EDUCAÇÃO SEXUAL NAS ESCOLAS: UMA NECESSIDADE URGENTE

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Jean Carlos Miranda
Isabela do Couto Campos

Resumo

Atualmente, em muitas escolas, há grandes dificuldades para abordagem de questões relativas à sexualidade, muitas vezes em função de preconceitos, mitos e desconhecimento. Contudo, o ambiente de aprendizagem é plural e não deve se abster da responsabilidade de contribuir para o desenvolvimento de cidadãos dotados de senso crítico, mas também conscientes de sua própria identidade. Além disso, ressalta-se os benefícios encontrados na abordagem responsável da Educação Sexual, na forma de prevenção a casos de gravidez precoce e abortos na adolescência, a transmissão de infecções sexualmente transmissíveis, assim como a detecção de casos de abuso infantil que, na maioria das vezes, acontecem no ambiente familiar. Esse trabalho objetiva apontar os principais benefícios e desafios envolvidos na Educação Sexual e sua abordagem no ambiente de aprendizagem, destacando suas características, avanços e retrocessos no decorrer da história.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
MIRANDA, J. C.; CAMPOS, I. do C. . EDUCAÇÃO SEXUAL NAS ESCOLAS: UMA NECESSIDADE URGENTE. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 12, n. 34, p. 108–126, 2022. DOI: 10.5281/zenodo.7151234. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/732. Acesso em: 14 jul. 2024.
Seção
Artigos

Referências

AQUINO, C.; MARTELLI, A. C. “Escola e Educação Sexual: uma relação necessária”. Anais do IX Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul. Caxias do Sul: UCS, 2012.

ÁVILA, J. A.; OLIVEIRA, A. M. N.; SILVA, P. A. “Abuso sexual contra crianças e adolescentes: estudos com enfermeiros da estratégia de saúde da família”. Vitalle, vol. 24, n. 2, 2018.

AZEVEDO, W. F. et al. “Complicações da gravidez na adolescência: Revisão sistemática da literatura”. Einstein, vol. 13, n. 4, 2015.

AZEVEDO, M. A. et al. Crianças vitimizadas: a síndrome do pequeno poder. São Paulo: Editora Iglu. 2000.

BARROS, M. G. F. B.; MIRANDA, J. C. “Abordagem do tema sexualidade no ambiente escolar”. Revista Educação Pública, vol. 19, n. 4, 2019.

BLUMENTHAL, P. “Abortion: epidemiology, safety, and technique”. Current Opinion in Obstetrics and Gynecology, vol. 4, n. 4, 1992.

BRASIL. Decreto-Lei 2.848, de 07 de dezembro de 1940. Rio de Janeiro: Congresso Nacional, 1940. Disponível em: . Acesso em: 15/02/2022.

BRASIL. Lei n. 8.069, 13 de julho de 1990. Brasília: Planalto, 1990. Disponível em: . Acesso em: 15/02/2022.

BRÊTAS, J. R. S. et al. “Aspectos da sexualidade na adolescência”. Revista Ciência e Saúde Coletiva, vol. 16, 2011.

BRINO, R.; WILLIAMS, L. “Professores como agentes de prevenção do abuso sexual infantil”. Revista Educação e Realidade, vol. 33, n. 2, 2008.

BRITTOS, E. S.; SANTOS, A. B.; GAGLIOTTO, G. M. “A importância da educação sexual na formação de professores: o projeto Laboratório de Educação Sexual Adolescer e a intervenção necessária junto aos adolescentes no espaço escolar”. Anais do III Simpósio Internacional de Educação Sexual. Maringá: UEM, 2013.

BUENO, R. C. P.; RIBEIRO, P. R. M.. “História da Educação Sexual no Brasil: apontamentos para reflexão”. Revista Brasileira de Sexualidade Humana, vol. 29, n. 1, 2018.

BULHÕES, T. R B. et al. “Prevalência de recém-nascidos pré-termo de mães adolescentes”. Revista de Psicologia, vol. 11, n. 39, 2018.

CAMARGO, A. M. F.; RIBEIRO, C. Sexualidade(s) e infância(s): a sexualidade como um tema transversal. São Paulo: Editora Moderna, 2000.

CAMARGO, L. S.; LIBÓRIO, R. M. C. “A Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes na Perspectiva de Professoras de Escolas Públicas Municipais de Presidente Prudente”. Anais da 29ª Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação. Caxambu: ANPED, 2006.

CARRARA, S. “Educação e sexualidade no Brasil: novas experiências no âmbito das políticas públicas”. Panel Sexuality education: the way, what and how – strategies from around the world. New Delhi: TARSHI, 2007.

CARVALHO, C. C.; KODAMA, K. “Educação Sexual no confessionário: mediação da ciência pelos católicos nos impressos Lar Católico e Família Cristã (década de 1950)”. Revista Brasileira de História da Educação, vol. 20, 2020.

