APTIDÃO FÍSICA, QUALIDADE DO SONO E PRESSÃO ARTERIAL EM DISCENTES DO ENSINO MÉDIO DE SÃO JOÃO DOS PATOS/MA

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Leonardo Pereira da Silva
Gustavo de Sá Oliveira Lima
Sarah Letícia Lima Santos
Joseneide Teixeira Câmara
Marcos Antonio do Nascimento

Resumo

O impacto da aptidão física, sono e pressão arterial nos hábitos de vida de discentes do Ensino Médio tem denotado aspectos relevantes. O objetivo foi analisar o nível de aptidão física, qualidade do sono e pressão arterial em discentes do Ensino Médio de São João dos Patos/Maranhão. Estudo transversal, com abordagem quantitativa, aplicado com 115 discentes do ensino médio de escolas públicas, com idade média de 16 anos. A coleta de dados foi realizada nos âmbitos escolares, no turno matutino, entre os meses de setembro a novembro de 2023. Foram aferidos: pressão arterial (monitor de pressão de braço profissional, modelo HBP-1100/ONROM-USA), aptidão física (protocolo do Programa Esporte Brasil) e qualidade do sono (índice de qualidade do sono de Pittsburgh). Após o teste de normalidade de Kolmogorov-Smirnov, os dados foram analisados com medidas descritivas apropriadas e comparados usando testes estatísticos como t não pareado, U de Mann-Whitney e Teste Exato de Fisher. O nível de signifiância adotado foi 5%. Os dados foram analisados com o auxílio dos softwares GraphPad Prism 8.0 e Jamovi 2.3.28. Os níveis pressóricos da maioria dos alunos do sexo feminino (67%) e masculino (49%) estão adequados. Evidenciaram-se percentuais significativos para zona saudável na flexibilidade (feminino: 65%, masculino: 69%). Na resistência abdominal, apresentaram índices relevantes para zona de risco (feminino: 100%, masculino: 98%). A maioria dos discentes (feminino: 98, masculino 75%) está na zona de risco para resistência cardiorrespiratória. A maior parte dos estudantes (feminino: 73%, masculino: 38%) apresentam qualidade do sono ruim. Dessa forma, o estudo ressaltou diferenças de gênero nas medidas e preocupações com hipertensão arterial. Ainda, foram observadas questões com resistência cardiorrespiratória e sono, apontando para a necessidade de intervenções saudáveis. Apesar das limitações, as descobertas têm importância para profissionais de saúde e educação na prevenção de problemas de saúde nessa fase crucial do desenvolvimento.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
SILVA, L. P. da .; LIMA, G. de S. O. .; SANTOS, S. L. L. .; CÂMARA, J. T.; NASCIMENTO, M. A. do. APTIDÃO FÍSICA, QUALIDADE DO SONO E PRESSÃO ARTERIAL EM DISCENTES DO ENSINO MÉDIO DE SÃO JOÃO DOS PATOS/MA. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 18, n. 52, p. 780–801, 2024. DOI: 10.5281/zenodo.11238893. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/4210. Acesso em: 17 jun. 2024.
Seção
Artigos

Referências

AGOSTINIS-SOBRINHO, C. A.; VILAN, K. “Pressão Arterial em Crianças: O Papel Fundamental da Atividade Física e da Gordura Corporal”. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, vol. 116, n. 5, 2021.

ALTERMANN, W.; GROPEL, P. “Physical fitness is related to concentration performance in adolescents”. Scientific Reports, vol. 14, n. 1, 2024.

ANDRADE, R. D. et al. “Sono em atletas das categorias de base do futebol”. Revista Brasileira de Futebol, vol. 16, n. 2, 2023.

AZMI, N. A. et al. “Correlation of Physical Activity Level with Physical Fitness and Respiratory Function amongst Undergraduates”. Trends in Sciences, vol. 18, n. 19, 2021.

BALLARIN, G. et al. “Bullying Victimization, Real and Perceived Physical Fitness, and Self-Perception Profiles in Middle-School Students with Overweight or Obesity”. Nutrients, vol. 15, n. 24, 2023.

BANDEIRA LIMA, F. et al. “Perfil da aptidão física em crianças e adolescentes praticantes de mini tênis em Jacarezinho (PR)”. Caderno de Educação Física e Esporte, vol. 18, n. 2, 2020.

BARROSO, W. K. S. et al. “Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial”. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, vol. 116, n. 3, 2021.

BERRY, R. B. et al. “The AASM Manual for the Scoring of Sleep and Associated Events: Rules, Terminology and Technical Specifications. Darien: American Academy of Sleep Medicine, 2012.

BERTOLAZI, A. N. Tradução, Adaptação Cultural e Validação de dois Instrumentos de Avaliação do Sono: Escala de Sonolência de Epworth e Índice de Qualidade de Sono de Pittsburgh (Dissertação de Mestrado em Ciências Médicas). Porto Alegre: UFRG, 2008.

BRAGANÇA, M. L. B. M. et al. “Avaliação do perfil de biomarcadores sanguíneos em adolescentes classificados pelo índice de massa corporal e percentual de gordura corporal”. Cadernos De Saúde Pública, vol. 36, n. 6, 2020.

