COMPETIVIDADE DO SETOR ORIZÍCOLA GAÚCHO (2010-2022)

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Jaqueline Gomes Pereira
Daniel Arruda Coronel
Paulo Ricardo Feistel

Resumo

Este estudo objetiva avaliar a inserção do setor orizícola (de arroz) produzido no Rio Grande do Sul (RS) para o comércio internacional. Nesse sentido, aplicou-se os índices de Vantagem Comparativa Revelada (IVCR), Vantagem Comparativa Revelada Simétrica (IVCRS), e o de Orientação Regional (IOR). Os dados compreendem o período entre 2010 e 2022, abarcando um ciclo econômico de crescimento e retração do comércio exterior brasileiro, incluindo o período da pandemia. Os resultados apontam três conclusões principais: i) o Rio Grande do Sul possui ampla Vantagem Comparativa na exportação de arroz com relação ao restante dos estados brasileiros; ii) com relação aos seus principais mercados importadores, o estado tem vantagem em relação à Índia, grande produtora mundial do grão; iii) nos últimos anos, tem havido uma reorientação das exportações gaúchas para os Estados Unidos, o Canadá e a Holanda.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
PEREIRA, J. G.; CORONEL, D. A.; FEISTEL, P. R. . COMPETIVIDADE DO SETOR ORIZÍCOLA GAÚCHO (2010-2022). Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 13, n. 38, p. 105–120, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.7677890. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/932. Acesso em: 24 fev. 2024.
Seção
Artigos

Referências

AURÉLIO, M. A. O comércio externo de carne bovina do Rio Grande Do Sul: uma análise para o período 2008-2016 (Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em Ciências Econômicas). Santa Maria: UFSM, 2016.

BALASSA, B. “Trade liberalization and ‘revealed’ comparative advantage”. In: THE WORLD BANK. The Manchester School of Economic and Social Studies. Washington: The World Bank, 1965.

BRASIL. Sistema Aliceweb. Brasília: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, 2016. Disponível em: . Acesso em: 27/01/2022.

CAPITANI, D. H. D. et al. “Determinantes da demanda brasileira por importação de arroz do Mercosul”. Revista de Economia e Sociologia Rural, vol. 49, n. 3, 2011.

CONAB - Companhia Nacional de Abastecimento. A cultura do arroz. Brasília: CONAB, 2015. Disponível também em: . Acesso em 22/12/2022.

DANTAS, J. C. “Arroz: Produção e Mercado”. Caderno Setorial ETENE, n. 156, 2021.

EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. “O cultivo do arroz. Estatística de produção”. Portal da Embrapa [2021]. Disponível em: . Acesso em: 27/12/2022.

EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. “O cultivo do arroz. Importância econômica e social”. Portal da Embrapa [2021]. Disponível em: . Acesso em: 27/12/2022.

EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. “O produtor pergunta, a Embrapa responde”. Portal da Embrapa [2013]. Disponível em: . Acesso em: 27/12/2022.

GONÇALVES, R. et al. A Nova Economia Internacional: uma perspectiva brasileira. Rio de Janeiro: Editora Campus, 2005.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Agrícola Municipal. Rio de Janeiro: IBGE, 2021.

IRGA - Instituto Riograndense De Arroz. Boletim de resultados da safra 2020/21 em terras baixas: arroz irrigado e soja. Porto Alegre: IRGA, 2021. Disponível em: . Acesso em: 30/12/2022.

LAURSEN, K. “Revealed Comparative Advantage and the Alternatives as Measures of Internacional Specialization”. DRUID Working Paper, n. 98, 1998.

MAHAJAN, G. et al. “Rice production in India”. In: CHAUHAN, B. S.; JABRAN, K.; MAHAJAN, G. (eds.). Rice production worldwide. Cham: Springer International Publishing, 2017.

MOREIRA, U. “Teorias do comércio internacional: um debate sobre a relação entre crescimento econômico e inserção externa”. Brazilian Journal of Political Economy, vol. 32, n. 2, 2012.

NUNES, J. L. S. “Importância econômica do arroz”. Agrolink [2020]. Disponível em: . Acesso em: 04/12/2022.

REIS, M. J. et al. “Análise econômica das principais exportações do Centro Oeste”. Anais do Encontro de Gestão e Tecnologia. São Paulo: USP, 2018.

RICARDO, D. Princípios de economia política e tributação. São Paulo: Editora Abril Cultural, 1982.

RIO GRANDE DO SUL. Atlas Socioeconômico do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão, 2021. Disponível em: . Acesso: 08/01/2023.

SALVATORE, D. Introdução à Economia Internacional. Rio de Janeiro: Editora Livros Técnicos e Científicos, 2007.

SATO, L. K. I. et al. “A evolução das exportações de arroz brasileiro e a competitividade frente a países do Mercosul”. Research, Society and Development, vol. 10, n. 13, 2021.

SOARES, M. V. S. Impacto econômico do Brexit por meio de um modelo de equilíbrio geral computável: uma análise dos efeitos das barreiras não-tarifárias (Dissertação de Mestrado em Economia). São Leopoldo: Unisinos, 2022.

SOSBAI - Sociedade Sul Brasileira de Arroz Irrigado. Técnica da cultura do arroz irrigado. Cachoeirinha: SOSBAI, 2018.

SOUZA, M. J. P.; ILHA, A. S. “Índices de Vantagem Comparativa Revelada e de Orientação Regional para alguns produtos do agronegócio brasileiro no período de 1992 a 2002”. Anais do XLIII Congresso Da Sociedade Brasileira De Economia, Administração E Sociologia Rural. Ribeirão Preto: SOBER, 2005.

USDA - United States Department of Agriculture. “Production, Supply and Distribution”. United States Department of Agriculture [2021]. Disponível em: . Acesso em: 27/12/2022.

YEATS, A. “Does Mercosur’s trade performance raise concerns about the effects of regional trade arrangements?” Policy Research Working Paper, n. 1729, 1998.

ZANIN, V. I. “Panorama geral da orizicultura brasileira”. Revista Indicadores Econômicos FEE, vol. 41, n. 2, 2013.