CIDADES POLOS: DA GLOBALIZAÇÃO AOS CONCEITOS CONTEMPORÂNEOS DE DESENVOLVIMENTO URBANO

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Mara Aparecida Barnaski Fagundes
Lidiane Kasper
Jorge Oneide Sausen
Sergio Luis Allebrandt

Resumo

A crescente globalização impulsiona as cidades a buscarem modelos de desenvolvimento que promovam a equidade e a qualidade de vida para seus cidadãos. Este estudo analisa a presença dos conceitos de cidade inteligente, humana, sustentável, educadora e saudável nas licitações homologadas das cidades polos da Região Noroeste do Rio Grande do Sul. Através da análise de licitações e revisão bibliográfica, o estudo identifica a presença e inter-relações entre os conceitos nas cidades em questão. Os resultados demonstram que as cidades polos da Região Noroeste do RS apresentam características de cidades inteligentes e sustentáveis, evidenciadas nas licitações analisadas. A presença dos conceitos de cidade inteligente e sustentável nas licitações demonstra um direcionamento para o desenvolvimento urbano em consonância com as demandas do século XXI.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
FAGUNDES, M. A. B. .; KASPER, L.; SAUSEN, J. O.; ALLEBRANDT, S. L. CIDADES POLOS: DA GLOBALIZAÇÃO AOS CONCEITOS CONTEMPORÂNEOS DE DESENVOLVIMENTO URBANO. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 18, n. 54, p. 26–51, 2024. DOI: 10.5281/zenodo.12590008. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/4651. Acesso em: 14 jul. 2024.
Seção
Artigos

Referências

ANDRADE, S. M.; STEFANO, S. R.; ZAMPIER, M. “Metodologia da Pesquisa”. Portal Unicentro [2017]. Disponível em: . Acesso em: 16/03/2024.

BANISTER, D. “The sustainable mobility paradigma”. Transport Policy, vol. 15, n. 2, 2008.

BOUDEVILLE, J. Los espacios economicos. Buenos Aires: Editora Eudeba, 1969.

BRASIL. Índice Firjan de Gestão Fiscal. Rio de Janeiro: Firjan, 2024. Disponível em: . Acesso em: 03/04/2024.

BRASIL. Portal da Transparência. Brasília: Controladoria Geral da União, 2023. Disponível em: . Acesso em:15/03/2024.

CAPROTTI, F. et al. “The new urban agenda: key apportunities and challenges for policy and practice”. Urban Research e Practice, vol. 10, n. 3, 2017.

CARAGLIU, A. et al. “Smart Cities in Europe”. Journal of Urban Technology, vol. 18, n. 2, 2009.

CARTA DAS CIDADES EDUCADORAS. “Declaração de Barcelona – 1990”. Associação Internacional de Cidades Educadoras [1990]. Disponível em: . Acesso em: 26/03/2024.

COHEN, B. “The 3 generations of smart cities: inside the development of the technology driven city”. FastCompany [2015]. Disponível em: . Acesso em: 16/03/2024.

COHEN, B.; ALMIRALL, E.; CHESBROUGH, H. “The city as a lab: open innovation meets the collaborative economy”. California Management Review, vol. 59, n. 1, 2016.

CRANE, M. “Transforming cities for sustainability: a health perspective”. Environment International, vol. 147, n. 1, 2021.

DAMERI, R. P. “Searching for smart city definition: a comprehensive proposal”. International Journal of Computers and Technology, vol. 11, n. 5, 2013.

FRESCA, T. M. “Rede urbana e divisão territorial do trabalho”. Revista Geografia, vol. 19, n. 2, 2010.

GAUTHIER, B. Recherche Sociali – De la problematique a la collecte des donnees. Québec: Presses de I’Université du Québec, 1984.

GIFFINGER et al. “Smart cities-ranking of european medium-sized cities”. Technical Report, vol. 12, n. 1, 2007.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Editora Atlas, 2008.

GODOY, A. S. “Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais”. Revista de Administração de Empresas, vol. 35, n. 3, 1995.

HARIRAM, N. P. et al. “Sustainalism: na integrated socio-economic-environmental model to address sustainable development and sustainability”. Sustainability, vol. 15, n. 13, 2023.

HARRISON C. et al. “Foundations for smarter cities”. IBM Journal of Research and Development, vol. 54, n. 4, 2010.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico de 2022. Rio de Janeiro: IBGE, 2022. Disponível em: . Acesso em: 01/04/2024.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE Cidades 2022. Rio de Janeiro: IBGE, 2022. Disponível em: . Acesso em: 02/04/2024.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Painel de Indicadores do IBGE 2022. Rio de Janeiro: IBGE 2010. Disponível em: . Acesso em: 02/04/2024.

KAYSER, B. A geografia ativa. São Paulo: Editora Difusão Européia do Livro, 1968.

LIMENA, M. M. C. “Cidades complexas no século XXI: ciência, técnica e arte”. Perspectiva, vol. 15, n. 3, 2001.

MARTINS, G. A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Editora Atlas, 2009.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Editora Vozes, 2001.

MULROW, C. D. “Rationale for systematic reviews”. BMJ, vol. 309, n. 1, 1994.

OECD – Organisation for Economic Co-operation and Development. OECD Work on Cities. Paris: OECD 2024. Disponível em: . Acesso em: 28/06/2024.

OLIVEIRA, M. M. F. Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis: Editora Vozes, 2007.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa Social: métodos e técnicas. São Paulo: Editora Atlas, 1985.

RONCAYOLO, M. La ville et ses territoires. Paris: Editora Gallimard, 1990.

ROTTA, E.; REIS, C. N. “Desenvolvimento diferenciado e políticas sociais: uma análise do Noroeste do Rio Grande do Sul na década de 1990”. Anais do IV Seminário Internacional sobre Desenvolvimento Regional. Santa Cruz do Sul: UNISC, 2008.

SACHS, I. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Editora Garamond, 2002.

SANTOS, E. S. “Efeitos do ‘Programa Mais Médicos’ e ‘Minas Consciente’ no combate à pandemia de Covid 19”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 18, n. 53, 2024.

SOJA, E. “Algunas consideraciones sobre el concepto de ciudades-región globales”. Cadernos do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional da Universidade Federal do Rio de Janeiro - IPPUR, vol. 20, n. 2, 2006.

SOUTO, R. L. S. et al. “Cidade, região, hierarquia de cidades e redes urbanas: uma proposta de revisão teórica”. Revista de Desenvolvimento Econômico, vol. 2, n. 37, 2017.

STEFFEN, W. et al. “Trajectories of the earth system in the anthropocene”. Perspective: Earth, Atmospheric, and Planetary Sciences, vol. 115, n. 33, 2018.

UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. UNESCO Global Network of Learning Cities. Paris: UNESCO, 2024. Disponível em: . Acesso em: 28/06/2024.

VASCONCELOS, P. A. “As metamorfoses do conceito de cidade”. Revista Mercator, vol. 14, n. 4, 2016.

WEBER, M. The City. New York: Editora The Free Press, 1913.