A CONSTITUIÇÃO PSÍQUICA E SUA RELAÇÃO COM ATOS AUTOINFLIGIDOS: UMA COMPREENSÃO PSICANALÍTICA

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Elisa Ávila Casotti Poisk
Camilla Casotti Poisk
Agda Fernanda Mendes da Silva de Oliveira
Tânia Maria Rechia Schroeder

Resumo

O presente artigo aborda a temática de atos autoinfligidos na adolescência, compreendendo que estes são agressões direcionadas a si próprio e ao próprio corpo, como o suicídio e a autolesão. A pesquisa for norteada pela seguinte pergunta: “Sob a ótica da Psicanálise, como a constituição psíquica do adolescente está relacionada com o surgimento de atos infligidos?”, com o objetivo de compreender se a constituição psíquica do adolescente influencia ou não na prática de atos autoinfligidos. A metodologia incluiu a realização da pesquisa bibliográfica e da pesquisa de campo, mediante aplicação de entrevista semiestruturada com os adolescentes usuários do Centro de Atendimento Psicossocial Álcool e outras Drogas (CAPSad) de uma cidade do Oeste do Estado do Paraná. A análise dos dados fundamentou-se na perspectiva psicanalítica, utilizando a Análise de Conteúdo, com caráter qualitativo. Constatou-se que a constituição psíquica do adolescente influencia nos atos autoinfligidos, e os resultados foram divididos nas seguintes categorias: contexto familiar, vínculo, conflitos, visão de ser, perdas objetais, suicídio/automutilação. Diante disso, evidencia-se que este estudo é de suma importância para o mundo acadêmico e profissional, pois o referido fenômeno faz parte da sociedade atual de forma alarmante.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
POISK, E. Ávila C.; POISK, C. C.; OLIVEIRA, A. F. M. da S. de .; SCHROEDER, T. M. R. . A CONSTITUIÇÃO PSÍQUICA E SUA RELAÇÃO COM ATOS AUTOINFLIGIDOS: UMA COMPREENSÃO PSICANALÍTICA . Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 16, n. 47, p. 01–23, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.10086958. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/2473. Acesso em: 26 fev. 2024.
Seção
Artigos

Referências

ABERASTURY, A.; KNOBEL, M. Adolescência normal. Porto Alegre: Editora Artes Médicas, 1981.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Editora Edições 70, 2011.

BIRMAN, J. Mal-estar na atualidade: a psicanálise e as novas formas de subjetivação. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1999.

BRASIL. Boletim Epidemiológico. Brasília: Ministério da Saúde, 2021. Disponível em: . Acesso em: 23/09/2023.

BRASIL. Boletim Epidemiológico. Brasília: Ministério da Saúde, 2022. Disponível em: . Acesso em: 23/09/2023.

BRASIL. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. Disponível em: . Acesso em: 23/09/2023.

BRIGGS, S. et al. “Psychoanalytic understanding of the request for assisted suicide”. The International Journal of Psychoanálise, vol. 103, n. 1, 2022.

BRUNHARI, M. V. Suicídio: um enigma para a psicanálise. Curitiba: Editora Juruá, 2017.

BRUNHARI, M. V.; DARRIBA, V. “O suicídio como questão: melancolia e passagem ao ato”. Psicologia Clínica, vol. 26, n. 1, 2014.

CARDOSO, M. Adolescentes. São Paulo: Editora Escuta, 2006.

CARVALHO, S. A morte pode esperar? Clínica Psicanalítica do Suicídio. Salvador: Associação Científica Campo Psicanalítico, 2014.

CASSORLA, R. M. S. Suicídio: fatores inconscientes e aspectos socioculturais - uma introdução. São Paulo: Editora Blucher, 2017.

DEMUTH, A.; DEMUTHOVA, S. “Forms of Deliberate Self-Harm and Their Prevalence in Adolescence”. International Conference on Research in Psychology. London: Diamond Scientific Publishing, 2019

DOLTO, F. A causa dos adolescentes. São Paulo: Editora Ideias e Letras, 2004.

FREIRE, V. C. R. “Suicídio na adolescência - Reflexos do mal-estar na atualidade”. Psicologia.pt [2017]. Disponível em: . Acesso em: 20/09/2023.

FREUD, S. “Além do princípio do prazer”. In: FREUD, S. Edição Standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Editora Imago, 1996h.

FREUD, S. “Luto e Melancolia”. In: FREUD, S. Edição Standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Editora Imago, 1996g.

FREUD, S. “Neurose e psicose”. In: FREUD, S. Edição Standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Editora Imago, 1996j.

