PRINCÍPIOS HISTÓRICO-FILOSÓFICOS DO NEOLIBERALISMO E SUA RELAÇÃO COM O MUNDO DO TRABALHO

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Francisco Glauber de Oliveira Paulino
Jarles de Medeiros
Frederico Jorge Ferreira Costa
Maria Núbia de Araújo
Antoniele Silvana de Melo Souza

Resumo

Compreender o impacto do neoliberalismo na sociedade e suas repercussões na precarização das relações contratuais no mundo do trabalho é condição fundamental para o fortalecimento da consciência crítica do sujeito que visa transcender a condição de alienação e, logo, de sua exploração. Dessa forma, este ensaio científico tem como tema a discussão acerca dos arquétipos que circunscrevem o fenômeno econômico e político neoliberal. Tem como objetivo discutir acerca da atividade do neoliberalismo nos marcos políticos, em escala global, problematizando a práxis manipulatória neoliberal no mundo do trabalho. Para tanto, partiu-se da seguinte problemática: existe alguma relação entre a origem do neoliberalismo, a sua implementação na política econômica mundial e as condições de precarização das relações de subjetivação humana e laborais? Assim, foi realizada uma breve apresentação acerca da elaboração, complexificação e desenvolvimento corrosivo da tessitura social do neoliberalismo a partir de sua ideação histórico-filosófica, aplicação inicial e expansiva e, por último, como ele operou ao chegar no Brasil. É a partir deste desiderato e de desenvolvimento social que está assentado o problema fundamental deste ensaio, que objetiva perscrutar a relação existente entre as políticas neoliberais e a piora das relações de trabalho dentro de um contexto de prática política para o desenvolvimento da sociedade capitalista e  de alienação humana. Como matriz teórico-metodológica, o estudo em tela está ancorado na perspectiva materialista e crítico-dialética, de natureza teórico-bibliográfica. Como metodologia para o levantamento de dados, foi realizada uma revisão bibliográfica acerca do estado da arte sobre o tema. Esse tipo de pesquisa requer acesso há autores que venham a somar com a temática estudada, fomentado, teoricamente, o estudo, uma vez que é possível formular questões, trazer reflexões fundamentadas acerca do objeto de estudo, além de apresentar o que vem sendo discuto na literatura a partir do conteúdo disponibilizado em livros de autores renomados de áreas como a sociologia, a filosofia e afins e de artigos científicos de revistas brasileiras e estrangeiras disponibilizados em plataformas de busca de trabalhos científicos, como a Scopus, a Sciencedirect, a SciELO e a Web Of Science, com recorte temporal entre os anos de 2019 e 2024. O corpus da pesquisa foi composto por 16 livros e 4 artigos publicados em língua portuguesa e 9 em língua inglesa e espanhola. Trata-se, portanto, de uma reflexão descritiva e exploratória que enseja explicitar a relação entre esse contexto de crise e o mundo do trabalho, destacando limites e possibilidades. As conclusões deste ensaio identificam os principais arquétipos histórico-filosóficos do neoliberalismo e a sua relação com as relações sociais vigentes na sociedade capitalista hodierna e sugerem que, embora o tema possua uma larga produção científica, ele está ainda em construção, o que requer pesquisas que lhe atualizem à luz de seus fundamentos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
PAULINO, F. G. de O.; MEDEIROS, J. de; COSTA, F. J. F.; ARAÚJO, M. N. de .; SOUZA, A. S. de M. PRINCÍPIOS HISTÓRICO-FILOSÓFICOS DO NEOLIBERALISMO E SUA RELAÇÃO COM O MUNDO DO TRABALHO. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 17, n. 49, p. 677–699, 2024. DOI: 10.5281/zenodo.10613830. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/3249. Acesso em: 26 fev. 2024.
Seção
Ensaios

Referências

ALVES, G. Trabalho e subjetividade: o espírito do toyotismo na era do capitalismo manipulatório. São Paulo: Editora Boitempo, 2011.

ANTUNES, R. A desertificação neoliberal no Brasil (Collor, FHC e Lula). Campinas: Editora Autores Associados, 2005.

ANTUNES, R. Adeus ao trabalho?: ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. São Paulo: Editora Cortez, 2011.

BAG, K.; WATKINS, S. “Structures of oppression: consulting analogies of race and caste”. New Left Review [2021]. Disponível em: . Acesso em: 23/01/2024.

BECKER, J.; HARTWICH, L.; HASLAM, S. A. “Neoliberalism can reduce well-being by promoting a sense of social disconection, competition, and lonelisses”. British Journal of Social Psychology, vol. 60, 2021.

BRAGA, R. A angústia do precariado: trabalho e solidariedade no capitalismo racial. São Paulo: Editora Boitempo, 2023.

CARVALHO, C. S. “Made a Moby-Dick: an Organizational Reading of Paulo Guedes’ Privatist Monomania as a Discursive Strategy of Neoliberal Authoritarian Leadership in Brazil”. Organizações e Sociedade, vol. 104, 2023.

