ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA DA PRODUÇÃO ACADÊMICA EM PERIÓDICOS CIENTÍFICOS SOBRE OS PROCESSOS DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NA EDUCAÇÃO SUPERIOR BRASILEIRA

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Ivan dos Santos Oliveira
José Carlos Rothen

Resumo

A presente pesquisa teve como objetivo empreender estudo bibliométrico a respeito da produção acadêmico-científica em periódicos que abordaram a temática da Autoavaliação Institucional (AAI) no contexto do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), a fim de conhecer as características dessa produção científicas no que diz respeito às informações nela advindas possíveis de serem categorizadas quanto aos objetivos, focos de interesse e os resultados nelas produzidos. Sob a perspectiva qualitativa, por meio da aplicação de técnicas bibliométricas, foi possível conhecer o percurso histórico-temporal das produções publicadas sobre a temática e qualificar em seis categorias de acordo com o foco de interesse principal abordado em cada produção. São elas: Influência da AAI na melhoria dos processos e na construção da identidade institucional, Percepção dos sujeitos, Discussão teórica sobre a política avaliativa e sua implicação nos contextos das Instituições de Ensino Superior (IES), Atuação da Comissão Própria de Avaliação (CPA), Participação dos sujeitos e Meta-avaliação da AAI.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
OLIVEIRA, I. dos S. .; ROTHEN, J. C. ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA DA PRODUÇÃO ACADÊMICA EM PERIÓDICOS CIENTÍFICOS SOBRE OS PROCESSOS DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NA EDUCAÇÃO SUPERIOR BRASILEIRA. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 8, n. 22, p. 40–56, 2021. DOI: 10.5281/zenodo.5527301. Disponível em: http://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/462. Acesso em: 25 out. 2021.
Seção
Artigos

Referências

ANDRIOLA, W. B. “Estudo de egressos de cursos de graduação: subsídios para a autoavaliação e o planejamento institucionais”. Educar em Revista, n. 54, dezembro, 2014.

ANDRIOLA, W. B. “Planejamento Estratégico e Gestão Universitária como atividades oriundas da auto-avaliação de instituições de ensino superior (IES): o exemplo da Universidade Federal do Ceará (UFC)”. Revista Iberoamericana de Evaluación Educativa, vol. 2, n. 2, 2009.

ANDRIOLA, W. B.; DE SOUZA, L. A. “Representações sociais dos gestores e dos técnicos das unidades acadêmicas da Universidade Federal do Ceará (UFC) acerca da autoavaliação institucional”. Avaliação (Campinas), vol. 15, n. 2, 2010.

ANDRIOLA, W. B.; OLIVEIRA, K. R. B. “Autoavaliação Institucional na Universidade Federal do Ceará (UFC): meio século de história”. Avaliação (Campinas), vol. 20, n. 2, 2015.

ARAÚJO, C. A. “Bibliometria: evolução histórica e questões atuais”. Em Questão, vol. 12, n. 1, 2006.

AUGUSTO, R.; BALZAN, N. C. “A vez e a voz dos coordenadores das CPAs das IES de Campinas que integram o SINAES”. Avaliação (Campinas), vol. 12, n. 4, 2007.

BALZAN, N. C.; DIAS SOBRINHO, J. (orgs.). Avaliação institucional: teoria e experiências. São Paulo: Cortez, 1995.

BASTOS, C. C. B. C.; ROVARIS, N. A. Z. “A relevância do processo de autoavaliação institucional da universidade tecnológica para a configuração do bom professor”. Avaliação (Campinas), vol. 21, n. 3, 2016.

BELLONI, I. “Avaliação institucional: um instrumento de democratização da educação”. Linhas Críticas, vol. 5, n. 9, 1999.

BERNARDES, J. S.; ROTHEN, J. C. “Comissão própria de avaliação: dois lados de uma mesma moeda”. Estudos em Avaliação Educacional, vol. 26, n. 62, 2015.

BERNARDES, J. S.; ROTHEN, J. C. “O campo da Avaliação da Educação Superior: foco na Comissão Própria de Avaliação”. Revista Meta: Avaliação, vol. 8, n. 23, 2016.

