ITINERÂNCIA DO LABORATÓRIO DE ANATOMIA NA LICENCIATURA: AÇÕES INCLUSIVAS PARA SURDOS

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Thiago Fernandes Qualhato
Claudio Roberto Machado Benite
Patrícia Gouvêa Nunes

Resumo

Este texto apresenta um estudo desenvolvido no âmbito de uma pesquisa que tem como objetivo investigar ações educativas inclusivas no ambiente escolar, propondo, para tanto, práticas de ensino desenvolvidas com licenciandos do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas de um Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, no estado de Goiás, para a inclusão de estudantes Surdos em escolas públicas da Educação Básica (EB). Assim, neste recorte da pesquisa, visa-se apresentar possibilidades formativas para os licenciandos por meio das ações de um projeto de extensão que articula o Estágio Curricular Supervisionado (ECS) com o seu futuro campo de trabalho – a escola de Educação Básica. De abordagem qualitativa, trata-se de um estudo de caso como procedimento metodológico, no qual foram executadas três fases consecutivas de desenvolvimento: a fase exploratória; a coleta de dados; e a análise dos resultados obtidos. Todas as etapas do projeto foram registradas em diários de bordo e relatórios semanais produzidos pelos licenciandos, estabelecendo um subsídio documental que proporcionasse uma base para a discussão. A análise dos dados se deu por meio de uma organização sistemática, de acordo com a questão norteadora do estudo que pudessem validar as respostas encontradas pelos instrumentos de coleta de dados. A partir dos dados aferidos, conclui-se que a proposta de projetos de extensão articulados com o ECS proporcionam momentos formativos exitosos e fundamentais para a aprendizagem docente dos licenciandos em formação, assim como, promove a aproximação dos futuros professores às práticas inclusivas enfatizando a importância da inclusão de estudantes Surdos na EB.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
QUALHATO, T. F. .; BENITE, C. R. M.; NUNES, P. G. ITINERÂNCIA DO LABORATÓRIO DE ANATOMIA NA LICENCIATURA: AÇÕES INCLUSIVAS PARA SURDOS. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 17, n. 51, p. 266–284, 2024. DOI: 10.5281/zenodo.10888852. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/3727. Acesso em: 12 abr. 2024.
Seção
Ensaios

Referências

ADAMS, F. W. et al. “A educação especial em Goiás: Aspectos históricos da formação de professores”. In: SENHORAS, E. M.; MELO, C. J. R. (orgs.). Educação especial e Inclusiva: ótica docente. Boa Vista: Editora IOLE, 2023.

BABIK, I.; GARDNER, E. S. “Factors affecting the perception of disability: A developmental perspective”. Frontiers in Psychology, vol. 12, 2021.

BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Lisboa: Editora Porto, 1994.

BRASIL. Decreto n. 6.949, de 25 de agosto de 2009. Brasília: Planalto, 2009. Disponível em: . Acesso em: 21/11/2023.

BRASIL. Decreto n. 7.611, de 17 de novembro de 2011. Brasília: Planalto, 2011. Disponível em: . Acesso em: 18/09/2023.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília, Planalto, 1996. Disponível em: . Acesso em: 06/09/2023.

BRASIL. Lei n. 13.146, de 06 de julho de 2015. Brasília: Planalto, 2015. Disponível em: . Acesso em: 21/11/2023.

BRASIL. Lei n. 13.005, de 25 de junho de 2014. Brasília: Planalto, 2014. Disponível em: . Acesso em: 21/11/2023.

BRASIL. Lei n. 14.191, de 3 de agosto de 2021. Brasília: Planalto, 2021. Disponível em: . Acesso em: 21/11/2023.

CHIMIESKI, T. G.; QUADRADO, R. Q. “Pensando os corpos que habitam os currículos escolares”. Anais do VI Seminário Brasileiro de Estudos Culturais e Educação. Canoas: UFRGS, 2015.

DANGELO, J. G., FATTINI, C. A. Anatomia humana sistêmica e segmentar. Rio de Janeiro: Editora Atheneu, 2011.

FARIA, J. G. “Formação, profissionalização e valorização do professor surdo: reflexões a partir do Decreto 5.626/2005”. Revista Brasileira de Educação Especial, vol. 17, n. 1, 2011.

FORNAZIERO, C. C. et al. “O ensino da anatomia: integração do corpo humano e meio ambiente”. Revista Brasileira de Educação Médica, vol. 34, n. 2, 2010.

GATTI, B. A. “Educação, escola e formação de professores: políticas e impasses”. Educar em Revista, n. 50, 2013.

GODOY, A. S. “Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades”. Revista de Administração de Empresas, vol. 25, n. 1, 1995.