CARVALHO, G. D. et al. Dicionário de Educação Sexual, sexualidade, gênero e interseccionalidades. Florianópolis: Editora da UDESC, 2019.

COSTA, A. C P. J. et al. “Vulnerabilidade de adolescentes escolares às DST/HIV, em Imperatriz-Maranhão”. Revista Gaúcha de Enfermagem, vol. 34, n. 3, 2013.

CRUZ, T. A. S.; SILVA, M. S.; SANTOS, J. P. L. “Da Educação Sexual à “ideologia de gênero”: disputas em torno das sexualidades e dos gêneros na escola”. Pró-Discente: Caderno de Produção Acadêmico-Científica, vol. 26, n. 1, 2020.

CUSTÓDIO, A. V.; CABRAL, J. “O impacto das medidas de isolamento social em tempos de pandemias: uma análise dos indicadores de abuso sexual contra crianças e adolescentes”. Revista Jurídica, vol. 25, n. 57, 2021.

CHAUÍ, M. Repressão sexual essa nossa (des)conhecida. São Paulo: Editora Brasiliense, 1984.

DIAS, A. C. G.; TEIXEIRA, M. A. P. “Gravidez na adolescência: um olhar sobre um fenômeno complexo”. Paideia, vol. 20, n. 45, 2010.

FIGUEIRÓ, M. N. D. Formação de Educadores Sexuais: adiar não é mais possível. Londrina: Editora da UEL, 2006.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 2003.

FURLANETTO, M. F.; LAUERMANN, F.; COSTA, C. B.; MARIN, A. H. “Educação sexual em escolas brasileiras: revisão sistemática da literatura”. Cadernos de Pesquisa, vol. 48, n. 168, 2018.

GAGLIOTTO, G. M.; LEMBECK, T. “Sexualidade e Adolescência: educação sexual numa perspectiva emancipatória”. Revista de Educação, vol. 6. n. 11, 2011.

GALLO, J. H. S. “Gravidez na adolescência: a idade materna, consequências e repercussões”. Revista Bioética, vol. 19, n. 1, 2011.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Editora Atlas, 2017.

GONÇALVES, R. C.; FALEIRO, J. H.; MALAFAIA, G. “Educação sexual no contexto familiar e escolar: impasses e desafios”. Revista Holos, vol. 5, 2013.

KRABBE, E. C. et al. “Escola, Sexualidade, práticas sexuais e vulnerabilidades para as infecções sexualmente transmissíveis (IST)”. Revista Interdisciplinar de Ensino, Pesquisa e Extensão, vol. 4, n. 1, 2016.

LEÃO, A. “Educação sexual: currículo nas escolas restrito com BNCC”. Centro do Professorado Paulista [2021]. Disponível em: . Acesso em: 08/2021.

LANDINI, T. S. O professor diante da violência sexual. São Paulo: Editora Cortez; 2011.

MAISTRO, V. I. A.; ARRUDA, S. M. “O contexto escolar como um lugar de construção e de reflexão sobre a sexualidade”. Anais do IX Congresso Nacional de Educação. Curitiba: PUC-PR, 2009.

MARTINEZ, E. Z. et al. “Gravidez na adolescência e características socioeconômicas dos municípios do Estado de São Paulo, Brasil: análise espacial”. Cadernos de Saúde Pública, vol. 27, n. 5, 2011.

MIRANDA, J. C. “Adolescência e vida sexual: o retrato de uma escola pública da região metropolitana do Rio de Janeiro”. Revista de Saúde e Biologia, vol. 8, n. 2, 2013.

MOIZÉS, J. S.; BUENO, S. M. V. “Compreensão sobre sexualidade e sexo nas escolas segundo professores do Ensino Fundamental”. Revista da Escola de Enfermagem, vol. 44, n.1, 2010.

MONTEIRO, C. J. Avaliação do nível de conhecimento dos jovens a respeito das manifestações orais de infecções sexualmente transmissíveis (Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em Odontologia). Lagarto: UFS, 2019.

NARDI, H. C.; QUARTIERO, E. “Educando para a diversidade: desafiando a moral sexual e construindo estratégias de combate à discriminação no cotidiano escolar”. Sexualidad, Salud y Sociedad, n. 11, 2012.

OLIVEIRA, P. N. A sexualidade em adolescentes no ambiente escolar (Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em Psicologia). Atibaia: UNIFAT, 2020.

OLIVEIRA, Z. M. R. Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Editora Cortez, 2013.

OPAS - Organização Panamericana de Saúde. “América Latina e Caribe têm a segunda taxa mais alta de gravidez na adolescência no mundo”. OPAS [2018]. Disponível em: . Acesso em: 03/02/ 2022.

