A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E A EXPERIÊNCIA DE UM CENTRO UNIVERSITÁRIO

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Hamilton Vale Leitão
Francisco Ricardo Miranda Pinto
Stela Lopes Soares
Maria Esther Martínez Quinteiro

Resumo

A oferta de Educação a Distância no Brasil é considerada como uma política pública para mitigar as dificuldades de acesso ao Ensino Superior. O objetivo foi descrever, a partir do ponto de vista de coordenadores de polo da Educação a Distância de um Centro Universitário, as contribuições desta IES para mitigar deságios no acesso e permanência no Ensino Superior. Este estudo se classifica como qualitativo, descritivo-exploratório, realizada com 05 (cinco) coordenadores de polos credenciados. A coleta de dados foi realizado com a aplicação de questionário com o intuito de traçar o perfil dos participantes e apreender suas concepções sobre educação a distância, direitos humanos e acessibilidade através de ferramentas de comunicação com os coordenadores dos respectivos polos. Os dados foram analisados utilizando os pressupostos teórico-metodológicos da Análise de Conteúdo de Bardin. Os participantes são todos do sexo biológico masculino, possuem idade entre 36 e 45 anos, detêm conhecimentos sobre direitos humanos, criticam o senso comum na banalização do termo na sociedade e atribuem a Educação a Distância como uma forma de concretizar os direitos humanos e viabilizar o acesso à educação para uma sociedade mais justa. Considera-se que os participantes reconhecem a importância da EaD para garantir acesso e permanência no ensino superior, reconhecem discursos preconceituosos dificultadores à consolidação da EaD.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
LEITÃO, H. V.; PINTO, F. R. M.; SOARES, S. L.; ESTHER MARTÍNEZ QUINTEIRO, M. . A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E A EXPERIÊNCIA DE UM CENTRO UNIVERSITÁRIO. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 16, n. 46, p. 807–826, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.10056612. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/2446. Acesso em: 21 fev. 2024.
Seção
Artigos

Referências

ALRIDGE, D. P.; RANDOLPH, A. W.; JOHNSON, A. M. “African american historiasn of education and the griot’s craft: a historiography”. History of Education Quarterly, vol. 63,2022.

ALVES, L. “Educação a distância: conceitos e história no Brasil e no mundo”. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância, vol. 10, 2011.

AMNÉUS, I. Kartläggning av distansverksamheten vid universitet och högskolor. Geneva: Högskoleverket, 2011.

BARBOSA, R. C.; CARVALHO, M. E. P.; LÓPEZ, A. M. “Inclusão educacional, digital e social de mulheres no interior da Paraíba: uma experiência na UFPB”. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, vol. 99, n. 251, 2018.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Editora Edições 70, 2016.

BOSTRÖM, L. et al. “A Rapid Transition from Campus to Emergent Distant Education; Effects on Students’ Study Strategies in Higher Education”. Education Sciences, vol. 11, 2021.

BRASIL. Decreto n. 2.494, de 10 de fevereiro de 1998. Brasília: Planalto, 1998. Disponível em: . Acesso em: 23/092023.

BRASIL. Decreto n. 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Brasília: Planalto, 2005. Disponível em: . Acesso em: 23/092023.

BRASIL. Decreto n. 9.057, de 25 de maio de 2017. Brasília: Planalto, 2017. Disponível em: . Acesso em: 23/092023.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília: Planalto, 1996. Disponível em: . Acesso em: 23/09/2023.

CASTRO, C. “TV digital e EAD: uma parceria perfeita para a inclusão social”. Conexão – Comunicação e Cultura, vol. 7, n. 13, 2008.

COSTA, C. J.; DURAN, M. R. C. “Política Nacional de Formação de Professores entre 2005 e 2010: a nova CAPES e o Sistema Universidade Aberta do Brasil”. Revista Brasileira de Pós-Graduação, vol. 9, n. 16, 2012.

DALAROSA, A. A. “Epistemologia e educacao: articulacoes conceituais”. Publicatio Uepg: Ciencias Humanas, Ciencias Sociais Aplicadas, Linguistica, Letras E Artes, vol. 16, 2008.

DIAS, A. A. “Da educação como direito humano aos direitos humanos como princípio educativo”. In: SILVEIRA, R. M. G. et al. (orgs.). Educação em direitos humanos: fundamentos teórico-metodológicos. João Pessoa: Editora Universitária, 2007.

ECHR - European Court of Human Rights. (2022). “Guide on the case-law of the European Convention of Human Rights: Social rights”. ECHR [2022]. Disponível em: . Acesso em: 23/09/2023.

FÉLIX, D. V.; ÁVILA, G. N. “Os reflexos da educação à distância no brasil como política pública de efetivação dos direitos de personalidade”. Revista Jurídica Luso-Brasileira, vol. 6, n. 4, 2020.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Editora Paz e Terra, 2001.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 2005.

