POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA DE LITERATURA

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Luis Carlos Zucatto
Karine Cecilia Finatto Begnini
Nandria Scherer
Rafaela Butzke Geloch
Estela Maris Giordani

Resumo

Este artigo apresenta discussões de políticas públicas educacionais e, neste sentido, se propõe a mapear e analisar produções científicas acerca de políticas públicas voltadas à educação básica brasileira, a partir de 1996. Trata-se de uma revisão sistemática de literatura, realizada por meio do levantamento bibliográfico de artigos publicados na Web of Science (base de dados SciELO Citation Index) e Spell no mês de julho de 2021, utilizando como descritores “Políticas Públicas” e “Educação Básica”. Após aplicados os critérios de inclusão e exclusão, para sistematizar o desenvolvimento da revisão sistemática de literatura, foram selecionados 47 artigos. A análise dos dados observou as premissas da Análise de Conteúdo, com categorização à posteriori. Como resultados, identificou-se nos estudos a predominância de três categorias: I) Permanência e inclusão de alunos na educação básica; II) Qualificação e carreira docente na educação básica e III) Avaliação da educação básica. Como principal contribuição teórica, identificaram-se as áreas que concentram os estudos, de modo que se salientou a importância das políticas públicas educacionais, e a necessidade contínua de aperfeiçoamento e qualificação da educação básica no Brasil.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
ZUCATTO, L. C.; BEGNINI, K. C. F.; SCHERER, N.; GELOCH, R. B.; GIORDANI, E. M. POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA DE LITERATURA. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 16, n. 47, p. 199–220, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.10183296. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/2646. Acesso em: 26 fev. 2024.
Seção
Artigos

Referências

ALMEIDA, M. A. B.; SANCHEZ, L. P. “Implementação da Lei 10.639/2003 - competências, habilidades e pesquisas para a transformação social”. Pro-Posições, vol. 28, n. 1, 2017.

ALVARENGA, V. M.; SILVA, M. C. R. F. “Formação Docente em Arte: percurso e expectativas a partir da Lei 13.278/16”. Educação e Realidade, vol. 43, n. 3, 2018.

ALVES, F. “Políticas educacionais e desempenho escolar nas capitais brasileiras”. Cadernos de Pesquisa, vol. 38, n. 134, 2008.

BACHRACH, P.; BARATZ, M. S. “Two Faces of Power”. American Science Review, vol. 56, n. 4, 1962.

BARBOSA, M. F. N.; ERMEDOERFER, M. “Políticas públicas: Renovações na produção científica internacional”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 1, n. 38, 2023.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Editora Edições 70, 2016.

BARRETO, A. M. R. F. “A educação infantil no contexto das políticas públicas”. Revista Brasileira de Educação, n. 24, 2003.

BORGES, H. S. et al. Políticas e programas de formação continuada de professores/as das escolas do campo em Parintins/AM: avanços e retrocessos. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 13, n. 39, 2023.

BRANDALISE, M. Â. T. “Avaliação institucional na escola pública: os (des) caminhos de uma política educacional”. Educar em Revista, n. 1, 2015.

BRASIL. Anuário Brasileiro da Educação Básica. Brasília: Ministério da Educação, 2020. Disponível em: . Acesso em: 19/08/2023.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Planalto, 1988. Disponível em: . Acesso em: 22/11/2023.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília: Planalto, 1996. Disponível em: . Acesso em: 22/11/2023.

BRASIL. Lei n. 13.005, de 25 de junho de 2014. Brasília: Planalto, 2014. Disponível em: . Acesso em: 22/11/2023.

BRASIL. Resolução n. 4, de 13 de julho de 2010. Brasília: Ministério da Educação, 2010. Disponível em: . Acesso em: 22/11/2023.

BRIDON, J.; NEITZEL, A. A. “Competências leitoras no Saeb: qualidade da leitura na educação básica”. Educação e Realidade, vol. 39, 2014.

BRITO, V. L. A. D. “O plano nacional de educação e o ingresso dos profissionais do magistério da educação básica”. Educação e Sociedade, vol. 34, n. 125, 2013.

CABRAL, P.; VIGANO, S. D. M. M. “Políticas Públicas em Educação para Formação de Professores na EJA”. Revista Brasileira de Políticas Públicas e Internacionais, vol. 2, n. 1, 2017.

