A INDISSOCIABILIDADE ENTRE AS AÇÕES DE INFORMAÇÃO E A QUALIDADE DA INFORMAÇÃO CONTÁBIL

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Liliane Maria Nery Andrade
Asa Fujino

Resumo

Considerando a dificuldade de se garantir que os responsáveis pela governança e pela produção e divulgação da informação contábil sempre adotarão comportamento ético, e que as consequências desse comportamento são refletidas na qualidade da informação divulgada aos usuários externos, o objetivo deste trabalho é refletir sobre a relação entre as ações de informação e a qualidade da informação contábil a partir do conceito de Regime de Informação e seu potencial para interlocução com o conceito de Governança Corporativa. Foi realizada pesquisa de abordagem qualitativa, caracterizada por argumentação teórico dedutiva, fundamentada na análise das bases e elementos do Regime de Informação do Sistema de Governança Corporativa (RISGC), especificamente dos atores e ações de informação que seguem as diretrizes e normativos internos na definição de políticas contábeis e de informação. Compreendemos que no RISGC as ações relacionadas à abordagem do processo pertencem também à modalidade relacional e são oriundas dos atores da governança. As ações de abordagem coletiva relacionam-se à modalidade mediacional, são oriundas dos atores da administração e dependentes das ações da modalidade relacional. As ações de abordagem individual estão relacionadas aos atores da gestão, são representadas pelos preparadores da informação contábil, e são ações dependentes das demais ações originárias de atores dos níveis hierarquicamente superiores. Como resultado da pesquisa, apontamos que o conjunto de dimensões e ações analisados a partir do RISGC evidenciou a indissociabilidade entre as ações de informação e a qualidade da informação contábil, o que corrobora que a qualidade da informação contábil é uma variável dependente das ações da governança e das relações de poder presentes no ambiente corporativo e inerentes ao mesmo.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
ANDRADE, L. M. N.; FUJINO, A. A INDISSOCIABILIDADE ENTRE AS AÇÕES DE INFORMAÇÃO E A QUALIDADE DA INFORMAÇÃO CONTÁBIL. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 17, n. 51, p. 330–357, 2024. DOI: 10.5281/zenodo.10895655. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/3743. Acesso em: 12 abr. 2024.
Seção
Ensaios
Biografia do Autor

Liliane Maria Nery Andrade, Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

 

 

Referências

AL SHANTI, A. M.; ELESSA, M.S. “The impact of digital transformation towards blockchain technology application in banks to improve accounting information quality and corporate governance effectiveness”. Cogent Economia & Finanças, vol. 1, 2023.

ALBANEZ, T.; VALLE, M. R. “Impactos da assimetria de informação na estrutura de capital de empresas brasileiras abertas”. Revista Contabilidade e Finanças, vol. 20, n. 51, 2009.

ANDRADE, L. M. N. Regime de informação do sistema de governança corporativa: um enfoque na qualidade da informação contábil (Tese de Doutorado em Ciência da Informação). São Paulo: USP, 2020.

ANDRADE, L. M. N.; FUJINO, A. “Condicionantes da qualidade da informação contábil à luz do regime de informação do sistema de governança corporativa: uma aproximação conceitual”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 16, n. 48, 2023.

ANDRADE, L. M. N.; FUJINO, A. “Regime de informação do sistema de governança para melhoria da qualidade da informação contábil”. Anais do XIX Encontro nacional de pesquisa em ciência da informação. Londrina: UEL, 2018.

ANDRADE, L. M. N.; FUJINO, A. “Regime de informação do sistema de governança corporativa (RISGC): conformação de um modelo para melhoria da qualidade da informação contábil”. Anais do IV Encontro de ensino e pesquisa em administração da Amazônia. Porto Velho: UNIR, 2022.

ANDRADE, L. M. N.; FUJINO, A. “Regime de Informação do Sistema de Governança Corporativa (RISGC): conformação de um modelo para melhoria da qualidade da informação contábil”. Contribuciones a Las Ciencias Sociales, vol. 17, n. 1, 2024.

BRAMAN, S. The emergent global information policy regime. London: Palgrave Macmillan, 2004.

BRASIL. Lei n. 6.404, de 15 de dezembro de 1976. Brasília: Planalto, 1976. Disponível em: . Acesso em: 10/12/2023.

CARVALHO, A. M. A.; PINHEIRO, M. M. K. “A conformação de um regime de informação em um arranjo produtivo local”. Anais do XXI Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2010.

CARVALHO, A. M. A.; PINHEIRO, M. M. K. “Regime de informação em arranjos produtivos locais”. Anais do IX Encontro nacional de pesquisa em ciência da informação. São Paulo: USP, 2008.

CFC - Conselho Federal de Contabilidade. NBC TA 200 (R1): Objetivos Gerais do Auditor Independente e a Condução da Auditoria em Conformidade com Normas de Auditoria. Brasília: CFC, 2016. Disponível em: . Acesso em: 22/11/2023.

CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar conhecimento, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: Senac, 2006.

CPC - Comitê de Pronunciamentos Contábeis. CPC 00 (R2): Estrutura Conceitual para Relatório Financeiro. Brasília: CPC, 2019. Disponível em: . Acesso em: 01/01/2024.

CVM - Comissão de Valores Mobiliários. Ofício circular CVM/SEP n. 01/2019. Rio de Janeiro: CVM, 2019. Disponível em: . Acesso em: 27/02/2020.

CVM - Comissão de Valores Mobiliários. O mercado de valores mobiliários brasileiro. Rio de Janeiro: CVM, 2014. Disponível em: . Acesso em: 10/04/2023.

