ESTUDOS PARA A PAZ E REFÚGIO: AS VIOLÊNCIAS SOFRIDAS POR VENEZUELANOS NOS PROCESSOS DE CHEGADA E DE INTEGRAÇÃO NA SOCIEDADE BRASILEIRA

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Thiago Augusto Lima Alves

Resumo

A crise humanitária vivenciada na Venezuela tem causado o aumento do número de solicitações de refúgio no Brasil. De acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), desde 2014, mais de 4,5 milhões de venezuelanos já saíram do país, o que torna essa uma das mais recentes e maiores crises de deslocamento forçado no mundo. Uma vez que o Estado venezuelano não oferece meios de sobrevivência digna e segura, as pessoas buscam formas de reação. O refúgio é resultado de processos violentos, e esse tipo de deslocamento pode ser considerado risco e ameaça (teoria da securitização) ou necessidade e direito. Apesar de o Brasil apresentar vários acordos assinados e leis de proteção já estabelecidas, é necessário investigar se o território brasileiro, para os refugiados venezuelanos, é uma extensão das violências vividas na Venezuela. Nesse âmbito, este artigo problematiza os processos de securitização e as várias facetas da violência (direta, cultural e/ou simbólica) que envolvem essas pessoas. O objetivo geral do trabalho é estabelecer uma reflexão sobre as violências sofridas pelos refugiados venezuelanos nos processos de chegada ao Brasil e de integração na sociedade brasileira. A incursão metodológica desta investigação é direcionada por abordagens de pesquisa qualitativa e por método indutivo. O procedimento metodológico é bibliográfico e documental. Como considerações finais, verifica-se que, apesar de haver uma política migratória defensora dos direitos humanos dos refugiados, algumas adversidades ainda estão presentes, como a efetivação das legislações, o que corresponde a uma violência estrutural; também podem ser constatados abusos diretos e culturais, quando narrativas são criadas para dificultar e causar sofrimento à vida dessas populações.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
LIMA ALVES, T. A. ESTUDOS PARA A PAZ E REFÚGIO: AS VIOLÊNCIAS SOFRIDAS POR VENEZUELANOS NOS PROCESSOS DE CHEGADA E DE INTEGRAÇÃO NA SOCIEDADE BRASILEIRA. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 8, n. 23, p. 09–19, 2021. DOI: 10.5281/zenodo.5610298. Disponível em: http://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/485. Acesso em: 9 dez. 2021.
Seção
Artigos

Referências

AGER, A.; STRANG, A. “Understanding integration: a conceptual framework”. Journal of Refugee Studies, vol. 21, n. 2, 2008.

AMARAL, R. A. D. “Considerações sobre a violência pela ótica de Johan Galtung: alguns aspectos do terrorismo e o advento da intolerância”. Cadernos de Campo: Revista de Ciências Sociais, n. 19, 2015.

BALZACQ, T. “The Three Faces of Securitization: political agency, audience and context”. European Journal of International Relations, vol. 11, n. 2, 2005.

BAUMAN, Z. Vidas desperdiçadas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

BRAH, A. “Diferença, diversidade, diferenciação”. Cadernos Pagu, n. 26, 2006.

CRISP, J. “The local integration and local settlement of refugees: a conceptual and historical analysis”. New Issues in Refugee Research. Geneva: UNHCR, 2004.

GALTUNG, J. Peace by peaceful means: Peace and conflict, development, & civilization. London: Sage Publications & International Peace Research Association, 1996.

GALTUNG, J. Peace: Research, education, action (Essays in Peace Research, vol. 1). Copenhagen: Christan Ejlers, 1975.

GALTUNG, J. Three approaches to peace: Peacekeeping, peacemaking, peacebuilding, Peace, war and defense (Essays in Peace Research, vol. 2). Copenhagen: Christian Ejlers, 1976.

IOM - International Organization for Migration. “World Migration Report 2020”. Portal Eletrônica da IOM [2020]. Disponível em: <https://iom.int>. Acesso em: 07/10/2021.

IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. “Migrantes, apátridas e refugiados: subsídios para o aperfeiçoamento de acesso a serviços, direitos e políticas públicas no Brasil”. Pensando o Direito, n. 57, 2015.

JACOBSEN, K. “The Forgotten Solution: local integration of refugees in developing countries”. New Issues in Refugee Research: Working Paper, n. 45, 2001.

KUHLMAN, T. “The Economic Integration of Refugees in Developing Countries: A Research Model”. Journal of Refugee Studies, vol. 4, n. 1, 1991.

MAHLKE, H. Direito Internacional dos refugiados: novo paradigma jurídico. Belo Horizonte: Arraes Editores, 2017.

MARQUES, T. S.; MATOS, F.; MAIS, C.; RIBEIRO, D. “Crise e vulnerabilidade social: uma leitura territorial”. In: LOURENÇO, L. (coord.). Geografia, Paisagem e Riscos. Coimbra: Universidade de Coimbra, 2016.

MOREIRA, J. B. “Refugiados no Brasil: reflexões acerca do processo de integração local”. REMHU – Revista Interdisciplinar de Mobilidade Humana, n. 43, julho/dezembro, 2014.

NYERS, P. Rethinking refugees: beyond states of emergency. London: Routledge, 2005.

SAYAD, A. A imigração ou os paradoxos da alteridade. São Paulo: EdUSP, 1998.

SENHORAS, E. M. “Dinâmica Fronteiriça das Cidades-Gêmeas entre Brasil e Guyana”. Revista Geonorte, vol. 7, n. 1, 2013.

SILVA, L. R. “Educação e migração haitiana: um estudo de caso a partir de galtung e fanon”. Educação por Escrito, vol. 10, n. 2, 2020.

USP – Universidade de São Paulo. Biblioteca Virtual de Direitos Humanos. “Programa Nacional de Direitos Humanos - PNDH, 1996”. Portal Eletrônico da Biblioteca Virtual de Direitos Humanos. Disponível em: <http://www.direitoshumanos.usp.br>. Acesso em: 27/06/2021.