CAIRNEY, P.; DENNY, E. S.; MITCHELL, H. “The future of public health policymaking after COVID-19: a qualitative systematic review of lessons from Health in All Policies”. Open Research Europe [2021]. Disponível em: . Acesso em: 22/11/2022.

CHAVES-AVILA, R.; GALLEGO-BONO, J. R. “Transformative Policies for the Social and Solidarity Economy: The New Generation of Public Policies Fostering the Social Economy in Order to Achieve Sustainable Development Goals. The European and Spanish Cases”. Sustainability, vol. 12, n. 10, 2020.

CHUEKE, G. V.; AMATUCCI, M. “O que é bibliometria? Uma introdução ao Fórum”. Internext, vol. 10, n. 2, 2015.

COELHO, M. I. D. M. “Vinte anos de avaliação da educação básica no Brasil”. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, vol. 16, n. 59, 2008.

CORDEIRO, S. D. F. N. “Jornada Ampliada e Cultura Digital: cotidiano e espaços-tempos do educar”. Educação e Realidade, vol. 42, n. 3, 2017.

CURY, C. R. J. “Políticas inclusivas e compensatórias na educação básica”. Cadernos de Pesquisa, vol. 35, n. 124, 2005.

DANTAS, A. C. L. “Sentidos históricos da educação de jovens e adultos e políticas públicas de integração da educação profissional com escolarização: diálogos entre Brasil e França”. Revista Brasileira de Educação, vol. 25, 2020.

DIAS, É. PINTO, F. C. F. “Educação e Sociedade”. Ensaio: Avaliação de Políticas Públicas em Educação, vol. 27, 2019.

DORNELLES, P. G.; WENETZ, I. “Uma análise generificada sobre projeto gênero e diversidade na escola”. Cadernos de Pesquisa, vol. 49, n. 173, 2019.

DYE, T. R. Understanding Public Policy. Washington: Pearson Edition, 2017.

ESTEVES, L. C. G. “O FUNDEF no Estado do Rio de Janeiro: a óptica dos perdedores”. Revista Brasileira de Educação, vol. 12, n. 35, 2007.

FINCO, D. “Gender equality in brazilian early childhood educational institutions”. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud, vol. 13, n. 1, 2015.

FONSECA, M. “Políticas públicas para a qualidade da educação brasileira: entre o utilitarismo econômico e a responsabilidade social”. Cadernos Cedes, vol. 29, 2009.

FRANÇA, M.; FERREIRA, M. A. S. “O conselho nacional de educação e as diretrizes para a carreira do magistério público da educação básica”. Interface, vol. 7, n. 1, 2010.

FREITAS, R. C. U.; BECKER, K.; ZUCATTO, L. C. “Formação da agenda para a ciência, tecnologia e inovação: Um estudo multicaso em Institutos Federais no Rio Grande Do Sul”. Anais X Encontro Brasileiro de Administração Pública. Brasília: UnB, 2023.

GIORGI, C. A. G. et al. “Uma proposta de aperfeiçoamento do PNLD como política pública: o livro didático como capital cultural do aluno/família”. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, vol. 22, n. 85, 2014.

HAAS, C.; GONÇALVES, T. G. G. L. “Em tempos de democratização do direito à educação: como têm se delineado as políticas de acesso à EJA aos estudantes com deficiência no Rio Grande do Sul?” Revista Brasileira de Educação Especial, vol. 21, n. 4, 2015.

HOWLETT, M.; RAMESH, M.; PERL, A. Studying public policy: principle and processes. Oxford: Oxford University Press, 2020.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. “Educação”. IBGE [2021]. Disponível em: . Acesso em: 29/07/2023.

INEP - Instituto Nacional De Estudos E Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. “Pisa 2018 revela baixo desempenho escolar em leitura, matemática e ciências no Brasil”. Portal Inep [2018]. Disponível em: . Acesso em: 04/07/2023.

JACOMINI, M. A.; PENNA, M. G. O. “Carreira docente e valorização do magistério: condições de trabalho e desenvolvimento profissional”. Pro-Posições, vol. 27, n. 2, 2016.

JESUS, D. M. D. et al. “Um olhar comparado sobre políticas de inclusão nas escolas de educação básica em Cariacica (ES)”. Cadernos Cedes, vol. 38, n. 106, 2018.

