discurso negacionista assumido durante a pandemia, com ampla defesa pela imunidade de rebanho, tratamento precoce, divulgação articulada de desinformação sobre a doença e oposição às medidas não farmacológicas; (2) a questão das vacinas na pandemia da Covid-19: apontando que o atraso na aquisição e início da vacinação implicaram em um cenário crítico e de colapso do sistema de saúde; e (3) vulnerabilidade e a Covid-19: o estado do Amazonas e o caso da Prevent Sênior: discutindo acerca da omissão do governo federal no cuidado aos mais vulneráveis, praticando crime contra a humanidade e de prevaricação, segundo a CPI. Para além dos 4 pês que compõem o arcabouço teórico da BI (precaução, prudência, prevenção e proteção), outros parâmetros bioéticos como a responsabilidade, vulnerabilidade, corporeidade, justiça, equidade e a solidariedade foram negligenciados na luta contra o coronavírus. O cenário brasileiro expôs a omissão do governo federal e incoerências éticas em diferentes cenários.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
LOPES, L. M. V.; DANTAS, R. F. .; PEREIRA CARDOSO, H.; BARBALHO, M. C. F.; AMORIM, K. P. C. A CPI DA COVID-19: UMA ANÁLISE BIOÉTICA SOBRE O QUE FOI DESVELADO DA GESTÃO DA PANDEMIA NO BRASIL. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 16, n. 47, p. 73–102, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.10125978. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/2565. Acesso em: 26 fev. 2024.
Seção
Artigos

Referências

AMORIM, K.; GARRAFA, V. “An hard ethical analysis of deaths resulting from Covid-19 in Brazil”. Revista Redbioética, vol. 11, n. 2, 2020.

ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Eventos adversos aos medicamentos utilizados durante a pandemia de Covid-19: dados de revisões sistemáticas. Brasília: ANVISA, 2021. Disponível em: . Acesso em: 07/08/2023.

ARRUDA, R. L. “O negacionismo como artefato da pós-verdade: Bolsonaro, a pandemia e a educação”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 5, n. 15, 2021.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Editora Edições 70, 2011.

BBC. “CPI da Covid: quem é quem no escândalo Covaxin”. BBC [2021]. Disponível em: . Acesso em: 07/08/2023.

BRAMSTEDT, K. A. “Unicorn Poo and Blessed Waters: COVID-19 Quackery and FDA Warning Letters”. Therapeutic Innovation and Regulatory Science, vol. 55, 2021.

BRASIL. CNS pede que Ministério da Saúde retire publicações sobre tratamento precoce para Covid-19. Brasília: Conselho Nacional de Saúde, 2021b. Disponível em: . Acesso em: 13/08/2023.

BRASIL. Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia: Relatório Final. Brasília: Senado Federal, 2021a. Disponível em: . Acesso em: 10/03/2023.

BRASIL. Painel Covid-19 no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde, 2023. Disponível em: . Acesso em: 03/10/2023.

BRASIL. Pronunciamentos em cadeia de rádio e televisão do Presidente da República Jair Bolsonaro. Brasília: Presidência da República, 2020a. Disponível em: . Acesso em: 15/03/2023.

BRASIL. Pronunciamentos em cadeia de rádio e televisão do Presidente da República Jair Bolsonaro. Brasília: Presidência da República, 2020b. Disponível em: . Acesso em: 15/03/2023.

CAPONI, S. “Covid-19 no Brasil: entre o negacionismo e a razão neoliberal”. Estudos Avançados, vol. 34, n. 99, 2020.

CARLUCCI, M. “Pela primeira vez, Brasil não registra nenhuma morte por Covid nas últimas 24 horas”. CNN Brasil [2023]. Disponível em: . Acesso em: 09/08/2023.

FEITOSA, S. F.; NASCIMENTO, W. F. “A bioética de intervenção no conexto do pensamento latino-americano contemporâneo”. Revista Bioética, vol. 23, n. 2, 2015.

FERRARI, I. W. et al. “‘Tratamento precoce’, antivacinação e negacionismo: quem são os Médicos pela Vida no contexto da pandemia de Covid-19 no Brasil?” Ciência e Saúde Coletiva, vol. 27, n. 11, 2022.

FIOCRUZ - Fundação Oswaldo Cruz. Boletim Observatório Covid-19: Boletim Especial - balanço de dois anos da pandemia Covid-19. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2022.

FLEURY, S.; FAVA, V. M. D. “Vacina contra Covid-19: arena da disputa federativa brasileira”. Saúde em Debate, vol. 46, n. 1, 2022.

GARRAFA, V. “Da bioética de princípios a uma bioética interventiva”. Bioética, vol. 13, n. 1, 2005.

GARRAFA, V. Bioética de Intervención, dura sin perder la ternura - crítica, anti-hegemónica y militante. Ciudad de la Habana: Acuario, 2023.

GARRAFA, V. et al. “Bioética e Vigilância Sanitária”. Revista de Direito Sanitário, vol. 18, n. 1, 2017.

GARRAFA, V.; CRUZ, E. “Bioética de intervención - una agenda latino-americana de re-territorialización epistemológica para la bioética”. In: UNESCO. Manual de educación em bioética - fundamentar la bioética: conocimientos, valores y visiones desde América Latina y el Caribe. Cuidad de México: UAM, 2022.

GARRAFA, V.; PORTO, D. “Bioética, poder e injustiça: por uma ética de intervenção”. In: GARRAFA, V.; PESSINI, L. Bioética: poder e injustiça. São Paulo: Editora Loyola, 2003.

