PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E A AGENDA 2030 DA ONU: DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS FRENTE AO DIREITO À EDUCAÇÃO INCLUSIVA

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

André Luiz Pereira Spinieli
Milena dos Santos Camargo

Resumo

Este ensaio tem por finalidade expor diferentes desafios contemporâneos que atingem frontalmente o direito à educação inclusiva de pessoas com deficiência, como contrariedade às medidas pensadas para a sustentabilidade e a inclusão social de grupos vulneráveis na Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU). Nesse sentido, abordam-se diferentes questões que afetam o direito humano em questão, como o acesso à educação inclusiva em diferentes níveis, a relação entre educação e trabalho da pessoa com deficiência e o acirramento das desigualdades pela pandemia de Covid-19, alinhadas ao papel das metas para a sustentabilidade a partir da Agenda 2030.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
SPINIELI, A. L. P. .; CAMARGO, M. dos S. . PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E A AGENDA 2030 DA ONU: DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS FRENTE AO DIREITO À EDUCAÇÃO INCLUSIVA. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 5, n. 13, p. 85–93, 2020. DOI: 10.5281/zenodo.4311522. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/14. Acesso em: 6 jul. 2022.
Seção
Ensaios

Referências

AMPID - Associação Nacional dos Membros do Ministério Público de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência e Idosos. Nota Pública de Repúdio ao Decreto nº 10.502/2020. Brasília: AMPID, 2020.

ARAÚJO, Luiz Alberto David. “A proteção das pessoas com deficiência no Brasil: a aparente insuficiência da Constituição e uma tentativa de diagnóstico”. In: ROMBOLI, Roberto; ARAÚJO, Marcelo Labanca Corrêa de (orgs.). Justiça constitucional e tutela jurisdicional dos direitos fundamentais. Belo Horizonte: Arraes, 2015.

BLANCO, Jesús Martín. “El impacto de la pandemia de la COVID19 en los derechos humanos de las personas con discapacidad”. Revista Latinoamericana en Discapacidad, Sociedad y Derechos Humanos, v. 4, n. 2, 2020.

BRASIL. Relatório nacional voluntário sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Brasília: Presidência da República do Brasil, 2017.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior 2018: notas estatísticas. Brasília: Inep, 2019.

BRASIL. Ministério da Educação e da Cultura. Parecer CNE/CP n. 5/2020. Brasília: Ministério da Educação e da Cultura, 2020.

CORRÊA, Luiza Andrade. Protocolos sobre educação inclusiva durante a pandemia da COVID-19: um sobrevoo por 23 países e organismos internacionais. São Paulo: Instituto Rodrigo Mendes, 2020.

MARTINS, Sandra Eli Sartoreto de Oliveira et al. “Inclusão de universitários com deficiência na educação superior: o que dizem as pesquisas no Brasil e Uruguai”. Jornal de Políticas Educacionais, vol. 11, n. 17, 2017.

OLIVEIRA, Cristina Borges de. “Jovens deficientes na universidade: experiências de acessibilidade?”. Revista Brasileira de Educação, v. 18, n. 55, 2013.

OLIVEIRA, Kaynã de. Aprendizado por ensino remoto pode afetar mais alunos com deficiência. Jornal da USP [2020]. Disponível em: <https://jornal.usp.br>. Acesso em: 23/11/2020.

PINA, Leonardo Docena. “Sociedade inclusiva: a face aparente do capitalismo em uma nova fase”. Filosofia e Educação, vol. 2, n. 1, 2010.

RICARDO, Luís. Nova política de educação especial propõe separação de alunos. Brasília: Sindicato dos Professores do Distrito Federal, 2020.

SASSAKI, Romeu Kazumi. “Artigo 24 – Educação”. In: RESENDE, Ana Paula C. de; VITAL, Flávia Maria de Paiva (Orgs.). A Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência comentada. Brasília: CORDE, 2008.

SOUZA, Mércia Ferreira de; VIEIRA, Denise Moraes do Nascimento; AVELAR, Kátia Eliane Santos. “Perspectiva do Brasil em atingir as metas da Agenda 2030 – educação profissional para pessoas com deficiência”. Revista Augustus, vol. 24, n. 49, 2020.

SUDO, Camila. Acessibilidade no ensino remoto. Londrina: Núcleo de Acessibilidade, 2020.