CATALISADORES DO CRESCIMENTO: DESVENDANDO O AUMENTO DAS MATRÍCULAS NA EDUCAÇÃO A DISTÃNCIA

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Taciane da Cunha Rocha
Luiz Alberto Pilatti
Nilcéia Aparecida Maciel Pinheiro

Resumo

O presente estudo tem como objetivo identificar na literatura fatores que impulsionaram o aumento das matrículas em cursos de Educação a Distância (EaD). A metodologia adotada foi a Revisão Sistemática por meio do Methodi Ordinatio no período temporal de 2017 a 2023. As buscas foram conduzidas em agosto de 2023 nas bases: Web of Science, Scopus e Scielo, com os descritores "distance learning" AND "higher education" AND ("Growth" OR "Widening" OR "Expansion"). Listaram-se inicialmente um total bruto de 71 artigos (Scielo, n=11; Scopus, n=29; Web of Science, n=31). Desses, foram selecionados 18 artigos para compor o corpus documental. Cada artigo foi avaliado quanto à sua relevância, qualidade metodológica e contribuição para o tema. Utilizamos critérios rigorosos de inclusão e exclusão, focando em estudos que apresentavam análises empíricas claras sobre o crescimento da EaD. Os dados dos artigos selecionados foram sintetizados para identificar padrões e tendências comuns, permitindo uma compreensão mais aprofundada dos fatores que impulsionam o aumento das matrículas em EaD. Os resultados do estudo indicam que o aumento nas matrículas de cursos de EaD é influenciado principalmente por quatro fatores: 1) Acesso facilitado ao ensino superior, disponível em diversos locais; 2) Flexibilidade para conciliar trabalho e estudos, otimizando o tempo dos alunos; 3) Custos mais baixos dos cursos, tornando a educação superior mais acessível; 4) Políticas públicas de incentivo à EaD. Esses fatores contribuem para a crescente popularidade e consolidação da EaD como uma modalidade educacional em expansão. Conclui-se, portanto, que a EaD representa uma forte tendência de ensino, com expectativa de crescimento e consolidação contínuos, adaptando-se às necessidades de uma população cada vez mais conectada e em busca de flexibilidade e acessibilidade educacional..

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
ROCHA, T. da C.; PILATTI, L. A. .; PINHEIRO, N. A. M. CATALISADORES DO CRESCIMENTO: DESVENDANDO O AUMENTO DAS MATRÍCULAS NA EDUCAÇÃO A DISTÃNCIA. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 17, n. 49, p. 529–543, 2024. DOI: 10.5281/zenodo.10613202. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/3189. Acesso em: 26 fev. 2024.
Seção
Artigos

Referências

ABRANTES, P. et al. “Percursos Profissionais e de Vida dos Licenciados da UAB”. MDPI-Open Access Journal, vol. 12, n. 65, 2021.

ANGELI, A. C.; SANTOS PEREIRA, R. “Formação de professores sobre Recursos Educacionais Abertos: engajamento na Educação a Distância”. Educação em Foco, vol. 26, n. 49, 2023.

BIMBATI, A. P. “Ministro da Educação diz que não dá para formar bom professor a distância”. UOL [2023]. Disponível em: Acesso em: 19/11/2023.

BOLD, M.; CHENOWETH, L.; GARIMELLA, N. K. “Brics and clicks: emerging e-learning markets and their implications”. Journal of Asynchronous Learning Networks, vol. 12, n.1, 2019.

BORDOLOI, R. “Transforming and empowering higher education through open and distance learning in India”. Asian Association of Open Universities Journal, vol. 13, n.1, 2018.

BRASIL. Decreto n. 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Brasília: Senado Federal, 2005. Disponível em: . Acesso em: 16/10/2023.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília: Planalto, 1996. Disponível em: . Acesso em: 16/10/2023.

BRASIL. Plano Nacional de Educação. Brasília: Inep, 2014. Disponível em: . Acesso em: 16/10/2023.

BRUSCATO, A; M. BAPTISTA. J. “Modalidades de ensino nas universidades brasileiras e portuguesas: um estudo de caso sobre a percepção de alunos e professores em tempos de covid-19”. Revista Brasileira de Educação, vol. 26, 2020.

