REFLEXÕES SOBRE O FILME “UP - ALTAS AVENTURAS” E A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA CONSTRUÇÃO SOCIAL DA VELHICE

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Rúbia Eliza de Lima Pedrosa
Augusto Cesar Soares da Cunha
Gênesis Guimarães Soares

Resumo

O presente trabalho buscou refletir sobre o envelhecimento fazendo uma discussão paralela com o filme Up – Altas Aventuras. Com isso, de acordo com a análise crítica do filme e do levantamento bibliográfico, foi possível identificar o papel das mídias de um modo geral na construção social da velhice. Dentre os aspectos observados, chamou-nos a atenção o fato do quanto a mídia pode influenciar na forma como o idoso é visto e como ele se vê, diante de uma sociedade que ainda enxerga o idoso sob a ótica da decadência. Ao mesmo tempo que a mídia contribui para essa visão acerca do envelhecimento, a própria gerontologia também traz um novo modelo a ser seguido. Contudo, mesmo com mudanças de visões e comportamentos já conquistados, há ainda que se investir em políticas públicas voltadas aos longevos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
PEDROSA, R. E. de L. .; CUNHA, A. C. S. da; SOARES, G. G. . REFLEXÕES SOBRE O FILME “UP - ALTAS AVENTURAS” E A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA CONSTRUÇÃO SOCIAL DA VELHICE. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 8, n. 22, p. 33–39, 2021. DOI: 10.5281/zenodo.5525360. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/465. Acesso em: 9 dez. 2021.
Seção
Ensaios

Referências

BEAUVOIR, S. A Velhice. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1990.

BRASIL. Lei nº 10.741, de 01 de outubro de 2003. Disponível em: . Acesso em: 23/09/2021.

CALDEIRA, M. C. S. “Narrativas sobre a velhice e Infância: Uma análise do filme Up – Altas Aventuras”. Educação Unisinos, vol. 19, n. 3, 2015.

CAM'ARANO, A, A; KANSO, S. “As instituições de longa permanência para idosos no Brasil”. Revista Brasileira de Estudos de População, vol. 27, n. 1, 2010.

CAVALCANTE, C. C. S. P. “O papel da mídia na construção social da velhice”. Formar Interdisciplinar, vol.1, n. 7, 2015.

ERIKSON, E. H. “Oito idades do homem”. In: Infância e sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1976.

FERREIRA, O. G. L. et al. “Significados atribuídos ao envelhecimento: idoso, velho e idoso ativo”. Psico-USF, vol.15, n. 3, 2010.

GONÇALVES, M. “A reinvenção da velhice: socialização e reprivatização do envelhecimento”. Pró-Posições, vol. 13, n. 2, 2002.

PAPALIA, D. E.; OLDS, S. W.; FELDMAN, R. D. Desenvolvimento humano. Porto Alegre: Artmed, 2009.

SANTANA, C. S.; BELCHIOR, C. G. “A velhice nas telas do cinema: um olhar sobre a mudança dos papéis ocupacionais dos idosos”. Revista Kairós Gerontologia, vol. 16, n. 1, 2013.

SCHNEIDER, R. H. IRIGARAY, T. Q. “O envelhecimento na atualidade: aspectos cronológicos, biológicos, psicológicos e sociais”. Estudos de Psicologia, vol. 25, n. 4, 2008.

SILVA, L. R. F. “Da velhice à terceira idade: o percurso histórico das identidades atreladas ao processo de envelhecimento”. História, Ciência, Saúde – Manguinhos, vol. 15, n. 1, 2008.

VERAS, P. R.; RAMOS, L. R.; KALASCHE, A. “Crescimento da população idosa no Brasil: transformações e consequências na sociedade. Revista Saúde Pública, vol. 21, n. 3, 1987.