BUYSSE, D. J. et al. “The Pittsburgh sleep quality index: a new instrument for psychiatric practice and research”. Psychiatry Research, vol. 28, n. 2, 1989

CAMPOS, C. G. et al. “Atividade física na adolescência e maturidade sexual: uma revisão sistemática”. Ciência e Saúde Coletiva, vol. 26, n. 5, 2021.

CARSKADON, M. A.; DEMENT, W. C. “Normal Human Sleep: An Overview”. In: KRYGER, M. H. et al. Principles and Practice of Sleep Medicine. St. Louis: Elsevier, 2021.

CARVALHO, R. S. R.; MOSTARDA, C. T.; NASCIMENTO, M. A. “Desvios posturais em Alunos do ensino médio de São João Dos Patos – MA”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 17, n. 51, 2024.

COELHO, L. E. S.; MARQUES, G. L. W. B.; WANZINACK, C. “Saúde docente na pandemia: um estudo de caso com profissionais do ensino superior da universidade federal do paraná –setor litoral”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 11, n. 33, 2022.

DANTAS, J. C. et al. “Qualidade de vida relacionada à saúde de adolescentes com excesso de peso”. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, vol. 14, n. 85, 2020.

DENIS, D.; CAIRNEY, S. A. “Neural reactivation during human sleep”. Emerging Topics in Life Sciences, vol. 7, n. 5, 2023.

DORNELES, R. C. G. et al. “Indicadores de flexibilidade e força/resistência muscular e a triagem de dor lombar em adolescentes”. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, vol. 18, n. 1, 2016.

FELDMAN, D. E. et al. “Fatores de risco para o desenvolvimento de lombalgia na adolescência”. Revista Americana de Epidemiologia, vol. 154, n. 1, 2001.

FERNANDES, R. M. F. “O sono normal”. Medicina, vol. 39, n. 2, 2006.

GALÁN-ARROYO, C. et al. “Analysis of Self-Perceived Physical Fitness of Physical Education Students in Public Schools in Extremadura (Spain)”. Children, vol. 10, n. 3, 2023.

GARCÍA-HERMOSO, A. et al. “Association of Cardiorespiratory Fitness Levels During Youth With Health Risk Later in Life: A Systematic Review and Meta-analysis”. JAMA Pediatrics, vol. 174, n. 10, 2020.

GAYA, A. R. et al. Projeto esporte Brasil: Manual de medidas, testes e avaliações. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2021.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Editora Atlas, 2008.

GOMES, A. S.; GOMES, C. R. A. “Classificação dos tipos de pesquisa em Informática na Educação”. In: JAQUES, P. A. et al. (orgs.). Metodologia de Pesquisa Científica em Informática na Educação: Concepção de Pesquisa. Porto Alegre: SBC, 2020.

GOMES, S. et al. “Sleep Patterns, Eating Behavior and the Risk of Noncommunicable Diseases”. Nutrients, vol. 15, n. 11, 2023.

GONÇALVES, V. S. S. et al. “Prevalence of hypertension among adolescents: systematic review and meta-analysis”. Revista Saúde Pública, vol. 50, n. 27, 2016.

GONELA, J. T. et al. “Nível de atividade física e gasto calórico em atividades de lazer de pacientes com diabetes mellitus”. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, vol. 30, n. 3, 2016.

HOFFMANN, R. R.; DUARTE JÚNIOR, M. A. S.; VOSER, R. C. “Profile of physical fitness related to the health of brazilian school children: a narrative review”. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, vol. 15, n. 19, 2021.

KUMARI, R. et al. “Health-related physical fitness, physical activity and its correlates among school going adolescents in hilly state in north India: a cross sectional survey”. BMC Public Health, vol. 24, n. 1, 2024.

LI, C. et al. “Secular trends in physical fitness of rural Chinese children and adolescents aged 7-18 years from 1985 to 2019”. Scientific Reports, vol. 13, n. 1, 2023.

LI, S. et al. “Childhood Cardiovascular risk factors and carotid vascular changes in adulthood”. JAMA, vol. 290, n. 17, 2003.

LIANG, F.; HONGFENG, H.; YING, Z. “The effects of eccentric training on hamstring flexibility and strength in young dance students”. Scientific Reports, vol. 14, n. 1, 2024.

LIMA, B. E. F. et al. “Relação entre imagem corporal, consumo alimentar e sono em adolescents”. Revista da AMRIGS, vol. 65, n. 4, 2021.

LIYANAGE, E. et al. “Effects of Different Physical Therapy Interventions in Improving Flexibility in University Students with Hamstring Tightness - A Systematic Review and Network Meta-analysis”. International Journal Of Exercise Science, vol. 17, n. 3, 2024.

LOPES, H. S. et al. “Qualidade do sono entre estudantes de enfermagem e fatores associados”. Ciências Biológicas e da Saúde, vol. 39, n. 2, 2018.

MACHADO, L. et al. “Relação entre atividade física e qualidade de vida em alunos do ensino superior”. Millenium, vol. 2, n. 7, 2020.