CARVALHAES, F. L.; MEDEIROS, M.; TAGLIARI, C. “Expansão e diversificação do ensino superior: privatização, educação a distância e concentração de mercado no Brasil, 2002-2016”. Social Science Research Network, vol. 36, n. 3, 2021.

CARVALHO, F. S. et al. “Information and Communication Technology in Brazilian Public Schools: A Sustainable Legacy of the Pandemic?” Sustainability, vol. 15, 6462, 2023.

CWIERTNIAK, R. et al. “Addressing students' perceived value with the virtual university concept”. E-mentor, vol. 94, n. 2, 2022.

KUMADA, K. M. O.; PRIETO, R. G. “Desdobramentos da política de educação superior para formação do docente de libras”. Cadernos de Pesquisa, vol. 49, n. 173, 2019.

LEE, K.; CHOI, H.; CHO, Y. H. “Becoming a competent self: A developmental process of adult distance learning”. The Internet and Higher Education, vol. 41, 2019.

LEITÃO, H. V. et al. “A educação a distância e a experiência de um centro universitário”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 16, n. 46, 2023.

MEDVID, O. M.; LEBID, A. E.; SHEVCHENKO, N. A. “Development prospects of distance and online education in the higher education system of Ukraine”. European Journal of Contemporary Education, vol. 10, n. 3. 2021.

MELLO, S. L. M. et al. “Educação superior a distância no Brasil: inclusão, equidade e qualidade”. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, vol. 31, n. 118, 2023.

MIRANDA, R.; GARCIA CARPINTERO, E. “Comparison of the share of documents and citations from different quartile journals in 25 research areas”. Scientometrics, vol. 121, 2019.

MORAES FILHO, I. M. et al. “EAD implementation process in the brazilian context: a look through pedagogy”. Research, Society and Development, vol. 11, n. 4, 2022.

OLIVEIRA, T. E.; PICONEZ. B. C. S. “Avaliação da educação superior nas modalidades presencial e a distância: análises com base no conceito preliminar de cursos (CPC)”. Avaliação, vol. 22, n. 3, 2017.

ONU – Organização das Nações Unidas. “Agenda 2030”. ONU [2015]. Disponível em: . Acesso em: 19/11/2023.

OROFINO, P. S. et al. “Factors that enhance the participation and communication of higher education students in distance learning”. Revista Latinoamericana de Tecnologia Educativa, vol. 21, n. 1, 2022.

PAGANI, R. N. et al. “Methodi Ordinatio 2.0: revisited under statistical estimation, and presenting FInder and RankIn”. Quality and Quantity, vol. 57, n. 5, 2022.

PAGANI, R. N.; KOVALESKI, J. L.; RESENDE, L. M. M. “Methodi Ordinatio: A proposed methodology to select and rank relevant scientific papers encompassing the impact factor, number of citation, and year of publication”. Scientometrics, vol. 105. 2015.

PAGE, M. J. et al. “The PRISMA 2020 statement: an updated guideline for reporting systematic reviews”. BMJ, vol. 372, n. 71, 2021.

PAVLOU, V. “Drawing from pedagogy to policy: reimagining new possibilities for online art learning for generalist elementary teachers”. Arts Education Policy Review, vol. 123, 2022.

SIBANDE, B.; MOROLONG, B. L. “A trend analysis of opportunities and challenges of open and distance learning provision in dual-mode institutions”. Distance Education, vol. 39, n. 4, 2018.

SILVA, R.T.; GAWRYSZEWSKI, B. “Modalidad de educación a distancia en Brasil”. Educação Temática Digital, vol. 21, 2019.

TENNAKOON, H. et al. “Drivers and Barriers of Social Sustainable Development and Growth of Online Higher Education: The Roles of Perceived Ease of Use and Perceived Usefulness”. MDPI -Open Access Journal, vol. 15, n. 8319, 2023.

TIWARI, P. S. et al. “Distance Learning Experience During Covid-19 Period in Higher Education for Space Application”. Journal of the Indian Society of Remote Sensing, vol. 49, n. 10, 2021.

WOLVERTON, C. C.; HOLLIER, B. N. G.; LANIER, P. A. “The impact of computer self efficacy on student engagement and group satisfaction in online business courses”. Electronic Journal of e-Learning, vol. 18, n. 2, 2020.

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)