DELAIA, C. R.; FREIRE, I. M. “Subsídios para uma política de gestão da informação da Embrapa Solos: à luz do regime de informação”. Perspectivas em Ciência da Informação, vol. 15, n. 3, 2010.

EKBIA, H. R.; EVANS, T. P. “Regimes of information: land use, management, and policy”. The Information Society, vol. 25, n. 5, 2009.

FEITOZA, L. A.; SILVA, T. E. “Regime de informação dos sistemas de arquivos das universidades públicas do Brasil”. Informação@Profissões, vol. 1, n. 1, 2012.

FREIRE, I. M. “Sobre o regime de informação no Laboratório de Tecnologias Intelectuais – LTi”. Revista de Ciência da Informação e Documentação, vol. 4, n. 1, 2013.

FROHMANN, B. “Taking policy beyond Information Science: applying the actor network theory for connectedness: information, systems, people, organizations”. Anais XXIII Annual Conference Canadian Association for Information Science. Alberta: ACSI, 1995.

FROHMANN, B. O caráter social, material e público da informação. São Paulo: Cultura acadêmica: 2008.

FUJINO, A. “Acessibilidade informacional de PCD no contexto da lei de Acesso à Informação: desafios para estudo de usuários”. Informação em Pauta, vol. 2, 2017.

GIRÃO, L. F. A. P. Assimetria informacional, insider trading e avaliação de empresas: evidências no mercado de capitais brasileiro (Dissertação de Mestrado em Ciências Contábeis). João Pessoa: UFPB, 2012.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, M. N. “Escopo e abrangência da Ciência da Informação e a Pós-Graduação na área: anotações para uma reflexão”. Transinformação, vol. 15, n. 1, 2003.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, M. N. “Novos cenários políticos para a informação”. Ciência da Informação, vol. 31, n. 1, 2002.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, M. N. “O caráter seletivo das ações de informação”. Informare, vol. 5, n. 2, 1999.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, M. N. “Regime de informação: construção de um conceito”. Informação e Sociedade: Estudos, vol. 22, n. 3, 2012.

IBGC - Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Código brasileiro de governança corporativa: companhias abertas/grupo de trabalho interagentes. São Paulo: IBGC, 2016. Disponível em: . Acesso em: 11/01/2024.

IBGC - Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Código das melhores práticas de governança corporativa. São Paulo: IBGC, 2015. Disponível em: . Acesso em: 12/01/2024.

IBGC - Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Pratique e explique: análise qualitativa dos informes de governança corporativa. São Paulo: IBGC, 2018.

LEE, Y.; STRONG; D.; KAHN, B.; WANG, R. “AIMQ: a methodology for information quality assessment”. Information and Management, vol. 40, 2002.

LIMA, C. R. M. et al. “Regime de informação e esfera pública em arranjos produtivos locais”. Anais do X Encontro nacional de pesquisa em ciência da informação. João Pessoa: UFPB, 2009.

LOPES, A. B.; MARTINS, E. Teoria da contabilidade: uma nova abordagem. São Paulo: Editora Atlas, 2005.

MAGNANI, M. C. B.; PINHEIRO, M. M. K. “Regime” e “informação”: a aproximação de dois conceitos e suas aplicações na Ciência da Informação”. Liinc em Revista, vol. 7, n. 2, 2011.

MARQUES, R. M.; PINHEIRO, M. M. K. “As patentes e o regime de informação global emergente”. Informação & Informação, vol. 23, n. 1, 2018.

MARTINS, E. Ética geral e profissional em Contabilidade: Fundação Instituto de Pesquisa Contábeis, Atuariais e Financeiras. São Paulo: Editora Atlas, 1997.

MEDIOTTE, E. J. et al. “O papel da governança e do placemaking para o desenvolvimento territorial: reflexões para as cidades (que buscam ser) criativas”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 13, n. 37, 2023.

NGOC, B. T.; PHUONG, N. T. T.; OANH, L. T. T. “The Impact of Corporate Governance on the Quality of Accounting Information: Research Based on Listed Companies on Vietnam’s Stock Exchange”. International Journal of Professional Business Review, vol. 8, n. 4, 2023.

PÔRTO BEZERRA, E. et al. “Regime de informação: abordagens conceituais e aplicações práticas”. Em Questão, v. 22, n. 2, maio/agosto, 2016.

ROSSETTI, J. P.; ANDRADE, A. Governança corporativa: fundamentos, desenvolvimento e tendências. São Paulo: Editora Atlas, 2014.

SANTOS, A. C. G.; GONZÁLEZ DE GÓMEZ, M. N. “Ações de informação, colaboração e concertação institucional no contexto da extensão rural”. Liinc em Revista, vol. 10, n. 2, 2014.

SERAFIM, L. A.; FREIRE, G. H. A. “Regime de informação para o mapeamento das competências em informação na educação superior”. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, vol. 1 8, n. 37, 2013.

SILVA, E. M.; GARCIA, J. C. R.; LOUREIRO, J. M. M. “Regime de informação: uma perspectiva analítica para a gestão da informação”. Anais do XIV Encontro nacional de pesquisa em ciência da informação. Florianópolis: UFSC, 2013.

TCU - Tribunal de Contas da União (TCU). Referencial básico de governança aplicável a órgãos e entidades da administração pública. Brasília: TCU, 2014. Disponível em: . Acesso em: 01/01/2024

VALENTE, N. T. Z. Qualidade da informação contábil na perspectiva da Ciência da Informação (Tese de Doutorado em Ciência da Informação). São Paulo: USP, 2014.

VIEIRA, L. A. “Tecnologias de informação no século XXI: uma discussão em torno dos determinismos social e tecnológico”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 8, n. 22, 2021.

WERSIG, G.; WINDEL, G. “Information science needs a theory of information action". Social Science Information Studies, vol. 5, 1985.