MAGLIANO, E. S. et al. “Prevalence of arterial hypertension among Brazilian adolescents: systematic review and meta-analysis”. BMC - Public Health, vol. 13, n. 1, 2013.

MALACHIAS, M. V. B. et al. “Hipertensão e Condições Clínicas Associadas”. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, vol. 107, n. 3, 2016.

MENG, L. et al. “Validation of Omron HBP-1300 professional blood pressure monitor based on auscultation in children and adults”. BMC Cardiovascular Disorders, vol. 16, n. 9, 2016.

MINATTO, G. et al. “Relação entre aptidão cardiorrespiratória e adiposidade corporal em meninas”. Revista Paulista de Pediatria, vol. 34, n. 4, 2016.

PEDROZO, S. C. et al. “Prevalência de desvios posturais, nível de flexibilidade e de força/resistência muscular em adolescentes escolares de Xanxerê/SC”. Vivências, vol. 17, n. 33, 2021.

PELEGRINI, A. et al. “Aptidão física relacionada à saúde de escolares brasileiros: dados do projeto esporte Brasil”. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, vol. 17, n. 2, 2011.

PINTO, S. L. et al. “Prevalência de pré-hipertensão e de hipertensão arterial e avaliação de fatores associados em crianças e adolescentes de escolas públicas de Salvador”. Cadernos de Saúde Pública, vol. 27, n. 6, 2011.

POWELL-WILEY, T. M. et al. “Obesity and cardiovascular disease: a scientific statement from the American heart association”. Circulation, vol. 143, n. 21, 2021.

RIGATTO, K. “Pré-Hipertensão Em Adolescentes: um novo velho problema”. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, vol. 117, n. 4, 2021.

SANTOS, G. C. et al. “Acute Effects of Physical Exercise at different intensities on Inflammatory Markers in Obese Adolescents”. Journal Of Physical Education, vol. 30, n. 1, 2019.

SANTOS, L. E. S. et al. “Relação entre maturação sexual e indicadores antropométricos e pressóricos em adolescentes”. Ciência e Saúde Coletiva, vol. 27, n. 9, 2022.

SBP - Sociedade Brasileira De Pediatria. Hipertensão arterial na infância e adolescência. São Paulo: SBP, 2019.

SCALA, L. C. et al. “Epidemiologia da hipertensão arterial sistêmica. In: Moreira SM, Paola AV”. Sociedade Brasileira de Cardiologia, vol. 2, n. 1, 2015.

SHALABI, K. M. et al. “Relationship between body mass index and health-related physical fitness: a cross-sectional study”. European Review for Medical and Pharmacological Sciences, vol. 27, n. 20, 2023.

SILVA, J. A. S.; RODRIGUES FILHO, E. A. Avaliação do índice de massa corporal dos alunos do 6º ao 9º ano do município de Cumaru – PE (Trabalho de Conclusão do Curso de Graduação em Educação Física). Vitória de Santo Antão: UFPE, 2023.

SLAUGHTER, M. H. et. al. “Skinfold equations for estimation of body fatness in children and youth”. Human Biology, vol. 60, n. 1, 1988.

SU, Y. et al. “Effects of blood flow restriction training on muscle fitness and cardiovascular risk of obese college students”. Frontiers in Physiology, vol. 14, n. 1, 2024.

SUPRAMANIAM, N.; ZANUDIN, A.; AZMI, N. A. “Body Mass Index, Physical Activity, Cardiorespiratory Endurance and Quality of Life among Children with Physical Disabilities”. Children, vol. 10, n. 9, 2023.

TIAN, X. et al. “Insulin resistance mediates obesity-related risk of cardiovascular disease: a prospective cohort study”. Cardiovascular Diabetology, vol. 21 n. 1, 2022.

TODENDI, P. F. et al. “O risco metabólico em escolares está associado a baixos níveis de aptidão cardiorrespiratória, obesidade e perfil nutricional dos pais”. Jornal de Pediatria, vol. 92, n. 4, 2016.

TRINDADE, C. S. S.; RAMOS, A. L. C. “Influência dos programas de educação sobre o sono de crianças e adolescentes: revisão integrativa”. Acta Paulista de Enfermagem, vol. 33, n. 1, 2020.

VICTO, E. R. et al. “Indicadores de estilo de vida e aptidão cardiorrespiratória de adolescentes”. Revista Paulista de Pediatria, vol. 35, n. 1, 2017.

WELSER, L. et al. “Incidência de Hipertensão Arterial está Associada com Adiposidade em Crianças e Adolescentes”. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, vol. 120, n. 2, 2023.

WHO - World Health Organization. Emergências em saúde. Genebra: WHO, 2020. Dispon[ivel em: . Acesso em: 23/03/2024.

WÓJCIK, M. et al. “Effects of Puberty on Blood Pressure Trajectories - Underlying Processes”. Current Hypertension Reports, vol. 25, n. 7, 2023.

ZHAI, X. et al. “Impact of COVID-19 Pandemic Lockdown on Body Mass Index and Physical Fitness in Chinese College Students”. The Journal of Adolescent Health, vol. 75, 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)