GARRAFA, V.; SOARES, S. P. “O princípio da solidariedade e cooperação na perspectiva bioética”. Revista Bioethikos, vol. 7, n. 3, 2013.

GASPAR, M. “O sabotador: como Bolsonaro agiu, nos bastidores e em público, para boicotar a vacina”. Revista Piauí [2021]. Disponível em: . Acesso em: 08/08/2023.

GONZÁLEZ-BUSTAMANTE, B. “Evolution and early government responses to COVID-19 in South America”. World Development, vol. 137, 2021.

HOLM, S. “Not just autonomy – the principles of American biomedical ethics”. Journal of Medical Ethics, vol. 21, 1995.

JONAS, H. O princípio da responsabilidade: ensaio de uma ética para a civilização tecnológica. Rio de Janeiro: Editora PUC-Rio, 2006.

JUCÁ, B. “Escândalo da Prevent Sênior ganha rosto com depoimentos de médico e paciente à CPI da Pandemia”. El país [2021]. Disponível em: . Acesso em: 09/08/2023.

KOTTOW, M. “Bioética de Proteção: considerações sobre o contexto latino-americano”. In: SCHRAMM, F. R. et al. (orgs.). Bioética: riscos e proteção. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 2005.

LAVOR, A. “Amazônia sem respirar: falta de oxigênio causa mortes e revela colapso em Manaus”. Radis [2021]. Disponível em: . Acesso em: 09/08/2023.

MACÊDO JÚNIOR, A. M. et al. “O discurso negacionista no desgoverno Bolsonaro como “influenciador” da mortalidade pela Covid-19: um paralelo entre a biopolítica e a necropolítica”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 15, n. 45, 2023.

MARQUES, R.; RAIMUNDO, J. A. “O negacionismo científico refletido na pandemia da Covid-19”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 7, n. 20, 2021.

MITHANI, Z.; COOPER, J.; BOYD, J. W. “Race, power and Covid-19: a call for advocacy within Bioethics”. The American Journal of Bioethics, vol. 21, n. 2, 2021.

MOTA, E.; TEIXEIRA, M. G. “Vigilância Epidemiológica e a pandemia da Covid-19 no Brasil: elementos para entender a resposta brasileira e a explosão de casos e mortes”. Saúde em Debate, vol. 44, n. 4, 2020.

NASCIMENTO, W. F.; GARRAFA, V. “Nuevos diálogos desafiadores desde el sur: colonialidad y Bioética de Intervención”. Revista Colombiana de Bioética, vol. 5, n. 2, 2010.

NEVES, M. C. P. “Sentidos da Vulnerabilidade: característica, condição, princípio”. In: BARCHIFONTAINE, C. P.; ZOBOLO, E. L. C. P. (orgs.). Bioética, vulnerabilidade e saúde. Aparecida: Editora Ideias e Letras, 2007.

OGBOGU, U.; HARDCASTLE, L. “Bioethics and practical justice in the post-COVID-19 era”. Developing World Bioeth, vol. 21, 2021.

OLIVEIRA, R. A. et al. “Síndrome Respiratória Aguda Grave por COVID-19: perfil clínico-epidemiológico e distribuição espacial dos óbitos nas Unidades Federativas do Brasil”. O Mundo da Saúde, vol. 24, 2022.

OUR WORLD IN DATA. Coronavirus (COVID-19) Vaccinations. Oxford: University of Oxford, 2023. Disponível em: . Acesso em: 07/08/2023.

PORTO, D. “Bioética de intervenção nos tempos da Covid-19”. In: ALBUQUERQUE, A. et al. Bioética e Covid-19. Indaiatuba: Editora Foco, 2021.

PRAZERES, L. “Ministério da Saúde citou Prevent Senior em recomendação de kit covid”. BBC News Brasil [2021]. Disponível em: . Acesso em: 07/08/2023.

REGO, S. et al. “Bioética e Covid-19: vulnerabilidades e saúde pública”. In: MATTA, G. C. et al. Os impactos sociais da Covid-19 no Brasil: populações vulnerabilizadas e respostas à pandemia. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2021.

SANTOS-PINTO, C. D. B.; MIRANDA, E. S.; OSORIO-DE-CASTRO, C. G. S. “O ‘kit-covid’ e o Programa Farmácia Popular do Brasil. Caderno de Saúde Pública, vol. 37, n. 2, 2021.

SCHIMIDT, S. “Morrer sem oxigênio em Manaus, a tragédia que escancara a negligência política na pandemia”. El país [2021]. Disponível em: . Acesso em: 07/08/2023.

SCHULENK, U.; SAVULESCUM J. “The COVID-19 pandemic and what bioethics can and should contribute to health policy development”. Bioethics, vol. 25, 2021.

SELLI, L.; GARRAFA, V. “Bioética, solidariedade crítica e voluntariado orgânico”. Revista Saúde Pública, vol. 29, n. 3, 2005.

TORRES, T. J. F.; SOUSA JÚNIOR, A. R.; BRAZIL, V. T. F. “As características e os impactos da narrativa de Jair Messias Bolsonaro”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 5, n. 15, 2021.

UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Declaração Universal sobre Bioética e Direitos Humanos. Genebra: UNESCO, 2005.

WHO – World Health Organization. WHO Director-General’s opening remarks at the media briefing on COVID-19, 2020. Disponível em: . Acesso em: 07/08/2023.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)