JESUS, D. M.; VIEIRA, A. B. “Políticas e práticas inclusivas no ensino fundamental: das implicações nacionais às locais”. Educar em Revista, n. 41, 2011.

MACHADO, E. N. C.; FALSARELLA, A. M. “Nova gestão pública, educação e gestão escolar”. Revista Online de Política e Gestão Educacional, vol. 24, n. 2, 2020.

MARCELINO, F. T. et al. “Estado-avaliador e a reforma do Ensino Médio no Brasil: influências e confluências”. Revista do Serviço Público, vol. 70, n. 1, 2019.

MARCHELLI, P. S. “Expansão e qualidade da educação básica no Brasil”. Cadernos de Pesquisa, vol. 40, 2010.

MATIAS-PEREIRA, J. Curso de planejamento governamental: foco nas políticas públicas e nos indicadores sociais. São Paulo: Atlas, 2012.

MATOS, A. G. S. “O letramento vernacular e suas contradições”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 9, n. 25, 2022.

MEC - Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação, 2017. Disponível em: . Acesso em: 22/11/2023.

MEC - Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: Ministério da Educação, 2013. Disponível em: . Acesso em: 22/11/2023.

MELO RIBEIRO, H. C. “Bibliometria: quinze anos de análise da produção acadêmica em periódicos brasileiros”. Biblios, n. 69, 2017.

MELO, A. et al. “Educação e trabalho na perspectiva do empresariado brasileiro: o projeto de educação básica da confederação nacional da indústria”. Cadernos Cedes, vol. 34, n. 94, 2014.

NASCIMENTO, M. M.; CAVALCANTI, C.; OSTERMANN, F. “Dez anos de instituição da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica: o papel social dos Institutos Federais”. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, vol. 101, n. 257, 2020.

NERI, A. A. M.; SOUSA JUNIOR, A. R. “PIBID e PRP: Políticas públicas necessárias na formação inicial docente”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 1, n. 1, 2020.

OECD - Organization For Economic Cooperation And Development. Financing education. OECD [2023]. Disponível em: . Acesso em: 17/11/2023.

OLIVEIRA, H. L. G.; LEIRO, A. C. R. “Políticas de formação de professores no Brasil: referenciais legais em foco”. Pro-Posições, vol. 30, 2019.

ONU - Organização das Nações Unidas. “Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”. ONU [2015]. Disponível em: . Acesso em: 19/08/2023.

PATRÍCIO, E. “O rádio educativo na percepção de professores da educação básica – O caso rádio escolar do Programa Mais Educação”. Anais do XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Rio de Janeiro: UFRJ, 2016.

PEIXINHO, A. M. L. “A trajetória do Programa Nacional Comunicação e Sociedade de Alimentação Escolar no período de 2003-2010: relato do gestor nacional”. Ciência e Saúde Coletiva, vol. 18, 2013.

PERTUZATTI, I.; DICKMANN, I. “Alfabetização e letramento nas políticas públicas: convergências e divergências com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC)”. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, vol. 27, n. 105, 2019.

PINTO, R. Â. B.; MARQUES, W.; SILVA, L. V. “O Programa Nacional de Formação de Professores - PARFOR em uma Universidade Comunitária: impactos e resultados”. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, vol. 25, n. 3, 2020.

RAGAZZO, C. E. J.; ALMEIDA, G. F. C. F. “Uma Estratégia Regulatória Local para a Educação Básica no Rio de Janeiro”. Educação e Realidade, vol. 45, n. 3, 2020.

REZENDE, L. M.; JANNUZZI, P. M. “Monitoramento do Plano de Desenvolvimento da Educação: proposta de aprimoramento do Ideb e de painel de indicadores”. Revista do Serviço Público, vol. 59, n. 2, 2008.

RIBEIRO, A. C.; JESUS, W. F. “A evolução dos recursos federais nos programas de transporte escolar: impactos na educação básica”. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, vol. 95, n. 241, 2014.

RODRIGUES, M. I. B.; SILVA, G. P. “Estado, trabalhadores e políticas públicas educacionais: A educação básica no estado do Pará e as contradições da qualidade”. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, vol. 18, 2023.

SALVINI, R. R. et al. “Avaliação do Impacto do Atendimento Educacional Especializado (AEE) sobre a Defasagem Escolar dos Alunos da Educação Especial”. Estudos Econômicos, vol. 49, n. 3, 2019.

