GESTÃO DA QUALIDADE EM UM SERVIÇO REFERÊNCIA PARA DOENÇAS INFECCIOSAS NO RIO GRANDE DO NORTE DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Fernanda de Lira Nunes Paulino
Flávia Christiane de Azevedo Machado
Marise Reis de Freitas

Resumo

Sob o enfoque da gestão de processos, deve-se maximizar resultados, minimizar riscos, otimizar recursos e satisfazer o usuário por meio de atividades interligadas e monitoradas de forma sistêmica. Assim, objetivou-se descrever e desenvolver a gestão de processos com foco na qualidade, em um serviço de atenção ambulatorial especializado em doenças infecciosas e tropicais cuja estruturação e início de atividades se deram durante a a pandemia da COVID-19. Para tanto, conduziu-se uma pesquisa-ação (2018-2020) em que nas fases de planejamento e ação utilizaram-se técnicas de brainstorming e grupo focal para captar percepções de lideranças do serviço para estruturar missão, diretrizes, linhas estratégicas, organograma, delinear protocolos e na fase de avaliação, fez-se um inquérito de satisfação do usuário sobre o serviço de diagnóstico de COVID-19 por meio de Google Forms® com dados analisados de forma descritiva. Por sua vez, as falas das lideranças analisadas sob enfoque qualitativo. Os 25 protocolos construídos foram validados segundo evidência científica e aplicabilidade e subsidiaram treinamentos. Quanto ao inquérito, obteve-se 97 respondentes (erro amostral de 8%, confiabilidade de 95%) que assinalaram escore satisfatório e muito satisfatório oscilando entre 71% e 77% nas variáveis investigadas, sinalizando a efetividade das atividades desenvolvidas, transpondo os desafios de recursos limitados e abertura à comunidade durante a pandemia.   

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
PAULINO, F. de L. N.; MACHADO, F. C. de A. .; FREITAS, M. R. de. GESTÃO DA QUALIDADE EM UM SERVIÇO REFERÊNCIA PARA DOENÇAS INFECCIOSAS NO RIO GRANDE DO NORTE DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 18, n. 52, p. 753–779, 2024. DOI: 10.5281/zenodo.11224385. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/4233. Acesso em: 17 jun. 2024.
Seção
Artigos

Referências

AKERMAN, M. “Desafios contemporâneos da avaliação em saúde: A trajetória reflexiva de Oswaldo Yoshimi Tanaka”. Revista Brasileira de Avaliação, vol. 11, n. 1, 2022.

ALVES, J. G. et al. “Grupo focal on-line para a coleta de dados de pesquisas qualitativas: relato de experiência”. Escola Anna Nery, vol. 27, p. e20220447, 2023.

BRASIL. Testes COVID-19: Entenda as diferenças entre RT-PCR, antígeno e autoteste. Brasília: Ministério da Saúde, 2018. Disponível em: . Acesso em: 12/03/2024.

BRASIL. Portaria n. 2031, de 23 de setembro de 2004. Brasília: Ministério da Saúde, 2018. Disponível em: . Acesso em: 12/03/2024.

CIOTTI, M. et al. “A pandemia de COVID-19”. Revisões Críticas em Ciências Laboratoriais Clínicas, vol. 57, n. 6, 2020.

FERREIRA, D. C. et al. “Patient satisfaction with healthcare services and the techniques used for its assessment: a systematic literature review and a bibliometric analysis”. Healthcare, vol. 11, 2023.

FONTANELLA, B. J. B. et al. “Amostragem em pesquisas qualitativas: proposta de procedimentos para constatar saturação teórica”. Cadernos de Saúde Pública, vol. 27, n. 2, 2011.

GOMES, R.; NASCIMENTO, E. F.; ARAÚJO, F. C. “Por que os homens buscam menos os serviços de saúde do que as mulheres? As explicações de homens com baixa escolaridade e homens com ensino superior”. Cadernos de Saúde Pública, vol. 23, n. 3, 2007.

KHAYRU, R. K.; ISSALILLAH, F. “Qualidade do serviço e satisfação do paciente na assistência à saúde pública”. Revista Internacional de Ciência, Gestão, Engenharia e Tecnologia de Serviços, vol. 1, 2022.

KRUK, M. E. et al. “High-quality health systems in the Sustainable Development Goals era: time for a revolution”. The Lancet Global Health, vol. 6, n. 11, 2018.

