MENSAGENS ELETRÔNICAS INSTANTÂNEAS COMO RECURSO DIDÁTICO NA EDUCAÇÃO

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Kerolaine Aparecida Oniesko Rodrigues
Jerry Adriano Raimundo

Resumo

O presente texto discute as potencialidades e dificuldades do uso de mensagens eletrônicas instantâneas como recurso didático na educação. A pesquisa observa o trabalho docente, com o uso deste recurso, em rede intersubjetiva, reconhecendo suas possibilidades, em função da construção do conhecimento. Este ensaio discute o processo de comunicação e experiência dos docentes, com a utilização destas mídias. As mensagens eletrônicas instantâneas modificaram o nosso modo de perceber o mundo e, assim, o nosso modo de aprender. Estas mensagens aparecem como inovadoras enquanto recurso didático, principalmente porque alavancam a interação humana. Porém, a massificação das mensagens na instituição escolar pode acarretar na reificação docente.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
RODRIGUES, K. A. O.; RAIMUNDO, J. A. . MENSAGENS ELETRÔNICAS INSTANTÂNEAS COMO RECURSO DIDÁTICO NA EDUCAÇÃO. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 7, n. 21, p. 59–71, 2021. DOI: 10.5281/zenodo.5276804. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/452. Acesso em: 25 out. 2021.
Seção
Ensaios

Referências

ANNIE. “O tempo diário gasto com aplicativos”. APP Annie [15/07/2021]. Disponível em: <https://www.appannie.com>. Acesso em: 29/07/2021.

BECHARA, I. (org.). Dicionário da Academia Brasileira de Letras. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2011.

BEHRENS, M. A. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica. Campinas: Editora Papirus, 2005.

BOTTENTUIT JUNIOR, J. B.; ALBUQUERQUE, O. C. P.; COUTINHO, C. P. “Whatsapp e suas aplicações na educação: uma revisão sistemática da literatura”. Educa Online, vol. 10, n. 2, 2016.

CASTELLS, M. Redes de indignação e esperança. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

CONTRERAS, J. A autonomia de professores. São Paulo: Editora Cortez, 2012.

FERREIRA, J. L.; CORRÊA, B. R. P. G.; TORRES, P. L. “O uso pedagógico da rede social Facebook”. Colabor@ A Revista Digital da CVA-RICESU, vol. 7, n. 28, 2013.

FERREIRA, J. L.; MACHADO, M. F. R. C.; ROMANOWSKI, J. P. “A rede social Facebook na formação continuada de professores: uma possibilidade concreta”. Atos de Pesquisa em Educação, vol. 8, n. 2, 2013.

FRANCO, I. C. M. “Redes sociais e a EAD”. In: LITTO, F. M.; FORMIGA, M. (orgs.). Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2012.

GARCIA, C. M.; VAILLANT, D. Ensinando a ensinar: as quatro etapas de uma aprendizagem. Curitiba: UTFPR, 2012.

IBOPE - Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística. WhatsApp é o aplicativo mais usado pelos internautas brasileiros. Rio de Janeiro: IBOPE, 2015. Disponível em: <https://www.ibope.com.br/>. Acesso em: 09/04/2020.

JENKINS, H. Cultura da Convergência. São Paulo: Aleph, 2008.

KEMP, S. “Global Overview: a collection of internet, social media and mobile data from around the world”. We Are Social [24/01/2017]. Disponível em: <http://wearesocial.com>. Acesso em: 11/04/2020.

LITTO, F. FORMIGA, M. Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009.

MERCADO, L. P. “Aprendizagem Integrada em Ambientes Telemáticos através de Projetos Colaborativos”. Anais do XI Simpósio Brasileiro de Informática na Educação. Curitiba: Educação UFAL, 1999.

MIRANDA, T. C. R. O Uso de Mensagens Eletrônicas Instantâneas como Recurso Didático. (Dissertação de Mestrado em Educação). Brasília: PPGE, 2017.

MORAN, J. M. “Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologias audiovisuais e telemáticas”. In: MORAN, J. M.; MASETTO, M. T.; BEHRENS, M. A. (orgs.) Novas tecnologias e mediação pedagógica. Campinas: Papirus, 2006.

MORAN, J. M. “Mudando a educação com metodologias ativas”. In: SOUZA, C. A.; MORALES, O. E. T. (orgs.). Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens, vol. II. Ponta Grossa: UEPG, 2015.

SANTANA, L. “Professores na pandemia”. Nova Escola [06/08/2020]. Disponível em: <https://novaescola.org.br>. Acesso em: 11/08/2021.

SANTOS, G. L. “A promoção da inclusão digital de professores em exercício: Uma pesquisa de síntese sobre aproximações entre professores, novas mídias e manifestações culturais emergentes na escola”. Revista Inter Ação, vol. 39, n. 3, 2014.

SENHORAS, E. M. “A pandemia do novo coronavírus no contexto da cultura pop zumbi”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 1, n. 3, 2020.

SENHORAS, E. M. “O campo de poder das vacinas na pandemia da Covid-19”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 6, n. 18, 2020.

SENHORAS, E. M. “O Uso Comercial das Redes: O Caso da World Wide Web”. Anais do IX Simpósio de Engenharia de Produção. Bauru: UNESP, 2002.

SERAFIM, M. L.; PIMENTEL, F. S. C.; SOUSA DO Ó, A. P. “Aprendizagem colaborativa e interatividade na web: experiências com o Google Docs no ensino de Graduação”. Anais do 2º Simpósio Hipertexto e Tecnologias na Educação - Multimodalidade e Ensino. Recife: UFPE, 2008.

WHATSAPP INC. “Sobre o WhatsApp. Nosso App”. WhatsApp Inc [2017]. Disponível em: <https://www.whatsapp.com/about>. Acesso em 15/04/2020.

ZARDINI, A. S. “Celular no ensino/aprendizagem de inglês: uma análise do uso do WhatsApp sob a perspectiva da professora”. Anais do Seminário Nacional Sobre Ensino de Língua Materna e Estrangeira e de Literatura. Campina Grande: UFCG, 2015.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)