SANTOS, P. S. M. B. Guia prático da política educacional no Brasil: ações, planos, programas e impactos. São Paulo: Editora Cengage Learning, 2012.

SAVIANI, D. “Política educacional brasileira: limites e perspectivas”. Revista de Educação PUC, n. 24, 2008.

SCHEIBE, L. “O projeto de profissionalização docente no contexto da reforma educacional iniciada nos anos 1990”. Educar, n. 24, 2004.

SCHEIBE, L. O conselho técnico-científico da educação básica da capes e a formação docente. Cadernos de Pesquisa, v. 41, n. 144, 2011.

SCIELO. “Revista Cadernos de Pesquisa: Our Mission”. Scielo [2023a]. Disponível em: . Acesso em: 15/04/2023.

SCIELO. “Revista Educação e Realidade: Our Mission”. Scielo [2023b]. Disponível em: . Acesso em: 15/04/2023.

SECCHI, L. Políticas públicas: conceitos, esquemas de análise, casos práticos. São Paulo: Editora Cengage Learning, 2016.

SENA, P. A. “Legislação do Fundeb”. Cadernos de Pesquisa, vol. 38, n. 134, 2008.

SILVA, Â. C. “Educação e tecnologia: entre o discurso e a prática”. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, vol. 19, n. 72, 2011.

SILVA, C.; LEAL, R. G. “Os programas constituidores da política pública educacional voltados à educação básica”. Revista de Investigações Constitucionais, vol. 9, n. 2, 2022.

SILVA, E. M.; FERREIRA, E. B. “Os movimentos das professoras da educação básica na constituição das políticas de gênero na escola”. Educação e Pesquisa, vol. 45, 2019.

SILVA, J. M. N.; NUNES, V. G. C. “Formação continuada docente: uma análise a partir da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB/1996) e das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial e Continuada de Professores da Educação Básica (Resolução CNE-CP 2/2015)”. Research, Society and Development, vol. 9, n. 8, 2020.

SILVA, L. A.; GARCIA, N. L. S.; BICALHO, A. C. S. “Avaliações sistêmicas da educação básica: instrumento de gestão pública da qualidade do ensino e mecanismo de controle social”. Administração Pública e Gestão Social, vol. 2, n. 4, 2010.

SOARES, A. S. “A formação do professor da Educação Básica entre políticas públicas e pesquisas educacionais: uma experiência no Vale do Jequitinhonha em Minas Gerais”. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, vol. 22, n. 83, 2014.

SOARES, T. E. A.; SOARES, D. J. M.; SANTOS, W. D. “Sistema de Avaliação da Educação Básica: revisão sistemática da literatura”. Estudos em Avaliação Educacional, vol. 32, 2021.

SOUSA, S. M. Z. L. “Possíveis impactos das políticas de avaliação no currículo escolar”. Cadernos de Pesquisa, n. 119, 2003.

SOUZA, C. “Políticas Públicas: uma revisão da literatura”. Sociologias, vol. 8, n. 16, 2006.

SOUZA, V. C. “Política de formação de professores para a educação básica: a questão da igualdade”. Revista Brasileira de Educação, vol. 19, n. 58, 2014.

SPELL - Scientific Periodicals Electronic Library. (2023). “Características”. SPELL [2023]. Disponível em: . Acesso em: 01/08/2023.

TIANTIAN, L. “Real-estate Boom, Commodification and Crises of SocialReproductive Institutions in Rural China”. Development and Change, vol. 54, n. 3, 2023.

VIANNA, C.; UNBEHAUM, S. “Gênero na educação básica: quem se importa? uma análise de documentos de políticas públicas no brasil”. Educação e Sociedade, vol. 27, n. 95, 2006.

VILELA, K. F. et al. “Implementation of the national school nourishment program in the Brazilian Federal institution of Education of Bahia State”. Ciência Rural, vol. 49, n. 9, 2019.

WEB OF SCIENCE. “Clarivate Analytics”. Web of Science [2021]. Disponível em: . Acesso em: 24/10/2023.

WERLE, F. O. C. “Políticas de avaliação em larga escala na educação básica: do controle de resultados à intervenção nos processos de operacionalização do ensino”. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, vol. 19, 2011.