GOMES, R. R. C. et al. “The development of a didactic model to facilitate the understanding of the components and anatomical relations of the middle ear”. Revista Medicina, vol. 55, n. 3, 2022.

GRAY, L.; LEWIS, L. Use of educational technology for instruction in public schools: 2019–20. Washington: Institute of Education Sciences, 2021.

HIRSCH, S. E. et al. “Increasing preservice teachers’ knowledge and skills using a mixed-reality simulator: The tale of two studies”. Teacher Education and Special Education, vol. 46, n. 3, 2023.

HONORA, M. Inclusão educacional de alunos com surdez: concepções e alfabetização. São Paulo: Editora Cortez, 2014.

LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo: Editora Cortez, 2018.

LINS, H. A. M. et al. Plano Nacional de Educação e as políticas locais para implantação da educação bilíngue para Surdos. São Paulo: ABEU, 2016.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. A Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. Rio de Janeiro: Editora EPU, 2018.

MACIVER, D. et al. “Participation of children with disabilities in school: A realist systematic review of psychosocial and environmental factors”. PloS One, vol. 14, n. 1, 2019.

MARCUSCHI, L. A. Análise da conversação. São Paulo: Editora Ática, 2000.

MENDONÇA, N. C. S. et al. “O Ensino de Química para alunos surdos: o conceito de misturas no Ensino de Ciências”. Química Nova na Escola, vol. 39, n. 4, 2017.

NEVES, M. V. S. Uma nova proposta no ensino da Anatomia Humana: desafios e novas perspectivas (Dissertação de Mestrado Profissional em Ensino de Ciências da Saúde e do Meio Ambiente). Volta Redonda: UniFoa, 2010.

O’BRIEN, K. M. et al. “Field Experiences in Special Education Teacher Preparation: A Review of the Literature”. Teacher Education and Special Education, vol. 47, 2024.

OLIVEIRA, W. S.; DIONYSIO, R. B. “Atividades pedagógicas no ensino fundamental para alunos surdos: produção de material didático de matemática para uma prática docente bilíngue”. Revista Educação Especial, vol. 36, n. 1, 2023.

PAIVA, D. C. A. C. et al. “A potencialidade do uso de recursos imagéticos no ensino de Química para surdos”. Experiências em Ensino de Ciências, vol. 18, n. 1, 2023.

PANIAGO, R. N. Os professores, seu saber e o seu fazer: elementos para uma reflexão sobre a prática docente. Paraná: Editora Appris, 2017.

PEREIRA, L. L. S. et al. “Aula de Química e surdez: sobre interações pedagógicas mediadas pela visão”. Química Nova na Escola, vol. 33, n. 1, 2011.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e Docência. São Paulo: Editora Cortez, 2017.

QUADROS, R. M. Língua de Herança: língua brasileira de sinais. Porto Alegre: Editora Penso, 2017.

QUALLS, L. W. et al. Special Education Teachers’ Preservice Experiences With Mixed-Reality Simulation: A Systematic Review. Research Gate [2024]. Disponível em: . Acesso em: 23/02/2024.

REZENDE, L. G. G. et al. “Contribuições do uso da imagética no ensino de ciências para Surdos”. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, vol. 14, n. 1, 2023.

ROBSON, A. et al. Assessing the Impact of Interactive Educational Videos and Screencasts Within Pre-clinical Microanatomy and Medical Physiology Teaching. Cham: Springer, 2022.

ROLDÃO, M. C. et al. “O conhecimento profissional dos professores – especificidade, construção e uso da formação ao reconhecimento social”. Revista Brasileira de Formação de Professores, vol. 1, n. 2, 2009.

SANTOS, J. W. et al. “Metodologias de ensino aprendizagem em anatomia humana”. Ensino Em Re-Vista, vol. 1, n. 1, 2017.

SANTOS, M. A. et al. “Educação de surdos: uma trajetória e perspectivas na legislação”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 13, n. 39, 2023.

SHULMAN, L. “Knowledge and Teaching: Foundations of the New Reform”. Harvard Educational Review, vol. 57, n. 1, 1987.

SILVA, R. C. D. Educação de surdos nos planos estaduais e distrital de educação (Dissertação de Mestrado em Educação). Marília: UNESP, 2018.

STANCZAK, A. et al. “Special Education and Meritocratic Inclusion”. Educational Policy, vol. 38, 2024.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2014.

TARDIF, M.; LESSARD, C. O trabalho docente: Elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2014.

WIGGS N. B. et al. “A mixed-method study of paraprofessional roles, professional development, and needs for training in elementary schools”. Psychology in the Schools, vol. 58, n. 11, 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)