DEBATES PSICANALÍTICOS EM TORNO DAS JUVENTUDES CONTEMPORÂNEAS

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Victor Hugo Nedel Oliveira

Resumo

O campo de estudos e pesquisas sobre as juventudes contemporâneas constitui-se de terreno amplo, diverso, plural e no qual múltiplos temas e associações conceituais podem ser investigados. Um desses temas diz respeito ao entendimento de como a psicanálise vêm compreendendo tais sujeitos, a partir, em especial, das relações sociais dos mesmos, da produção cultural e dos processos de juvenilização. O principal objetivo do presente texto é realizar levantamento bibliográfico acerca das produções científicas mais recentes, sobre o tema das juventudes, no âmbito das discussões psicanalíticas. Para isso, foi realizada investigação bibliográfica, através da plataforma Google Acadêmico, que buscou identificar as publicações com os descritores “juventudes” e “psicanálise”, entre os anos 2001 e 2020. Os cuidados éticos de regulação na pesquisa em ciências humanas foram seguidos, a partir da dispensa de análise pelo Comitê de Ética em Pesquisa, por se tratar de investigação bibliográfica. Como resultados, foi possível verificar a ocorrência de cinco textos, sendo dois artigos, dois capítulos de livro e um texto constituído por artigo de opinião, publicado em livro e jornais de ampla circulação. O conjunto dos materiais analisados permite constatar a relevância que a cultura e a produção de relações sociais ganham nos debates psicanalíticos sobre as juventudes contemporâneas. É possível considerar, portanto, que produções sobre os dois campos objetos da presente análise, ainda que em número baixo, aponta para o entendimento dos jovens como sujeitos cultural e socialmente vinculados, bem como destaca os processos de juvenilização da cultura, amplamente vivenciados na sociedade contemporânea.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
OLIVEIRA, V. H. N. . DEBATES PSICANALÍTICOS EM TORNO DAS JUVENTUDES CONTEMPORÂNEAS. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 6, n. 18, p. 53–61, 2021. DOI: 10.5281/zenodo.4948343. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/357. Acesso em: 9 dez. 2021.
Seção
Ensaios
Biografia do Autor

Victor Hugo Nedel Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Doutor em Educação e Pós-Doutorando em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Licenciado em Geografia e Mestre em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professor e Pesquisador do Departamento de Humanidades da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). E-mail para contato: victor.juventudes@gmail.com ORCID iD: http://orcid.org/0000-0001-5624-8476 Lattes: http://lattes.cnpq.br/7489113176882485

Referências

ABRAMO, H. W. “Considerações sobre a tematização social da juventude no Brasil”. Revista Brasileira de Educação, vol. 5, n. 1, 1997.

ALYRIO, R. D. Métodos e técnicas de pesquisa em administração. Rio de Janeiro: Fundação CECIERJ, 2009.

ASSIS, M. F. P. “Figurações da adolescência e juventude na atualidade metáforas da cultura”. Cadernos de Psicanálise, vol. 40, n. 38, 2018.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Lei n. 12.852, de 5 de agosto de 2013. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 19/04/2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br>. Acesso em: 20/04/2021.

FEIXA, C. De jovenes, bandas y tribus. Barcelona: Ariel, 1998.

KEHL, M. R. “A juventude como sintoma da cultura”. In: NOVAES, R.; VANNUCHI, P. (Orgs.), Juventude e Sociedade: Trabalho, Educação, Cultura e Participação. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004.

OLIVEIRA, A. S. P.; REIS, A. L. B.; TOROSSIAN, S. D. “No meio do caminho tinha uma pedra: torções entre psicanálise, educação não proibicionista e juventudes.” In: MOREIRA, J. O. (org.). Juventudes e contemporaneidade: reflexões e intervenções. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2020.

OLIVEIRA, V. H. N. “Juventudes, escola e cidade na pandemia da COVID-19.” Boletim da Conjuntura, v. 4, n. 10, abril, 2020.

PAIS, J. M.; LACERDA, M. P. C.; OLIVEIRA, V. H. N. “Juventudes contemporâneas, cotidiano e inquietações de pesquisadores em Educação - uma entrevista com José Machado Pais”. Educar em Revista, n. 64, dezembro, 2017.

ROSA, M. D.; GURSKI, R.; POLI, M. C. “Psicanálise e política: debates sobre a adolescência contemporânea.” Revista Psicologia Política, vol. 10, n. 19, 2010.

SCHWERTNER, S. F.; FISCHER, R. M. B. “Juventudes, conectividades múltiplas e novas temporalidades.” Educação em Revista, vol. 28, n. 1, 2012.

SILVA, G. D.; CASTILHO, P. T. “A conversação em psicanálise articulada com o cinema: uma intervenção com jovens da Educação de Jovens e Adultos (EJA) em uma escola pública na periferia de Belo Horizonte.” In: MOREIRA, J. O. (org.). Juventudes e contemporaneidade: reflexões e intervenções. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2020.

VILLAMARÍN, A. J. G. Citações da Cultura Universal. Rio de Janeiro: Editora AGE Ltda, 2002.