CELESTINO, C. F. P. “Práticas (neo)liberais em Moçambique e o novo paradigma político para o desenvolvimento social”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 12, n. 34, 2022.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A.; SILVA, R. Metodologia Científica. São Paulo: Editora Pearson Prentice Hall, 2007.

CHAUÍ, M. “Contra a universidade operacional”. In: CHAUÍ, M. Em defesa da educação pública, gratuita e democrática. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2018.

CHOMSKY, N. Quem manda no mundo? São Paulo: Editora Planeta, 2017.

DOHERTY, C. “Topographies of capital: gender, class and nature in Freser’s critical theory”. New Left Review [2023]. Disponível em: . Acesso em: 23/01/2024.

ENGELS, F. Resumo de O capital. São Paulo: Editora Boitempo, 2023.

FOSTER, J. B. “Absolute capitalism”. Monthly Review [2019b]. Disponível em: . Acesso em: 10/01/2024.

FOSTER, J. B. “Capitalism has failed – what next?” Monthly Review [2019a]. Disponível em: . Acesso em: 10/01/2024.

FRASER, N.; JAEGGI R. Capitalismo em debate: uma conversa na teoria crítica. São Paulo: Editora Boitempo, 2020.

GEMIGNANI, M.; HERNÁNDEZ-ALBÚJAR, Y. “Neoliberal and pandemic subjectivation processes: clapping and singing as affective (re)actions during Covid-19 home confinement”. National Library of Medicine, n. 43, 2022.

GEORGE, K.; HEPBURN, K. J. “Is Neoliberalism Killing Us? A Cross Sectional Study of the Impact of Neoliberal Beliefs on Health and Social Wellbeing in the Midst of the COVID-19 Pandemic”. International Journal of Social Determinants of Health and Health Services, vol. 53, 2023.

HARVEY, D. Os sentidos do mundo: textos essenciais. São Paulo: Editora Boitempo, 2020.

LANE, A. “Martin Wolf, the crisis of democratic capitalism”. New Left Review [2023]. Disponível em: . Acesso em: 23/01/2024.

LIN, J. L.; WONG, Y. “Back to Marx: reflections on the feminist crisis at the crossroads of neoliberalism and neoconservatism”. Humanities and Social Sciences Communications, vol. 10, n. 954, 2023.

LUKÁCS, G. Estética: a peculiaridade do estético. São Paulo: Editora Boitempo, 2023.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Editora Atlas, 2017.

MARTÍNEZ, J. M. G. “Historias negadas: Migración forzada de Honduras y El Salvador a España en el siglo XXI”. Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana, vol. 31, n. 67, 2023.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos de 1844. Petrópolis: Editora Vozes, 2022.

MÉSZÁROS, I. O desafio e o fardo do tempo histórico: o socialismo no século XXI. São Paulo: Editora Boitempo, 2007.

MÉSZÁROS, I. Para além do leviatã: crítica do Estado. São Paulo: Editora Boitempo, 2021.

MISSOS, V.; DOMENIKOS, C.; PONTIS, N. “Hardening the EU core-periphery lines, 2009–2019: Dependency, neoliberalism, welfare reformation and poverty in Greece”. Structural Change and Economic Dynamics, vol. 69, 2024.

PAULINO, F. G. O. O trabalho estilhaçado: a acumulação primitiva do trabalho plataformizado (Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em Pedagogia). Fortaleza: UECE, 2022.

PAULINO, F. G. O.; ARAÚJO, M. N.; MEDEIROS, J. L. “Humanismo, práxis educativa e didática em Paulo Freire”. Revista Cocar, vol. 14, n. 30, 2020.

POLLOCK, A. et al. “Interventions to support the resilience and mental health of frontline health and social care professionals during and after a disease outbreak, epidemic or pandemic: a mixed methods systematic review”. Cochrane Database of Systematic Reviews, vol. 5, n. 11, 2020.

REDDY, G.; AMER, A. “Precarious commitments and knowledge production policies: listening to calls to reorient hegemonic social psychology”. British Journal of Social Psychology, vol. 62, 2023.

ROLNIK, R. Guerra dos lugares: a colonização da terra e da moradia na era das finanças. São Paulo: Editora Boitempo, 2019.

SAFATLE, V. “A economia é a continuação da psicologia por outros meios: sofrimento psíquico e o neoliberalismo como economia moral”. In: SAFATLE, V. et al. (orgs.). Neoliberalismo como gestão do sofrimento psíquico. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2021.

SAVIANI, D.; DUARTE, N. Conhecimento escolar e luta de classes: a pedagogia histórico-crítica contra a barbárie. Campinas: Editora Autores Associados, 2021.

SEVILLA, J. C. “Do neoliberalismo na América Latina ao kirchnerismo: novos ventos continentais?” Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 13, n. 39, 2023.

SINGER, A.; ARAUJO, C.; BELINELLI, L. Estado e democracia: uma introdução ao estudo da política. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 2021.

SOARES, A. H. R. et al. “Qualidade de vida de crianças e adolescentes: uma revisão bibliográfica”. Ciência & Saúde Coletiva, vol. 16, n. 7, 2011.