FACES DA PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO E DO ASSÉDIO MORAL: REFLEXÕES SOBRE O SETOR BANCÁRIO

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Talita Soares Martins
Felipe Gouvêa Pena

Resumo

Em um mercado de trabalho cada vez mais flexível e volátil, capaz de normatizar práticas de assédio moral, o bancário tem sido visto como uma mão de obra descartável. Este sujeito tem sido evidenciado em diversas investigações contemporâneas, confirmando a prevalência de quadros de sofrimento e adoecimento laboral da categoria. Destarte, o presente ensaio teórico teve como objetivo problematizar os impactos da precarização do trabalho e das manifestações de assédio moral na vida dos bancários. Para tanto, estabeleceu-se uma discussão teórica a partir de literaturas interdisciplinares relacionadas ao tema.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
MARTINS, T. S. .; PENA, F. G. FACES DA PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO E DO ASSÉDIO MORAL: REFLEXÕES SOBRE O SETOR BANCÁRIO. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 8, n. 23, p. 40–50, 2021. DOI: 10.5281/zenodo.5611817. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/493. Acesso em: 9 dez. 2021.
Seção
Ensaios

Referências

BARRETO, M. M. S. Violência, saúde e trabalho: uma jornada de humilhações. São Paulo: EDUC, 2006.

BOBROFF, M. C. C.; MARTINS, J. T. “Assédio moral, ética e sofrimento no trabalho”. Revista Bioética, vol. 21, n. 2, 2013.

COLOMBI, A. P. F.; KREIN, J. D.; GEHM, T. C. G. “Trabalho Bancário: o paradoxo entre o avanço na barganha coletiva e a crescente insegurança”. Revista da ABET, vol. 13, n. 1, 2014.

CORRÊA, A. M. H.; CARRIERI, A. P. “Percurso semântico do assédio moral na trajetória profissional de mulheres gerentes”. Revista de Administração de Empresas, vol. 47, n. 1, 2007.

DRUCK, G. et al. “Bancário: um emprego de múltiplos riscos”. Caderno CRH, vol. 15, n. 37, 2006.

EINARSEN, S. “The nature causes and consequences of bullying at work: the Norwegian experience”. Perspectives Interdisciplinaires Sur le Travail et la Santé, vol. 7, n. 3, 2005.

FEDERAÇÃO BRASILEIRA DOS BANCOS. “Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2020 – Deloitte”. FEBRABAN [2020]. Disponível em: <https://portal.febraban.org.br>. Acesso em: 02/10/2021.

FREITAS, M. E. “Assédio moral e assédio sexual: faces do poder perverso nas organizações”. Revista de Administração de Empresas, vol. 41, n. 2, 2001.

FREITAS, M. E.; HELOANI, R.; BARRETO, M. Assédio moral no trabalho. São Paulo: Cengage Learning, 2008.

HIRIGOYEN, M. F. Assédio moral: a violência perversa no cotidiano. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

JINKINGS, N. Os trabalhadores bancários em face da reestruturação capitalista contemporânea. (Tese de Doutorado em Sociologia Política). Florianópolis: UFSC, 2001.

KIRCHMAIR, D. M.; FERREIRA, V. C. P.; MONTEIRO, L. A. “Assédio Moral no Trabalho em Bancos: Lacunas e Possibilidades da Gestão de Pessoas”. Revista Gestão & Planejamento, v. 21, n. 1, 2020.

LEYMANN, H. “Mobbing and psychological terror at workplace”. Violence and Victims, vol. 5, 1990.

MENDES, A. M.; COSTA, V. P.; BARROS, P. C. R. “Estratégias de enfrentamento do sofrimento psíquico no trabalho bancário”. Estudos e Pesquisas em Psicologia, vol. 3, n. 1, 2013.

MPT - Ministério Público do Trabalho. Assédio moral em estabelecimentos bancários. Brasília: MPT/Coordigualdade, 2013.

PATRIOTA, R. A. L. et al. “O Lado Obscuro da Eficiência: Impactos Afetivos Decorrentes do Assédio Moral em Bancos”. Revista de Administração FACES Journal, vol. 19, n. 2, 2020.

PENA, F. G. et al. “Vivências de prazer e sofrimento no trabalho: um estudo com bancários”. Research, Society and Development, vol. 10, n. 2, 2021.

SENHORAS, E. M. “O campo de poder das vacinas na pandemia da COVID-19”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 6, n. 18, 2021.

SOARES, L. R.; VILLELA, W. V. “O assédio moral na perspectiva de bancários”. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, vol. 37, n. 126, 2012.

SOBOLL, L. A. P. Assédio moral/organizacional: uma análise da organização do trabalho. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008.