PITZ, C. D.; BOLZE, S. D. A. “Gravidez na adolescência e escola: uma revisão da produção científica brasileira”. UNIEDU [2016]. Disponível em: . Acesso em: 05/02/2022.

QUEIROZ, V. R.; ALMEIDA, J. M. “Sexualidade na adolescência: potencialidades e dificuldades dos professores de ensino médio de uma escola estadual de Sorocaba”. Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba, vol. 19, n. 4, 2017.

RIBEIRO, P. R. M. “Revisitando a história da educação sexual no Brasil”. In: RIBEIRO, P. R.C. (org.). Corpos, gêneros e sexualidades: questões possíveis para o currículo escolar. Rio Grande: Editora da FURG, 2008.

RIBEIRO, P. R. M.; MONTEIRO, S. A. S. “Avanços e retrocessos da Educação Sexual no Brasil: apontamentos a partir da eleição presidencial de 2018”. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, vol. 14, n. 2, 2019.

ROSA, L. M. et al. “Promoção da saúde na escola: prevenção da gravidez e de infecções sexualmente transmissíveis”. Brazilian Journal of Health Review, vol. 3, n. 1, 2020.

SANDERSON, C. Abuso sexual em crianças: fortalecendo pais e professores para proteger crianças de abusos sexuais. São Paulo: Editora Books, 2005.

SANTOS, B. R.; IPPOLITO, R. Guia escolar: identificação de sinais de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. Seropédica: Editora da UFRJ, 2011.

SANTOS, J. C.; GAGLIOTTO, G. M. “Sexualidade desviante de Maria: um caso de perversão feminina”. Anais do V Seminário Internacional Enlaçando Sexualidades. Salvador: UNEB, 2017.

SCHOEN-FERREIRA, T. H.; AZNAR-FARIAS, M.; SILVARES, E. F. M. “Adolescência através dos Séculos”. Psicologia: Teoria e Pesquisa, vol. 26, n. 2, 2010.

SILVA, D. R. Q. Mães menininhas: a gravidez na adolescência escutada pela Psicanálise e educação (Tese de Doutorado em Educação). Porto Alegre: UFRGS, 2007.

SILVA, M. J. P. et al. “Planejamento da gravidez na adolescência”. Cogitare Enfermagem, vol. 24, 2019.

SILVEIRA, P.; MCCALLUM, C.; MENEZES, G. “Experiências de abortos provocados em clínicas privadas no Nordeste brasileiro”. Cadernos de Saúde Pública, vol. 32, n. 2, 2016.

SFAIR, S. C.; BITTAR, M.; LOPES, R. E. “Educação sexual para adolescentes e jovens: mapeando proposições oficiais”. Saúde e Sociedade, vol. 24, n. 2, 2015.

SOUZA, Z. C. S. N. et al. “Trajetória de mulheres em situação de aborto provocado no discurso sobre clandestinidade”. Acta Paulista de Enfermagem, vol. 23, n. 6, 2010.

SPANIOL, C.; SPANIOL, M. M.; ARRUDA, S. N. “Gravidez na adolescência e educação sexual: percepções de alunas do ensino médio de um município da Serra Catarinense”. Cadernos de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento, vol. 19, n. 2, 2019.

SPAZIANI, R. B.; MAIA, A. C. B. “Educação para a sexualidade e prevenção da violência sexual na infância: concepções de professores”. Revista Psicopedagogia, vol. 32, n. 97, 2015.

TAKEUTI, A. D. “A saúde da mulher adolescente”. In: MADEIRA, F. R. (org.). Quem mandou nascer mulher? Rio de Janeiro: Editora Record, 1997.

TORQUATO, B. G. S. et al. “O saber sexual na adolescência”. Revista Ciência em Extensão, vol. 13, n. 3, 2017.

TORRES, J. D. R. V. et al. “O significado da maternidade para adolescentes atendidas na Estratégia de Saúde da Família”. Revista de Pesquisa Online Cuidado é Fundamental, vol. 10, n. 4, 2018.

UNFPA - Fundo de População das Nações Unidas. “Prevenção das IST, HIV e Aids. Adolescentes e jovens para a educação entre pares”. UNFPA [2010]. Disponível em: . Acesso em: 02/12/2021.

UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Orientações técnicas de educação sexual para o cenário brasileiro: tópicos e objetivos de aprendizagem. Brasília: UNESCO, 2014.

VALLIM, M R. Françoise Dolto, uma voz na psicanálise (Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica). São Paulo: PUC-SP, 2016.

VITALLE, M. S. S. et al. “Índice de massa corporal, desenvolvimento puberal e sua relação com a menarca”. Revista da Associação Médica Brasileira, vol. 49, n. 4, 2003.

XIMENES NETO, F. R. G. et al. “Gravidez na adolescência: motivos e percepções de adolescentes”. Revista Brasileira de Enfermagem, vol. 60, n. 3, 2007.