SÍNDROME DE BURNOUT NO ENSINO REMOTO: REPERCUSSÕES NA SAÚDE FÍSICA E MENTAL DE DOCENTES E GESTORES

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Bárbarah Victória de Oliveira Gomides Rietjens
Dulcéria Tartuci
Leandra Vaz Fernandes Catalino Procópio

Resumo

As restrições sociais vividas durante a pandemia da Covid-19 obrigaram ao fechamento de lugares públicos incluindo as escolas. Com o intuito de assegurar a continuidade da atenção dada aos estudantes, se instaurou o ensino remoto e consequentemente o aumento da sobrecarga de trabalho e a insegurança entre docentes e gestores ampliando assim o risco de problemas psicossociais que afetam a saúde física e mental dos trabalhadores, intensificando o aparecimento ou o incremento do Burnout em docentes. A presente investigação qualitativa pretendeu analisar as repercussões do ensino remoto na saúde física e mental de docentes e gestores que apresentavam antecedentes de afastamento por diagnóstico prévio de problemas emocionais e/ou Burnout e que estavam em exercício durante o período da pandemia. Os participantes foram cinco professores da rede municipal pública de educação de uma cidade do leste goiano brasileiro com diagnósticos prévio de Burnout, desgaste e/ou esgotamento emocional. Para a coleta de dados se optou por realizar entrevistas semiestruturadas via plataforma Google Meet cuja análise dos dados se realizou recorrendo aos núcleos de significação. A análise das experiências narradas pelos participantes da pesquisa indica aumento do estresse e desgaste emocional em relação ao trabalho remoto, afetando aspectos da vida pessoal e o desempenho docente durante o distanciamento social. Deste modo, os fatores principais para o desenvolvimento do Burnout, como a despersonalização e baixa realização profissional, foram fatores que aparecem descritos pelos participantes como uma resposta ao sofrimento decorrente do desgaste emocional vivido durante os períodos de aulas remotas. O estudo sugere a necessidade de se estabelecer diretrizes claras para atender a este tipo de demanda virtual assim como de formação dos docentes e gestores para o uso adequado da tecnologia em contexto educativo e igualmente importante instalação de medidas de prevenção de problemas físicos e emocionais em docentes, podendo seguir assim a luta pela melhora da qualidade do ensino no país.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
RIETJENS, B. V. de O. G. .; TARTUCI, D.; PROCÓPIO, L. V. F. C. SÍNDROME DE BURNOUT NO ENSINO REMOTO: REPERCUSSÕES NA SAÚDE FÍSICA E MENTAL DE DOCENTES E GESTORES. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 17, n. 49, p. 219–238, 2024. DOI: 10.5281/zenodo.10531073. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/3041. Acesso em: 26 fev. 2024.
Seção
Artigos

Referências

AGUIAR, W. M.; OZELLA, S. “Apreensão dos sentidos: aprimorando a proposta dos núcleos de significação”. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, vol. 94, n. 236, 2013.

AGUIAR, W. M.; SOARES, J. R.; MACHADO, V. C. “Núcleos de significação: uma proposta histórico-dialética de apreensão das significações”. Cadernos de Pesquisa, vol. 45, n. 155, 2015.

BENEVIDES-PEREIRA, A. M. “O Estado da Arte do Burnout no Brasil”. Revista Eletrônica Interação Psy, vol. 1, n. 1, 2003.

BRASIL. Decreto n. 3.048, de 06 de maio de 1999. Brasília: Ministério da Previdência Social, 1999. Disponível em: . Acesso em: 05/01/2024

BRASIL. Portaria n. 329, de 11 de marco de 2020. Brasília: Ministério da Educação, 2020. Disponível em: . Acesso em: 14/11/2023

CAMPOS, D. Z. Síndrome de Burnout: o esgotamento profissional ameaçando o bem-estar dos professores (Dissertação de Mestrado em Educação). Presidente Prudente: Unoeste, 2008.

CARLOTTO, M. S. “A Síndrome de Burnout e o Trabalho Docente”. Psicologia em Estudo, vol. 7, n. 1, 2002.

CAVALCANTE, E. B. “Os Fundamentos da Pedagogia Histórico-Crítica para a Compreensão da Educação Especial e da dualidade Inclusão x Exclusão”. Anais do XI Jornada do HISTEDBR. Cascavel: UFPR, 2013.

CODO, W.; VASQUES-MENEZES, I. “Burnout, a síndrome da desistência do educador”. In: CODO, W. Educação: carinho e trabalho. Petrópolis: Editora Vozes, 2002.

DANTAS, J. C. et al. “COVID-19 e Monkeypox: o que aprendemos com as medidas de saúde pública?” Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 16, n. 48, 2023.

