O MUSEU DA GASTRONOMIA MARANHENSE: PERSPECTIVAS, IMPLEMENTAÇÃO E DESAFIOS NO SÉCULO XXI

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Marilene Sabino Sabino Bezerra
Linda Maria Rodrigues
Mayane Pereira Silva

Resumo

O presente trabalho tem como tema Museu da Gastronomia Maranhense: perspectivas, implementação e desafios no século XXI, cujo objetivo principal é analisar o Museu da Gastronomia Maranhense, entre características, idealização e desafios na área do Centro Histórico de São Luís do Maranhão, assim como realizar um levantamento da infraestrutura e dos profissionais que atuam no Museu da Gastronomia e verificar as principais características que o museu aborda sobre a culinária maranhense. A metodologia utilizada refere-se a uma pesquisa exploratório-descritiva, bibliográfica e de campo, com o uso de instrumentos específicos, como roteiros para as entrevistas previamente encaminhadas aos profissionais e formulários para captação de dados sobre a participação da comunidade do entorno e perfil dos visitantes do museu. Quanto às análises das entrevistas, foram realizadas por meio da transcrição de áudios gravados e dos formulários com perguntas abertas e fechadas por intermédio do sistema de gráficos gerados pela plataforma Google Forms. Os demais resultados indicaram os primeiros proprietários do casarão 82 antes de se tornar um museu de gastronomia; que o museu é o único administrado pela gestão municipal; que a comunidade do entorno não conhece a instituição museal, apesar dos três anos de seu funcionamento, e que o seu acervo expográfico é baseado na correlação das festas tradicionais com a gastronomia maranhense.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
SABINO BEZERRA, M. S.; RODRIGUES, L. M.; SILVA, M. P. O MUSEU DA GASTRONOMIA MARANHENSE: PERSPECTIVAS, IMPLEMENTAÇÃO E DESAFIOS NO SÉCULO XXI. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 16, n. 47, p. 123–144, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.10157245. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/2630. Acesso em: 26 fev. 2024.
Seção
Artigos

Referências

AZEVEDO, E. A.; SILVEIRA, F. A. “A Gastronomia como elemento do produto Turístico- Caminhos possíveis para a diversificação da oferta turística em São Cristóvão-SE”. São Cristóvão: Ponta de Lança, vol. 10, n. 19, 2016.

CHOAY, F. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Editora da UNESP, 2006.

CORNER, D. M. R.; ANGELO, E. R. B. “O Patrimônio Cultural Imaterial sob a perspectiva da Gastronomia. Rio Grande do Sul: Universidade Caxias do Sul-UCS”. Anais do V Seminário de pesquisa em Turismo do Mercosul. Caxias do Sul: UCS, 2008.

CUNHA, K. B.; OLIVEIRA, L. V. A Gastronomia Enquanto Atrativo Turístico - Cultural. (Trabalho de Conclusão de Especialização em Geografia, Meio ambiente e Turismo). Goiás: UEG, 2009.

FAGLIARI, G. S. Turismo e alimentação: análises introdutórias. São Paulo: Editora Roca, 2005.

FERRO, R. C. “Dimensões conceituais da gastronomia”. Revista de Comportamento, Cultura e Sociedade, vol. 5, n. 2, 2017.

FONSECA, B. S. L.; BARBOSA FILHO, W. “Mercado das Tulhas em São Luís (MA): repositório planejado da memória coletiva regional”. Anais do VIII Seminário Internacional sobre Desenvolvimento Regional. Porto Alegre: UNISC, 2017.

FRANCO, A. De caçador a Gourmet: uma história da gastronomia. São Paulo: Editora Senac, 2001.

GIL, A. C. Métodos e técnicas em pesquisa social. São Paulo: Editora Atlas, 1999.

GOMES, A. Maria Firmina dos Reis e o cotidiano da escravidão no Brasil. São Luís: Editora AML, 2022.

GONÇALVES, A. F. Sobre o conceito de cultura na antropologia. Recife: Instituto de Pesquisas Sociais da Fundação Joaquim Nabuco, 2010.

HALL, S.; DU GAY, P. “The question of cultural identity”. In: HALL, S.; HELD, D.; MCGREW, T. Modernity and its fatures. Cambridge: Politic Press, 1992.

IBRAM - Instituto Brasileiro de Museus. Museus e Turismo: uma estratégia de cooperação. Brasília: IBRAM, 2014.

ICOM - Conselho Internacional de Museus. ICOM aprova nova definição de Museus. São Paulo: ICOM, 2022. Disponível em: . Acesso em: 28/10/2023.

KROEBER, A. L. “The Superorganic: for the sociological press”. American Anthropologist, vol. 19, n. 2, 1917.

LACROIX, M. L. L. São Luís do Maranhão, Corpo e Alma. São Luís: Editora do Autor, 2020.

LARAIA, R. B. Cultura: um conceito antropológico. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 2009.

LOPES, F. Memorial descritivo do projeto arquitetônico. São Luís: Figueiredo Lopes Imóveis Ltda., 2008.

MENESES, U. T. B.; CARNEIRO, H. “A História da alimentação: balizas historiográficas”. Anais do Museu Paulista, vol. 5, n. 126, 1997.

MONTANARI, M. Comida como cultura. São Paulo: Editora Senac, 2008.

MONTEIRO, S. A. S.; RIBEIRO, P. R. M.; TANNURI, J. G. D. G. “Cultura, conceito em desenvolvimento: a construção da identidade discente”. In: MONTEIRO, S. A. S. Cultura: conceito sempre em desenvolvimento. Ponta Grossa: Editora Atena, 2019.

OLIVEIRA, S. L. Metodologia científica aplicada ao direito. São Paulo: Editora Pioneira, 2002.

POULOT, D. Museu e Museologia. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2013.

RODRIGUES, M. E. P. et al. “Tecnologias sustentáveis e a gestão museológica: perspectivas e possibilidades de aplicação de tecnologias eco-friendly em museus”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 14, n. 40, 2023.

SANT’ANA JUNIOR, T. P. “Guerreiros de Selva: o processo de construção da Identidade”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 15, n. 43, 2023.

SCHLUTER, R. G. Gastronomia e turismo. São Paulo: Editora Aleph, 2003.

SENAC - Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial. Museu da Gastronomia Baiana. Salvador: SENAC, 2022.

SETUR - Secretaria Municipal de Turismo. Plano Museológico do Museu da Gastronomia Maranhense 2009- 2012. São Luís: Secretaria Municipal de Turismo, 2012.

SILVA, M. P. O Museu da gastronomia maranhense: perspectivas, implementação e desafios no século XXI (Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em Turismo). São Luís: UFMA, 2022.

TYLOR, E. Primitive Culture. Nova York: Harper Torchbooks, 1958.

VASCONCELLOS, C. M. Turismo e museus. São Paulo: Editora Aleph, 2006.