MORTALIDADE ASSOCIADA A CIRURGIA DE URGÊNCIA EM UM HOSPITAL DE REFERÊNCIA NO ESTADO DA PARAÍBA

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Carolina Trigueiro do Nascimento
Pedro Luiz do Nascimento Junior
Samara de Lima Leite
Iracema Filgueira Leite
Débora de Souza Lucena

Resumo

O objetivo deste estudo é traçar o perfil de mortalidade em cirurgias realizadas em um hospital de referência. Foi utilizada uma abordagem exploratória, transversal e retrospectiva, empregando uma análise quantiqualitativa. Os dados foram coletados a partir de fontes secundárias, especificamente o DATASUS, que oferece informações sobre o perfil de mortalidade em cirurgia geral em todo o estado da Paraíba, abrangendo os hospitais durante o ano de 2022. Durante o cálculo de prevalência, notou-se que, embora o coeficiente de mortalidade por cirurgia geral seja baixo, a maior prevalência de óbitos está relacionada principalmente a cirurgias gerais e casos de abdome agudo, representando 48,16% dos casos de cirurgia geral. Vale ressaltar que o abdome agudo pode ter diversas etiologias. Muitas vezes, o coeficiente de mortalidade associado à cirurgia está mais relacionado ao abdome agudo e à cirurgia geral, sendo que a causa subjacente da mortalidade não está diretamente ligada ao procedimento, mas sim a complicações relacionadas à doença ou a complicações tardias.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
NASCIMENTO, C. T. do; NASCIMENTO JUNIOR, P. L. do; LEITE, S. de L.; LEITE, I. F.; LUCENA, D. de S. . MORTALIDADE ASSOCIADA A CIRURGIA DE URGÊNCIA EM UM HOSPITAL DE REFERÊNCIA NO ESTADO DA PARAÍBA. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 18, n. 52, p. 380–399, 2024. DOI: 10.5281/zenodo.11177103. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/4084. Acesso em: 19 maio. 2024.
Seção
Artigos

Referências

ANDRADE, I. N. G. et al. “Avaliação do EuroSCORE como preditor de mortalidade em cirurgia cardíaca valvar no Instituto do Coração de Pernambuco”. Brazilian Journal of Cardiovascular Surgery, vol. 25, 2010.

ARAÚJO, I. S.; CARVALHO, R. “Eventos adversos graves em pacientes cirúrgicos: ocorrência e desfecho”. Revista Sobecc, vol. 23, n. 2, 2018.

BATISTA, J. et al. “Prevalencia y evitación de eventos adversos quirúrgicos en el hospital de enseñanza de Brasil”. Revista Latino-Americana de Enfermagem, vol. 27, 2019.

BECCARIA, L. M. et al. “Complicações pós-operatórias em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca em hospital de ensino”. Arquivos de Ciências da Saúde, vol. 22, n. 3, 2015.

BRASIL. Taxa de Mortalidade Cirúrgica. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. Disponível em: . Acesso em: 22/11/2023.

BRAZ, L. G. et al. “Epidemiology of perioperative cardiac arrest and mortality in Brazil: a systematic review”. Revista Brasileira de Anestesiologia, vol. 70, 2020.

BRAZ, L. G. et al. “Mortality in anesthesia: a systematic review”. Clinics, vol. 64, n. 10, 2009.

CANHOVATTI, L. M. B.; CORREA, V. H. Cirurgia: estudo de tendências de internações e mortalidade de 2010 a 2019 (Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em Enfermagem). Maringá: Unicesumar, 2020.

COVRE, E. R. et al. “Permanence, cost and mortality related to surgical admissions by the Unified Health System”. Revista Latino-Americana de Enfermagem, vol. 27, 2019.

COVRE, E. R. et al. “Tendência de internações e mortalidade por causas cirúrgicas no Brasil, 2008 a 2016”. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, vol. 46, n. 1, 2019.

MOURA, V. L. L. et al. “Caracterização dos óbitos notificados decorrentes de complicações dos cuidados médicos e cirúrgicos”. Revista de Enfermagem da UFSM, vol. 12, 2022.

FARIAS, P. et al. “Mortalidade de pacientes submetidos à cirurgia cardíaca”. Research, Society and Development, vol. 10, n. 5, 2021.

GAO, R. et al. “Enhanced recovery after surgery in pediatric gastrointestinal surgery”. Journal of International Medical Research, vol. 47, n. 10, 2019.

KOPPENBERG, J. et al. “Analysis of 30 anaesthesia-related deaths in Germany between 2006 and 2015: an analysis of a closed claims database”. European Journal of Anaesthesiology, vol. 39, n. 1, 2022.

LIU, F.; ZHOU, J.; WU, X. “Effects of evidence‐based nursing on surgical site wound infection in patients undergoing acute appendicitis surgery: A meta‐analysis”. International Wound Journal, vol. 21, n. 3, 2024.

MARTINS, F. Z.; DALL’AGNOL, C. M. “Centro cirúrgico: desafios e estratégias do enfermeiro nas atividades gerenciais”. Revista Gaúcha de Enfermagem, vol. 37, n. 4, 2016.

MOISÉS, G. C.; SILVEIRA, M.C.S; SALES, C.R.G. Mortalidade no pós-operatório em pacientes submetidos a cirurgias de emergência: Uma revisão integrativa (Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em Enfermagem). Palhoça: Unisul, 2021.

MORALES, A. I. A; PÉREZ, J. M. H.; ÁLVAREZ, V. B. P. “Mortalidad perioperatória". Revista Cubana de Anestesiología y Reanimación, vol. 19, n. 3, 2020.

NASCIMENTO, C. T. et al. “Integração da telemedicina na prática da cirurgia geral: desafios e perspectivas”. Boletim da Conjuntura (BOCA), vol. 17, n. 51, 2024.

NEWLAND, M. C. et al. “Anesthestic-related cardiac arrest and its mortality: a report covering 72,959 anesthetics over 10 years from a US Teaching Hospital”. The Journal of the American Society of Anesthesiologists, vol. 97, n. 1, 2002.

OMS - Organização Mundial da Saúde. Segundo desafio global para a segurança do paciente: cirurgias seguras salvam vidas. Genebra: OMS, 2009. Disponível em: . Acesso em: 05/02/2024.

STAHLSCHMIDT, A. et al. “Preditores de mortalidade intra-hospitalar em pacientes submetidos a cirurgias não eletivas em um hospital universitário: uma coorte prospectiva”. Revista Brasileira de Anestesiologia, vol. 68, 2018.

TOKUDA, R. K. et al. “Causas de óbitos associadas à cirurgia no estado do Paraná no período de 2012-2021”. Arquivos do Mudi, vol. 27, n. 2, 2023.

TREJO-ÁVILA, M. E. et al. “Enhanced recovery after surgery protocol allows ambulatory laparoscopic appendectomy in uncomplicated acute appendicitis: a prospective, randomized trial”. Surgical endoscopy, vol. 33, 2019.

WEISER, T. G. et al. “An estimation of the global volume of surgery: a modelling strategy based on available data”. The Lancet, vol. 372, n. 9633, 2008.