LIMA, A. A.; JESUS, D. S.; SILVA, T. L. Densidade tecnológica e o cuidado humanizado em enfermagem: a realidade de dois serviços de saúde. Physis: Revista de Saúde Coletiva, vol. 28, 2018.

MACHADO, F. C. A. et al. “Construção participativa de uma política de saúde para Institutos Federais”. Revista Ciência Plural, vol. 4, n. 2, 2018.

MACHADO, J.; PINHEIRO, T. H. Introdução à gestão de processos. Brasília: ENAP, 2016.

MARTINS, F. I. S. et al. “Impacto psicossocial da pandemia da COVID-19 em estudantes do ensino superior”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 18, n. 52, 2024.

MARTINS, T. C. F. et al. “Transição da morbimortalidade no Brasil: um desafio aos 30 anos de SUS”. Ciência e Saúde Coletiva, vol. 26, 2021.

MELLO, M. N. O. Processos organizacionais: estudo da importância da gestão de processos organizacionais para o desenvolvimento das atividades administrativas no Instituto de Natureza e Cultura (Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em Ciências Sociais Aplicadas). Manaus: UFAM, 2023.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Editora Hucitec, 2014

NIQUINI, R. P. et al. “SRAG por COVID-19 no Brasil: descrição e comparação de características demográficas e comorbidades com SRAG por influenza e com a população geral”. Cadernos de Saúde Pública, vol. 36, 2020.

OGRINC, G. et al. “SQUIRE 2.0 (Standards for QUality Improvement Reporting Excellence): revised publication guidelines from a detailed consensus process”. American Journal of Critical Care, vol. 24, n. 6, 2015.

ORAIBI, L. A. et al. “Nursing Professional Trends and Role of Technical and Permanent Education in the Context of New Saudi Medical Era Rooted in Arab Regions, A bibliographic Research”. Journal of Positive Psychology and Wellbeing, vol. 6, n. 2, 2022.

PEREIRA, A. C. S. et al. “Cultura organizacional dos serviços públicos de saúde na perspectiva dos profissionais de enfermagem”. ABCS Health Sciences, vol. 48, 2023.

PEREIRA, F. M. et al. “Experiência do laboratório central de Saúde Pública da Bahia no enfrentamento da pandemia da Covid-19”. Revista Baiana de Saúde Pública, vol. 45, n. 1, 2021.

SANTOS, J. L. G. et al. “Satisfação de pacientes com o cuidado de enfermagem em unidades cirúrgicas: pesquisa de método misto”. Revista Mineira de Enfermagem, vol. 23, 2019.

SATURNO, P. J. Inquéritos de satisfação, de expectativa e de relato do usuário. Natal: Editora da UFRN, 2017.

SATURNO, P. J. Padronização de atividades e diretrizes clínicas: conceitos e características. Natal: Editora da UFRN, 2017.

SILVA, N. D. M. et al. “Patient safety in organizational culture as perceived by leaderships of hospital institutions with different types of administration”. Revista da Escola de Enfermagem da USP, vol. 50, n. 3, 2016.

SLAMET, S. et al. “Impact of mission and vision on academic services mediated by governance and human resources in higher education institutions of Indonesia”. Problems and Perspectives in Management, vol. 22, n. 1, 2024.

SUVIGE - Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica do Rio Grande do Norte. Informe Epidemiológico n. 223, de 20 de novembro de 2020. Natal: SUVIGE, 2020. Disponível em: . Acesso em: 12/03/2024.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Editora Cortez, 2022.

VAN LEIJEN-ZEELENBERG, J. E. “Healthcare quality improvement by redesign: aspects of redesigning healtcare processes and the effect on quality of care”. Research Gate [2015]. Disponível em: . Acesso em: 23/01/2024.

WHO - World Health Organization. Delivering quality health services: A global imperative. New Iork: WHO, 2018. Disponível em: . Acesso em: 12/03/2024

WULANDARI, M.; SRIWAHYUNI, S.; GUNAWAN, D. “Gestão da qualidade dos serviços de saúde sobre a satisfação do paciente no hospital privado de Montella, distrito de West Aceh”. Medalion journal: Pesquisa Médica, Enfermagem, Saúde e Participação de Parteiras, vol. 2, 2023.

YAO, L. et al. “Detecção de coronavírus na vigilância ambiental e monitoramento de riscos para controle da pandemia”. Resenhas da Sociedade Química, vol. 6, 2021.

ZAGO, C. “Cultura Organizacional: formação, conceito e constituição”. Sistemas e Gestão, vol. 8, n. 2, 2013.