QUALIDADE DE VIDA NO DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO NA PERCEPÇÕES DOS PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Queli Ghilardi Cancian
Cassiane Beatrís Pasuck Benassi
Andréia Florêncio Eduardo de Deus
keila Okuda Tavares
Vilmar Malacarne

Resumo

É fator de reconhecimento mundial que o ambiente de trabalho pode influenciar na qualidade de vida e saúde de todas as pessoas. E o professor universitário no desenvolvimento de suas funções também está exposto a diferentes condições as quais podem comprometer a sua percepção de qualidade de vida. Nesta perspectiva, apresenta-se como objetivo da pesquisa, a investigação da qualidade de vida percebida pelos professores universitários sobre quatro dimensões: saúde mental; saúde física; relações sociais e relações ambientais. Trata-se de uma pesquisa mista (qualitativa-quantitativa), de caráter exploratório, com delineamento descritivo e abordagem comparativa. Os resultados encontrados sugerem que os professores entendem que possuem uma qualidade de vida satisfatória, porém, os dados relacionados à saúde mental demonstram a existência de docentes veneráveis ao se constatar que 40% dos participantes possuem alguma doença mental de forma isolada ou associada, bem como a apresentação de sinais que demonstram o esgotamento físico e mental no desenvolvimento da profissão.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
CANCIAN, Q. G. .; BENASSI, C. B. P.; DEUS, A. F. E. de; TAVARES, keila O.; MALACARNE, V. QUALIDADE DE VIDA NO DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO NA PERCEPÇÕES DOS PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 13, n. 39, p. 371–386, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.7749676. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/1025. Acesso em: 24 fev. 2024.
Seção
Artigos

Referências

BROCH, C. Trabalho docente em Educação Física na Educação Superior: configuração e satisfação profissional (Tese de Doutorado em Educação Física). Maringá: UEM, 2018.

CAMPOS, E. V.; CARVALHO, A. M. A.; SOUZA, A. S. “Satisfação no trabalho e qualidade de vida de professores universitários brasileiros: revisão integrativa”. Multitemas, vol. 24, n. 57, 2019.

CANCIAN, Q. G. Trabalho e Ciência: Um olhar para a saúde e qualidade de vida dos professores universitários (Dissertação de Mestrado em Educação). Cascavel: UNIOESTE, 2020.

COELHO, L. E. S.; MARQUES, G. L. W. B.; WANZINACK, C. “Saúde docente na pandemia: um estudo de caso com profissionais do Ensino Superior da universidade Federal do Paraná – Setor Litoral”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 11, n. 33, 2022.

COSTA, E. F. et al. “Atividade física em diferentes domínios e sua relação com a escolaridade em adultos do distrito de Ermelino Matarazzo, zona leste de São Paulo, SP”. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, vol. 15, n. 3, 2010.

D'OLIVEIRA, C. A. F. B. et al. “Configurações do mundo do trabalho e o processo saúde-doença dos trabalhadores docentes de enfermagem”. Revista Enfermagem UERJ, vol. 28, n. 33, 2020

FLECK, M. P. A. et al. “Aplicação da versão em português do Instrumento de avaliação de qualidade de vida da Organização Mundial da Saúde (WHOQOL-100)”. Saúde Pública, vol. 33, n. 2, 1999.

FLICK, U. Introdução à metodologia de pesquisa. Porto Alegre: Editora Penso, 2013.

GONÇALVES, N. F. et al. “A importância da qualidade de vida no trabalho e sua influência nas relações humanas”. Anuário de Produções Acadêmico-Científicas dos Discentes da Faculdade Araguaia, vol. 2, n. 1, 2012.

LAVALL, E.; OLSCHOWSKY, A.; KANTORSKI, L. “Avaliação de família: rede de apoio social na atenção em saúde mental”. Revista Gaúcha Enfermagem, vol. 30, n. 2, 2009.

LEITE, A. F., NOGUEIRA, J.A. D. “Fatores condicionantes de saúde relacionados ao trabalho de professores universitários da área da saúde: uma revisão integrativa”. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, vol. 42, 2017.

MACEDO, E. “Domínio das relações sociais da qualidade de vida: um foco de intervenção em pessoas com doenças do humor”. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, n. 7, 2012.

MARTINS, E. B.; SCHMITT, J.; ALVES, A. “Saúde docente: o possível impacto das condições de trabalho no ensino remoto emergencial”. Revista Espaço Pedagógico, vol. 28, n. 2, 2022.

MELO D. F.de et al. (2022). “Qualidade de Vida no estágio dos estudantes de administração da Universidade Estadual da Região Tocantins do Maranhão –UEMASUL, campus Açailândia/MA”. In: SENHORAS, E. M. Gestão da Qualidade: Agendas Contemporânea. Boa Vista: Editora IOLE, 2022.

MOLINA-LUQUE, F. “Educação física, qualidade de vida e a nova sociologia da infância: repensando a metodologia mista em sociologia”. Desafios: Novas Tendências em Educação Física, Esporte e Recreação, n. 33, 2018.

MOREIRA, D. Z.; RODRIGUES, M. B. “Saúde mental e trabalho docente”. Estudos de Psicologia, vol. 23, n. 3, 2018

MOURA, J. S.; NUNES, C. P.; FERREIRA, L. G. “Transtornos Mentais e comportamentais em professores: influências na carreira profissional docente”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 13, n. 39, 2023

REDDING, C.; HENRY, G. T. “Leaving school early: An examination of novice teachers’ within-and end-of-year turnover”. American Educational Research Journal, vol. 56, n. 1, 2019.

SANTOS, E. C.; ESPINOSA, M. M.; MARCON, S. R. “Quality of life, health and work of elementary school teachers”. Acta Paulista de Enfermagem, vol. 33, 2020.

SILVA, J. B. F.; ROCHA SILVA, M. A.; RODRIGUES, W. “Qualidade de vida e trabalho docente no ensino superior: uma relação antagônica”. Desafios - Revista Interdisciplinar da Universidade Federal do Tocantins, vol. 7, 2020.

TOSTES, M. V. et al. “Mental distress of public school teachers”. Saúde em Debate, vol. 42, 2018.

WHO - World Health Organization. WHOQOL – Measuring Quality of Life. New York: WHO, 1997.

ZAIDAN, J. M.; GALVÃO, A. C. “Covid-19 e os abutres do setor educacional: a superexploração da força de trabalho escancarada”. In: AUGUSTO, C. B; SANTO, R. Pandemias e pandemônio no Brasil. São Paulo: Instituto Defesa da Classe Trabalhadora, 2020.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)