ESTEVES, J. M. O Mal-estar docente. Lisboa: Editora Escher, 1992.

ESTEVES, J. M.; VILA, J. V.; MARTÍNEZ, S. F. Los profesores ante el cambio social: repercusiones sobre la evolución de la salud de los profesores. Barcelona: Universidad Pedagógica Nacional, 1995.

FERNANDES PROCÓPIO, L. et al. “Los nuevos retos educativos para la educación del siglo XXI: el papel de la formación del profesorado”. Revista ETD - Educação Temática Digital, vol. 25, 2023.

FERNANDES PROCÓPIO, L.; RIETJENS, B.; TARTUCI, D. “O esgotamento profissional e Burnout: realidade prática dos professores em tempos de pandemia”. In: BRESSANIN, C. E. et al. (orgs.). Educação, História, Memória e Cultura em Debate. Porto Alegre: Editora Fi, 2021.

FERNANDES, A.; PINTO, L. H. “Os antecedentes da Síndrome de Burnout em comerciais de um Banco de retalho e o seu efeito no comprometimento afetivo”. Anais da Conferência de Investigação e Intervenção em Recursos Humanos. Setúbal: Instituto Politécnico de Setúbal, 2014.

GÓMEZ, A.; SERRA, E. “Sobre la salud mental de los profesores”. Cuadernos de Pedagogía, n. 175, 1989.

LIMA, L. A. O.; DOMINGUES JUNIOR, P. L.; GOMES, O. V. O. “Saúde Mental e Esgotamento Profissional: Um Estudo Qualitativo Sobre os Fatores Associados à Síndrome de Burnout entre Profissionais da Saúde”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 16, n. 47, 2023.

MANZINI, E. J. “Entrevista semi-estruturada: análise de objetivos e de roteiros”. Anais Seminário Internacional sobre Pesquisa e Estudos Qualitativos. Bauru: USC, 2004.

MARTÍNEZ-LÓPEZ, J. A. et al. "Psychological Impact of COVID-19 Emergency on Health Professionals: Burnout Incidence at the Most Critical Period”. Journal of Clinical Medicine, vol. 9, 2020.

MENDES, S. R. B.; SENHORAS, E. M. (orgs.). Educação e Pandemia: Ensaios Temáticos. Boa Vista: Editora IOLE, 2022.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. Rio de Janeiro: Editora Hucitec, 1993.

MORENO-JIMÉNEZ, B. et al. “La evaluación del estrés y el Burnout del profesorado: el C.B.P.R”. Revista de Psicología del Trabajo y de las Organizaciones, vol. 16, n. 2, 2000.

OMS - Organización Mundial de la Salud. Informe mundial sobre salud mental: transformar la salud mental para todos. Washington: OMS, 2022.

OTI - Organización Internacional del Trabajo. Estrés en el trabajo: un reto colectivo. Gínebra: OIT, 2016.

PASCHOALINO, J. B. Q. O professor Desencantado: Matizes do Trabalho Docente. Belo Horizonte: Editora Armazém de Ideias, 2009.

POLAINO-LORENTE, A. “El estrés de los profesores: estrategias psicológicas de intervención para su manejo y control”. Revista Española de Pedagogía, n. 157, 1982.

ROCHA, A. J. S.; NASCIMENTO, F. L. “Psicologia: análise bibliográfica da síndrome de burnout no contexto da pandemia da COVID-19”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 7, n. 21, 2021.

SANTA-CRUZ-ESPINOZA, H. et al. “Burnout y estresores en docentes durante la pandemia por COVID-19”. Revista de Pedagogía, vol. 74, n. 3, 2022.

SKAALVIK, E. M.; SKAALVIK, S. “Teacher burnout: relations between dimensions of burnout, perceived school context, job satisfaction and motivation for teaching. A longitudinal study”. Teachers and Teaching, vol. 26, n. 7, 2020.

TARTUCI, D. Re-significando o ser professor: discursos e práticas na educação de surdos (Tese de Doutorado em Educação). Piracicaba, UNIMEP, 2005.

UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. “Consequências adversas do fechamento das escolas”. UNESCO [2020]. Disponível em: . Acesso em: 02/09/2023.

UNESCO - Organización de las Naciones Unidas para la Educación, la Ciencia y la Cultura. Condiciones de trabajo y salud docente: estudios de casos en Argentina, Chile, Ecuador, México, Perú y Uruguay. Buenos Aires209 p., 2005. ISBN :956-8302-42-5

VARGAS, C. S.; LORENZI JUNIOR, D. “Afastamento do Trabalho: O Caso do Magistério Público em Uma Cidade da Região Central do Rio Grande do Sul”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 13, n. 38, 2023.

VYGOTSKY, L. S. “Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar”. In: VYGOTSKY, L. S. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 2006.