A EXTREMA DIREITA E OS IMPACTOS SOCIOTERRITORIAIS DA ANTIPOLÍTICA BOLSONARISTA

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Carlos Alberto Franco da Silva
Aumeri Carlos Bampi

Resumo

O tema deste estudo é o bolsonarismo como fenômeno sociopolítico de extrema direita. A abordagem do tema se volta para dois objetivos, a saber: 1) a análise da ideologia do grupo de massa reacionário bolsonarista; 2) e os rebatimentos geográficos do governo Bolsonaro no território do país. A metodologia se apoia em dois pilares complementares. De início, observa-se um resgate teórico da extrema direita no mundo e a força da sua visibilidade política no bolsonarismo. Para a análise do bolsonarismo, o estudo se apoia na filosofia política de Hannah Arendt e Nietzsche, na filologia da linguagem nazista de Klemperer, na psicologia de grupo e de massas de Freud e na antipolítica nos termos de Leonardo Avritzer. O resultado do estudo assegura que o bolsonarismo assumiu uma raiz fundamentalista cristã, neoliberal, militarista e romântica. Os impactos no território brasileiro se observam no trato das questões ambientais, agrárias, urbanas, geopolítica internacional e na organização em rede política de uma extrema direita refratária à vida na sua pluralidade e ao recurso à luta de classes. A conclusão sustenta que o bolsonarismo constituiu-se em uma ideologia antipolítica de extrema direita fundamentalista cristã, neoliberal e niilista.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
SILVA, C. A. F. da; BAMPI, A. C. A EXTREMA DIREITA E OS IMPACTOS SOCIOTERRITORIAIS DA ANTIPOLÍTICA BOLSONARISTA. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 17, n. 51, p. 172–203, 2024. DOI: 10.5281/zenodo.10882982. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/3715. Acesso em: 12 abr. 2024.
Seção
Ensaios

Referências

ALVES, R. P. “Os tribunais como máquinas de guerra do Estado fascista italiano em Alfredo Rocco e suas repercussões no pensamento e atuação política de Francisco Campos, o jurista do Estado Novo”. Revista Estudos Institucionais, vol. 7, n. 3, 2021.

ARENDT, H. Eichmann em Jerusalém. São Paulo: Editora Companhia das Letras, 1999.

ARENDT, H. Origens do totalitarismo. São Paulo: Editora Companhia das Letras, 2012.

ARIAS, E.; MARIE BURT, J. “The New Extreme Right in Latin America”. Latin American Studies Association, vol. 54, n. 4, 2023.

AVRITZER, L. Política e antipolítica: a crise do governo Bolsonaro. São Paulo: Editora Todavia, 2020.

BALBIM, R. “A geopolítica das cidades e a nova agenda urbana”. Ipea: Boletim Regional, Urbano e Ambiental, n. 17, 2017.

BOBBIO, N. Derecha e izquierda: razones y significados de una distinción política. Santillana: Taurus, 1995.

BOHOSLAVSKY, E.; BROQUETAS, M. “Latin America’s New Right Wings: Shifting Ideologies, Transnational Ties”. NACLA Report on the Americas, vol56, 2024.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Editora Bertrand, 1989.

CANETTI, E. Massa e poder. São Paulo: Editora Companhia das Letras, 2013.

CARRANZA, B.; TEIXEIRA, A. C. C. “Ultraconservadorismo católico: mimesis dos mecanismos da erosão democrática brasileira”. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, n. 119, 2023.

CHRISTIE, E H. “Political subversion in the age of social media”. European View, vol. 18, n. 1, 2019.

CPT - Comissão Pastoral da Terra. Conflitos no campo: Brasil 2021. Goiânia: CPT Nacional, 2022.

DUARTE, K. A. “Dominação burguesa entre o velho e o novo: a ascensão da extrema direita no Brasil”. Serviço Social e Sociedade, vol. 146, n. 3, 2023.

EATWELL, R.; GOODWIN, M. Nacional-populismo: A revolta contra a democracia liberal. São Paulo: Editora Record, 2021.

ESCOFFIER, S.; PAYNE, L. A.; ZULVER, J. “Introduction: The right against rights in Latin America”. In: PAYNE, L. A.; ZULVER, J.; ESCOFFIER, S. (eds.). The Right against Rights in Latin America. Oxford: Oxford University Press, 2023.

FAROOQ, G. “Politics of Fake News: how WhatsApp became a potent propaganda tool”. India: Media Watch, vol. 9, n. 1, 2018.

FIESCHI, C. Populocracy: the tyranny of authenticity and the rise of populism.Comparative Political Economy. London: Agenda Publishing, 2019.