FREUD, S. “Notas sobre um caso de neurose obsessiva”. In: FREUD, S. Edição Standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Editora Imago, 1996d.

FREUD, S. “O Ego e o Id”. In: FREUD, S. Edição Standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Editora Imago, 1996i.

FREUD, S. “O mal-estar na civilização”. In: FREUD, S. Edição Standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Editora Imago, 1996l.

FREUD, S. “Prefácio para as cinco lições de psicanálise de Durval Marcondes”. In: FREUD, S. Edição Standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Editora Imago, 1996e.

FREUD, S. “Sobre a psicopatologia da vida cotidiana”. In: FREUD, S. Edição Standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Editora Imago, 1996b.

FREUD, S. “Sobre o mecanismo psíquico dos fenômenos histéricos: comunicação preliminar”. In: FREUD, S. Edição Standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Editora Imago, 1996a.

FREUD, S. “Sobre o narcisismo: uma introdução”. In: FREUD, S. Edição Standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Editora Imago, 1996f.

FREUD, S. “Três ensaios sobre a teoria da sexualidade”. In: FREUD, S. Edição Standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Editora Imago, 1996c.

GAUTHIER, M. “Automutilation et autoérotisme”. Topique, vol. 2, n. 99, 2007.

GERHARDT, T. et al. “A construção e a utilização do diário de campo em pesquisas científicas”. Anais do II Fórum Gaúcho de Saúde Coletiva. Porto Alegre: Escola de Saúde Pública do Rio Grande do Sul, 2005.

GRAY, N., HASKING, P.; BOYES, M. E. “The impact of ambivalence on recovery from non-suicidal self-injury: considerations for health professionals”. Journal of Public Mental Health, vol. 20, n. 4, 2021.

HIELSCHER, E. et al. “When the body is the target - Representations of one´s own body and bodily sensations in self-harm: a systematic review”. Neurosciense and Biobehavioral Reviews, vol. 101, 2019.

KLEIN, M. “O luto e suas relações com os estados maníaco-depressivos”. In: KLEIN, M. Amor, culpa e reparação e outros trabalhos (1921-1945). Rio de Janeiro: Editora Imago, 1996.

LACAN, J. O seminário - livro 11: os quatro conceitos fundamentais da Psicanálise. Rio de Janeiro: Editora Jorge Zahar, 1995a.

LACAN, J. O seminário - livro II: o eu na teoria de Freud e na técnica da Psicanálise. Rio de Janeiro: Editora Jorge Zahar, 1995b.

LAPLANCHE, J.; PONTALIS, J. B. Vocabulário de Psicanálise. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2014.

LARSEN, K.; ZACHRISSON, A. “Sigmund Freud and Suicide: in his life and in his writings”. American Imago, vol. 80, n. 2, 2023.

MIRANDA-MENDIZABALL, A. et al. “Gender differences in suicidal behavior in adolescents and young adults: systematic review and meta-analysis of longitudinal studies”. International Journal of Public Health, vol. 64, 2019.

OMS - Organização Mundial da Saúde. “Live life: An implementation guide for suicide prevention in countries”. OMS [2021]. Disponível em: Acesso em: 10/10/2023.

PANIAGO, I. M. L. A Resistência e a Constituição Psíquica: Implicações para a Clínica Psicanalítica (Tese de Doutorado em Psicologia Clínica e Cultura). Brasília: UnB, 2008.

PRIETO, D. Y. “O suicídio no mundo contemporâneo”. Portal TJDFT [2018]. Disponível em: Acesso em: 14/04/ 2023.

PRIETO, D. Y.; TAVARES, M. “Crise suicida - sofrimento narcísico e dificuldades nas relações de desejo”. Revista de Estudos Psicanalíticos, vol. 32, n. 1, 2014.

RASSIAL, J. J. O adolescente e o psicanalista. Rio de Janeiro: Editora Companhia de Freud, 1999.

TOWNSEND, E. et al. “Life problems in children and adolescents who self-harm: findings from the multicentre study of self-harm in England”. Child and Adolescent Mental Health, n. 4, 2022.

UH, S. et al. “Two Pathways to Self-Harm in Adolescence”. Journal of the American Academy of Child and Adolescent Psychiatry, vol. 60, n. 12, 2021.

WHITLOCK, J.; LLOYD-RICHARDSON, E. Healing self-injury: a compassionate guide for parentes and other loved ones. Oxford: Oxford University Press, 2019.

WINNICOTT, D. W. “O recém-nascido e sua mãe”. In: WINNICOTT, D. W. Os bebês e suas mães. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2006.