A ORDEM DAS LETRAS NA PRODUÇÃO ESCRITA: O QUE DIZEM CRIANÇAS EM PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Aline Carvalho Nascimento
Giovana Cristina Zen

Resumo

Este artigo apresenta dados da pesquisa exploratória, ancorada no marco psicogenético, cujo tema versa sobre a apropriação do sistema de escrita pelas crianças em processo de alfabetização, com objetivo principal de analisar compreensivamente as conceitualizações de crianças brasileiras que já fonetizam a escrita, trazendo as reflexões realizadas e decisões tomadas sobre a ordem das letras na produção escrita. As crianças participantes tinham 6 e 7 anos de idade e estavam cursando o 1º ano do Ensino Fundamental. A metodologia utilizada na investigação pautou-se na abordagem qualitativa, com o método clínico-crítico, que teve como procedimentos de levantamento de dados o uso de análise documental e entrevista semiestruturada. A análise dos dados respalda-se na análise de conteúdo proposta por Bardin (2016). Os resultados evidenciaram a potência dos atos de escrita e revisão pelas próprias crianças, destacando a desordem com pertinência como um fenômeno que apareceu a partir das escritas categorizadas como silábicas-alfabéticas; problemas cognitivos foram enfrentados quanto à desordem com pertinência quando havia consoante na posição de ataque duplo (consoante-consoante-vogal) e as crianças escreviam mantendo a estrutura silábica, porém em desordem, transformando a consoante-consoante-vogal em consoante-vogal-consoante ou a dissílaba em trissílaba com estrutura consoante-vogal. A partir da análise dos dados conclui-se que é fundamental considerar as ideias das crianças, como uma decisão política de oportunizar o direito de elas serem escutadas e compreendidas por meio de uma alfabetização respeitosa.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
NASCIMENTO, A. C.; ZEN, G. C. A ORDEM DAS LETRAS NA PRODUÇÃO ESCRITA: O QUE DIZEM CRIANÇAS EM PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 17, n. 49, p. 266–286, 2024. DOI: 10.5281/zenodo.10531224. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/3098. Acesso em: 26 fev. 2024.
Seção
Artigos

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Editora Edições 70, 2016.

CASSANO, C. M.; ROHDE, L. E. Phonological awareness in early childhood literacy development. Newark: International Literacy Association, 2020.

FERREIRO, E. Alfabetização em processo. São Paulo: Editora Cortez, 2001.

FERREIRO, E. Com todas as letras. São Paulo: Editora Cortez, 2008.

FERREIRO, E. O ingresso na escrita e nas culturas do escrito: seleção de textos de pesquisa. São Paulo: Editora Cortez, 2013.

FERREIRO, E.; TEBEROSKY, A. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Editora Artes Médicas, 1999.

FERREIRO, E.; ZAMUDIO, C. “A escrita das sílabas CVC e CCV no início da alfabetização escolar. A omissão de consoantes é uma prova da incapacidade para analisar a sequência fônica?” In: FERREIRO, E. O ingresso na escrita e nas culturas do escrito: seleção de textos de pesquisa. São Paulo: Editora Cortez, 2013.

FERREIRO, E.; ZEN, G. C. “Desenvolvimento da Escrita em Crianças Brasileiras”. Revista Práxis Educacional, vol. 18, n. 49, 2022.

KAUFMAN, A. M.; GALLO, A. A. Lectura y escritura: 31 preguntas y respuestas. Buenos Aires: El Ateneo, 2023.

KHAN, U. “Developing critical thinking in student seafarers: An exploratory study”. International Journal of Applied Learning and Teaching, vol. 3 n. 1, 2020

MOLINARI, M. C. “Condiciones didácticas, contextos de producción y conocimientos infantiles sobre la escritura”. In: D’ÁVILA, C. (org.). A lira do brincar: a ludicidade da educação infantil à educação universitária. Curitiba: Editora CRV, 2022.

OCDE – Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Resultados do PISA 2022: The State of Learning and Equity in Education. Paris: OECD, 2023.

OCDE – Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Resultados do PISA 2022: Aprender durante – e desde – a disrupção. Paris: OECD, 2023.

PIAGET, J. La representación del mundo en el niño. Madrid: Morata, 1984.

PROT, F. M. “L’action conjointe dans l’apprentissage de l’orthographe”. Éducation et Didactique, vol. 13, n. 3, 2019

REGO, T. C. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. Petrópolis: Editora Vozes, 2012.

ROCCO, M. T. F. “Acesso ao mundo da escrita: os caminhos paralelos de Luria e Ferreiro”. Cadernos de Pesquisa, n 75, 1990.

SCARPA, R. L. P. O conhecimento de pré-escolares sobre a escrita: impactos de propostas didáticas diferentes em regiões vulneráveis (Tese de Doutorado em Educação). São Paulo: USP, 2014.

SILVA, R. M. G.; PULINO, L. H. C. Z. “Em defesa de uma educação estética como ética do ensinar e do aprender em espaços escolares”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 14, n. 42, 2023.

ZUCATTO, L. C. et al. “Políticas públicas para a educação básica: uma revisão sistemática de literatura”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 16, n. 47, 2023.