FREUD, S. Psicologia de grupo e a análise do ego. Rio de Janeiro: Editora Imago, 1976

GENTILE, E.; FELICE, R. A Itália de Mussolini e a origem do fascismo. São Paulo: Editora Ícone, 1988.

GIRARDET, R. Mitos e mitologias políticas. São Paulo: Editora Companhia das Letras, 1987.

HAN, B. C. No enxame: perspectiva do digital. Petrópolis: Editora Vozes, 2018.

HARRIS, B. “Brazil’s Conservative Carnival Tries to Put on Brave Face in Era of Resurgent Left”. Financial Times [2023]. Disponível em: . Acesso em: 18/03/2024.

IPAM - Instituto de Pesquisa da Amazônia. “Florestas Públicas não destinadas e grilagem”. IPAM [2021]. Disponível em: . Acesso em: 12/11/2023.

KALTWASSER, C. R. “The Far-right in Latin America: definitions and explanation”. The European Consortium for Political Research Staré Město: Charles University, 2023.

KLEMPERER, V. LTI - A linguagem do Terceiro Reich. Rio de Janeiro: Editora Contraponto, 2009.

LACERDA, M. “Contra o comunismo demoníaco: o apoio evangélico ao regime militar brasileiro e seu paralelo com o endosso da direita cristã ao governo Bolsonaro”. Religião e Sociedade, vol. 42, 2022.

MACHADO, R. “Zaratustra, tragédia nietzschiana”. Youtube [1997]. Disponível em: . Acesso em: 18/03/2024.

MAIA, T. A. “Negacionismo histórico e emergência da extrema direita A crise do regime moderno de historicidade no Brasil (2019-2022)”. Varia Historia, vol. 39, n. 81, 2023.

MAPBIOMAS. Relatório anual do desmatamento no Brasil. São Paulo: MAPBbiomas, 2022.

MARINGONI, G. et al. As bases da política externa bolsonarista. Santo André: Editora da UFABC, 2021.

MUDDE, C. A extrema direita de hoje. Rio de Janeiro: Editora da UERJ, 2022.

MUSSOLINI, B.; GENTILE, G. A doutrina do fascismo. São Paulo: Editora Lebook, 2020.

NIETZSCHE, F. A vontade de poder. Rio de Janeiro: Editora Contraponto, 2008.

O’NEIL, C. Algoritmos de Destruição em Massa: como o big data aumenta a desigualdade e ameaça a democracia. Santo André: Editora Rua do Sabão, 2020.

OLIVEIRA, A. E. C. “2021 em contraponto ao projeto de morte e suas crises, a mobilização da Esperança”. CIMI - Conselho Indigenista Missionário. Violência contra os povos indígenas do Brasil. Brasília: CNBB, 2022.

REICH, W. Psicologia das massas do fascismo. São Paulo: Editora Martins Fontes, 1980.

REIS, D. A. “Notas para compreensão do Bolsonarismo”. Estudos Ibero-Americanos, vol. 46, 2020.

SALGADO, C.; CASARÕES, G.; ZARAKOL, A. “Forum: Populist Radical Right & Illiberal Foreign Policymaking”. Contexto Internacional, vol. 45, 2023.

SASSOON, D. Mussolini e a ascensão do fascismo. São Paulo: Editora Agir, 2009.

STUMM, M. “As entrelinhas do debate público sobre economia e política no Brasil”. Blog Nuances [2020]. Disponível em: . Acesso em: 15/01/2024.

TAKEMOTO, S. “Desmonte da Caixa Econômica Federal coloca em risco programas sociais”. In: SANTOS JÚNIOR O. A.; MOROSO, K. (orgs.). Dossiê de Monitoramento das Políticas Urbanas Nacionais 2021: direito à cidade e reforma urbana em tempos de inflexão conservadora. Rio de Janeiro: Editora dos Autores, 2021.

TEITELBAUM, B. R. Guerra pela eternidade: o retorno do tradicionalismo e a ascensão da direita populista. Campinas: Editora da Unicamp, 2020.

TEIXEIRA, M. M.; MONTEZUMA, T. F. “Mapeando os conflitos por água no Brasil: principais indicadores, sinais de alerta e ameaças para a defesa das águas como bens comuns”. In: COMISSÃO PASTORAL DA TERRA. Conflitos no campo Brasil. Brasília: CPT, 2022.

VOMMARO, G. “La ultraderecha en Argentina: Entre el oportunismo y la innovación de Milei”. Fundación Friedrich Ebert [2023]. Disponível em: . Acesso em: 21/03/2024.