COMÉRCIO INFORMAL NOS TRENS URBANOS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Romero Albuquerque Maranhão

Resumo

O comércio informal é um fenômeno global. No Brasil, o trabalho ambulante já se fazia presente no período da colonização portuguesa e imperial, com a venda de diversos produtos como frutas, doces, pães e bebidas caseiras nas ruas das grandes cidades, em especial no Rio de Janeiro. Com a expansão da malha ferroviária, os ambulantes passaram a acompanhar o fluxo de passageiros e comercializar diversas mercadorias, de gêneros alimentícios à acessórios para aparelhos celulares nas plataformas e vagões dos trens. Este estudo de abordagem etnográfica, apresenta o comércio informal nos trens da cidade do Rio de Janeiro durante a pandemia, a partir dos ambulantes e suas condições de trabalho. Os resultados apontam que o número de ambulantes aumentou durante a pandemia, bem como a variedade de produtos oferecidos ao público. Além disso, indicam que os clientes reduziram, seja pelas condições sanitárias impostas pelo Governo, seja pela perda do poder aquisitivo.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
ALBUQUERQUE MARANHÃO, R. COMÉRCIO INFORMAL NOS TRENS URBANOS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 8, n. 22, p. 57–70, 2021. DOI: 10.5281/zenodo.5535074. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/470. Acesso em: 9 dez. 2021.
Seção
Artigos

Referências

BARSETTI, S. “Trabalhadores ambulantes dos trens são declarados Patrimônio Imaterial do Estado”. Diário do Rio [07/01/2021]. Disponível em: <https://diariodorio.com/>. Acesso em: 05/09/2021.

BRASIL. Decreto n. 2.041, de 27 de fevereiro de 1940. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 02/09/2021.

BRASIL. Decreto n. 1.832, de 4 de março de 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 02/09/2021.

BRITO, D. S.; SOUZA, W. L. “A importância do uso de equipamentos de proteção individual e a segurança dos alimentos manipulados por ambulantes no município de João Pessoa/PB”. Nutrição Brasil, vol. 18, n. 2, 2019.

BRUM, J. L. S. “Lugares em movimento: corporeidade e lugar nos trens urbanos do Rio de Janeiro”. Ensaios de Geografia, vol. 3, n. 5, 2014.

CENTRAL. “Supervia”. Portal Eletrônico da Companhia Estadual de Engenharia de Transportes e Logística – CENTRAL [30/08/2021]. Disponível em: <http://www.central.rj.gov.br>. Acesso em: 02/09/2021.

CHAGAS, J. S. Informalidade e performance mercantil nas ferrovias da Região Metropolitana do Rio de Janeiro (Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em Sociologia). Niterói: UFF, 2018.

CHIGUDU, D. et al. “Street Entrepreneurship in the Wake of Covid-19: The Dilemma of Street Vending and Strategies for Endurance”. International Journal of Economics & Business Administration (IJEBA), vol. 9, n. 1, 2021.

CHINNAPPAN, D. “Formalising the Quandary of the Informal sector: A Study of the Female Hawkers in the Local Trains of Mumbai”. The Rights, vol. 2, n. 1, 2016.

CNN BRASIL. “Rio suspende reajuste de passagem de trens urbanos, previsto para esta quinta”. Portal Eletrônico da CNN Brasil [01/07/2021]. <https://www.cnnbrasil.com.br>. Acesso em: 06/09/2021.

DUTTON, R. Estratégias e Táticas nos Trens da Supervia (Dissertação de Mestrado em Ciências Sociais). Rio de Janeiro: PUC, 2012.

FECOMÉRCIO. “Aumento da informalidade no Rio traz desafios à segurança pública”. Portal Eletrônico da Fecomércio [11/10/2018]. Disponível em: <http://www.fecomercio-rj.org.br>. Acesso em: 02/09/2021.

HART, K. “Informal income opportunities and urban employment in Ghana”. The Journal of Modern African Studies, vol. 11, n. 1, 1973.

JORDÃO, A. P. F.; STAMPA, I. T. “Trabalho precário em pauta: a experiência dos ambulantes nos trens da RMRJ”. Revista Em Pauta: teoria social e realidade contemporânea, vol. 14, n. 37, 2016.

JORNAL O SÃO GONÇALO. “Ambulante é flagrado supostamente vendendo cloroquina em trem no Rio”. Jornal O São Gonçalo [05/08/2020]. Disponível em: <https://www.osaogoncalo.com.br>. Acesso em: 05/09/2021.

LIMA, J. C. “Precariedade: a barbárie assume seu protagonismo”. Portal Eletrônico Outras Palavras [27/05/2019]. Disponível em: < https://outraspalavras.net>. Acesso em: 02/09/2021.

MARANHÃO, R. A. “Os cientistas sociais no combate ao coronavírus e contra a necropolítica: primeiras batalhas”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 2, n. 5, 2020.

MARANHÃO, R. A.; SENHORAS, E. M. “Pacote econômico governamental e o papel do BNDES na guerra contra o novo coronavírus”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 2, n. 4, 2020.

MONITOR MERCANTIL. “Trabalho informal foi o que mais sofreu impacto negativo na pandemia”. Jornal Monitor Mercantil [30/03/2021]. Disponível em: <https://monitormercantil.com.br>. Acesso em: 02/09/2021.

PERELMAN, M. D. “Trabajar en los trenes: la venta ambulante en la ciudad de Buenos Aires”. Horizontes antropológicos, vol. 19, n. 39, 2013.

PIRES, L. Arreglar não é pedir arrego: Uma etnografia de processos de administração institucional de conflitos no âmbito da venda ambulante em Buenos Aires e Rio de Janeiro (Tese de Doutorado em Antropologia). Niterói: UFF, 2010.

PORTILHO, L. “Cigarro vendido pela milícia dá prejuízo de R$ 372 milhões”. Jornal Meia Hora [19/05/2019]. Disponível em: <https://www.meiahora.com.br>. Acesso em: 06/09/2021.

SANTOS, R. B. “Comércio informal no transporte ferroviário do Rio de Janeiro”. Anais do XVI Simpósio Nacional de Geografia Urbana-XVI SIMPURB. Vitória: UFES, 2019.

SEABRA, L. B. “O trabalho informal nas ruas do Rio de Janeiro como meio de sobrevivência”. Anais da IV Jornada Internacional de Políticas Públicas. São Luís: UFMA, 2009.

SILVA, A. M. C. “Super-via”: transportando preconceitos, (in) criminando os excluídos. Pensamento Plural, n. 2, 2014.

SILVA, M. S. “Morre de corona ou morre de fome”: o risco dual dos trabalhadores ambulantes frente à pandemia da COVID-19. Áltera, vol. 2, n. 10, 2020.

SUPERVIA. “Quem Somos”. Portal Eletrônico da SuperVia [02/06/2021]. Disponível em: <https://www.supervia.com.br>. Acesso em: 02/09/2021.

WILLEMSE, L. “The vicious cycle of constraints: Foreign informal street traders in Johannesburg and Tshwane, South Africa”. Life in a Changing Urban Landscape, vol. 1, 2013.