O PROFESSOR EM TRABALHO REMOTO NO CONTEXTO DA PANDEMIA DA COVID-19

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Ronualdo Marques

Resumo

Discute-se neste ensaio o papel do professor em trabalho remoto diante do processo de virtualização de emergência em decorrência da pandemia da Covid-19. Procuramos evidenciar aspectos intrínsecos a profissão docente na excepcionalidade da situação que levou inúmeros países a desenvolver ações de educação remota emergencial e as suas implicações nos sistemas de ensino. Dessa forma, o trabalho remoto aponta vários elementos para se (re)pensar nos paradigmas que se desponta na educação e que nos leva a ressignificar o processo de ensino e aprendizagem mediante as limitações impostas pelo isolamento social provocados pela Covid-19.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
MARQUES, R. . O PROFESSOR EM TRABALHO REMOTO NO CONTEXTO DA PANDEMIA DA COVID-19. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 6, n. 16, p. 06–14, 2021. DOI: 10.5281/zenodo.4642898. Disponível em: https://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/271. Acesso em: 6 jul. 2022.
Seção
Ensaios
Biografia do Autor

Ronualdo Marques, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Doutorando em Educação no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) na Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mestre em Ensino de Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em Formação Científica, Educacional e Tecnológica pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (PPGFECT-UTFPR); Graduado em Pedagogia no Centro Universitário Internacional (UNINTER). Especialista em Filosofia Contemporânea pela Faculdade de Administração, Ciências, Educação e Letras (FACEL). Especialista em Gestão Pública Municipal pela UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR); Especialista em Educação e Gestão Ambiental pela Faculdades Integradas do Vale do Ivaí (UNIVALE); Especialista em Educação Especial Faculdades Integradas do Vale do Ivaí (UNIVALE); Graduado em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO).

Referências

ARRUDA, E. P. “Educação remota emergencial: elementos para políticas públicas na educação brasileira em tempos de Covid-19”. EmRede - Revista de Educação a Distância, vol. 7, n.1, 2020.

BROLEZZI, A. C. “Empatia na relação aluno/professor/conhecimento”. Encontro: Revista de Psicologia, vol. 17, n. 27, 2014.

CANAL, S., ROZEK, M. “Tempos de pandemia: reflexões sobre a escola, os sujeitos e suas diferentes necessidades”. Brazilian Journal of Development, vol. 7, n. 1, 2021.

CONTRERAS, J. Autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

CHIAVENATO, I. Gestão de pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

DAL ROSSO, S. Mais Trabalho! A intensidade do labor na sociedade contemporânea. São Paulo: Boitempo, 2008.

ESTEVE, J. M. “Mudanças sociais e formação docente”. In: NÓVOA, A. et al. (orgs.). Profissão Professor. Porto: Editora Porto, 1999.

FERREIRA, L. H; BARBOSA, A. “Lições de quarentena: limites e possibilidades da atuação docente em época de isolamento social”. Práxis Educativa, vol. 15, e2015483, 2020.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

GIROTO, C. R. M.; POKER, R. B.; OMOTE, S. (orgs.). As tecnologias nas práticas pedagógicas inclusivas. Marília: Oficina Universitária/São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012.

GOULART, M. B.; COSTA, P. K. A.; PEREIRA, A. L. “A integração das TDIC na formação inicial de professores de matemática no Brasil: uma análise a partir dos projetos pedagógicos”. Olhar de Professor, vol. 21, n. 2, 2018.

MORAES, M. V. G. Treinamento e desenvolvimento: educação corporativa: para as áreas de saúde, segurança do trabalho e recursos humanos. São Paulo: Érica, 2011.

PONTES, F. R.; ROTAS, M. H. S. G. “Precarização do trabalho docente e adoecimento: COVID-19 e as transformações no mundo do trabalho, um recorte investigativo”. Revista Thema, vol. 18, Edição Especial COVID-19, 2020.

ROZEK, M. “Subjetividade, formação e educação especial: configurações nas políticas de inclusão escolar”. In: BAPTISTA, C. R. (org.). Escolarização e deficiência. São Carlos: Marquezine & Manzini/ABPEE, 2015.

SÁ, R. A. “Escola, Cultura, Tecnologias Digitais na Escola Contemporânea: apontamentos das pesquisas na linha de Cultura, Escola e Ensino (2010-2015)”. In: HAGEMEYER, R.C. C.; SÁ, R. A; GABARDO, C. V (orgs.). Diálogos epistemológicos e culturais. Curitiba: W&A Editores, 2019.

SACRISTÁN, J. G. “Plano do currículo, plano do ensino: o papel dos professores/as”. In: SACRISTÁN, J. G.; GÓMEZ, P. J. A. I. (orgs.). Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artmed, 1998.

SANTANA FILHO, M. M. “Educação geográfica, docência e o contexto da pandemia COVID-19”. Revista Tamoios, ano 16, n. 1, Especial COVID-19, 2020.

SENHORAS, E. M. “COVID-19 e os padrões das relações nacionais e internacionais”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 3, n. 7, 2020a.

SENHORAS, E. M. “Coronavírus e Educação: Análise dos Impactos Assimétricos”. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 2, n. 5, 2020b.

SILVA, J. R. “Desafios de estudantes e professores de Bayeux– PB, durante a pandemia”. REDE – Revista Diálogos em Educação, vol. 1, n. 1, 2020.

SOUZA, T. M. S. “Efeitos da precarização do trabalho na vida dos/as professores/as: Assédio Moral e adoecimento”. In: FACCI, M. G. D.; URT, S.M. (orgs.). Precarização do trabalho, adoecimento e sofrimento do professor. Terezina: EDUPFI, 2017.