GONÇALVES, I. A.; FARIA FILHO, L. M. “Tecnologias e Educação Escolar: a Escola Pode ser Contemporânea do Seu Tempo?”. Educação e Sociedade, vol. 42, 2021.

HASAN, A.; LAASER, W. “Higher education distance learning in Portugal-State of the art and current policy issues”. European Journal of Open, Distance and E-learning, vol. 13, n. 2, 2010.

HERMIDA, J. F.; BONFIM, C. R. S. “A educação à distância: história, concepções, perspectivas”. Revista HISTEDBR On-line, n. 12, 2016.

ILO - International Labour Organizational. Global estimative of modern slavery: Forced labour and forced marriage. Geneva: International Labour Organziatio, 2022.

JANINI, T. C.; CARVALHO, D. “O direito fundamental à educação e as relações de consumo: desafios perante a pandemia da COVID-19”. Relações Internacionais no Mundo Atual, vol. 4, n. 29, 2020.

KEEGAN, D. J. “On defining distance education”. Distance Education, vol. 1, n. 1, 2006.

LIMA, A. A. S. et al. “Educação a distância no IFRR / campus Boa Vista zona oeste: entre os desafios práticos e as perspectivas em tempos de COVID-19”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 5, n. 15, 2021.

MACHADO, M. “Educação a distância no ensino superior: impasses e possibilidades”. Revista Científica Intraciência, vol. 2, n. 1, 2010.

MARTINEZ, V. C.; SHERCH, V. A. “Direitos humanos e educação à distância: o que pode ser feito e quando é o momento de parar”. Anais do Congresso Internacional de Educação e Tecnologias. São Carlos: UFSCar, 2020.

MATA, J. J. T. A igualdade e a desigualdade na educação em Portugal (Tese de Doutorado em Sociologia). Lisboa: ISCTE, 2015.

MOORE, M. G.; GREG, K. Distance Education: A systems view of online learning. São Paulo: Editora Cengage Learning, 2011.

NERI, M. C. (coord.). Mapa da inclusão digital. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2012.

OLIVEIRA, V. H. N. “O antes, o agora e o depois”: alguns desafios para a educação básica frente à pandemia de COVID-19”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 3, n. 9, 2020.

PEIXOTO, J.; CARVALHO, R. “Mediação pedagógica midiatizada pelas tecnologias?”. Teoria e Prática da Educação, vol. 14, n. 1, 2011.

PEREIRA, G. “Tv Educativa no Ceará – Ano 6. R”. Com. Social, vol. 9, 1979.

PINTO, F. R. M. “How COVID-19 has exacerbated inequality in Higher Education in Brazil”. Journal of Contemporary Issues in Education, vol. 16, 2021.

QUENNERSTEDT, A. “Children’s and young people’s human rights education in school: Cardinal complications and a middle ground”. Journal of Human Rights, vol. 21, n. 4, 2022.

SABA, F. “Distance education in the United State: Past, present, future”. Educational Technology, vol. 51, n. 6, 2011.

ŞAHIN, M. “Opinions of university students on effects of distance learning in Turkey during covid-19 pandemics”. African Educational Research Journal, vol. 9 n. 2, 2021.

SILVA, M. P. Os direitos humanos em sala de aula: constituindo-se sujeitos por meio da (in) formação de alunos-professores (Dissertação de Mestrado em Ensino de Humanidades). Vitória: IFES, 2020.

SILVA, M. R. P.; SCHIFINO, R. C. “Do “balde” ao direito à creche: lutas de mães operárias”. Revista Educação e Emancipação, vol. 10, n. 4, 2017.

UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Towards universal access to higher education: international trends. Paris: UNESCO, 2020.

UNICEF - Fundo de Emergência Internacional para Crianças das Nações Unidas. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Geneva: Unicef, 1948. Disponível em: . Acesso em: 09/09/2023.

VERDEIL, C. “Historie contemporaine de l’éducation au Moyen-Orient (XIXe-XXe siècle). Essai the synthèse historiographique”. Histoire de l’éducation, vol. 148, 2017.

XAVIER, A. R. X. et al. “Educação inclusiva, diversidade e direitos humanos”. Anais do II Congresso de Educação Instituto Dominus. Veiçosa: Editora Imprece, 2018.

ZAWACKI-RICHTER, O.; NAIDU, S. ”Mapping research trends from 35 years of publications in Distance Education”. Distance Education, vol. 37, n. 3, 2016.

ZENAIDE, M. N. T. “Educação em direitos humanos e democracia: história, trajetórias e desafios nos quinze anos do PNEDH”. Educação e Formação, vol. 3, n. 7, 2018.

ZIBAS, D. M. L. “A reforma educacional espanhola: entrevista com Mariano Enguita e Gimeno Sacristán”. Cadernos de Pesquisa, vol. 108, 1999.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)