BETTENCOURT, M. B.; EARP, M. L. S. “Significados das avaliações do ensino pelos estudantes: um estudo qualitativo na educação superior brasileira”. Revista Lusófona de Educação, vol. 36, n. 36, 2017.

BRASIL. Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004. Disponível em: . Acesso em: 24/09/2021.

BRASIL. Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior. Diretrizes para a avaliação das instituições de educação superior. Brasília: INEP, 2004.

CARVALHO, H. A.; OLIVEIRA, O. S.; LIMA, I. A. “Avaliação Institucional em uma universidade pública brasileira multicampus: processos e desafios na qualificação da gestão”. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, vol. 23, n. 1, 2019.

DE JESUS, G. R.; BEDRITICHUK, A. G. A. “Autoavaliação institucional: construção e validação de um questionário para o professor”. Avaliação (Campinas), vol. 23, n. 3, 2018.

DIAS SOBRINHO, J. Avaliação na Educação Superior. Petrópolis: Editora Vozes, 2000.

ESTELA, F. M. S.; DA CUNHA, M. B. “Biblioteca universitária e os indicadores do SINAES: estudo do caso da Universidade de Brasília”. Informação & Sociedade: Estudos, vol. 27, n. 1, 2017.

FALLEIROS, A. E. S.; PIMENTA, M. L.; VALADÃO JR, V. M. “O significado da autoavaliação institucional na perspectiva de técnicos-administrativos de uma universidade pública”. Avaliação (Campinas), vol. 21, n. 2, 2016.

FÉLIX, G. T.; FURTADO, D. B. V. “A autoavaliação institucional e (in) cultura de participação na universidade”. Holos, vol. 1, fevereiro, 2016.

FERREIRA, M. S. et al. “Implicações da avaliação institucional na gestão universitária: a experiência da Universidade Católica do Salvador (UCSAL)”. Avaliação (Campinas), vol. 22, n. 1, 2016.

GARCIA, M. F. “Processo de implementação do SINAES: contradições, tensões e possibilidades”. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, vol. 7, n. 3, 2012.

GROHMANN, M. Z.; NASCIMENTO, Z. B.; RADONS, D. L. “Auto Avaliação Institucional em uma Instituição Federal de Ensino Superior: um olhar sob a perspectiva docente”. Meta: Avaliação, vol. 6, n. 17, 2014.

KONZEN, L. Z.; ADAMS, E. “Autoavaliação institucional: um estudo sobre a análise de dados da autoavaliação em perspectiva diacrônica”. Avaliação (Campinas), vol. 21, n. 3, 2016.

LACERDA, L. L. V. “SINAES, teoria e prática: pressupostos epistemológicos em oposição”. Avaliação (Campinas), vol. 20, n. 1, 2014.

LEHFELD, N. A.S. et al. “Reflexões sobre o processo de autoavaliação institucional: o olhar de uma comissão própria de avaliação”. Avaliação (Campinas), vol. 15, n. 1, 2010.

MABA, E. G.; MARINHO, S. V. “A autoavaliação institucional no processo de tomada de decisão em IES: estudo de caso das Faculdades SENAC/SC”. Avaliação (Campinas), vol. 17, n. 2, 2012.

MARINS, C. M. O.; FERREIRA, M.; ORLANDO FILHO, O. “Meta-avaliação do Relatório de autoavaliação institucional da Universidade Federal do Rio de Janeiro”. Meta: Avaliação, vol. 8, Edição Especial, 2016.

MARQUEZAN, F. F.; SCREMIN, G. “Planejamento e autoavaliação institucional: articulações possíveis e necessárias”. Revista Espaço Pedagógico, vol. 26, n. 1, 2018.

MARTINS, J. C.; RIBEIRO, J. L. L. S. “A participação dos servidores técnico-administrativos na avaliação institucional: o que dizem os relatórios autoavaliação institucional”. Avaliação (Campinas), vol. 23, n. 2, 2018.

MOURA, D. H. “Auto-avaliação Institucional Orientada à Melhoria da Ação Educacional: o caso do CEFET-RN”. Principia, n.13, abril, 2006.

NASCIMENTO, Z. B.; GROHMANN, M. Z. “Uma década de auto avaliação institucional: o que mudou na percepção dos docentes?” REICE - Revista Electrónica Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, vol. 12, n. 1, 2014.

NUNES, L. C. “As dimensões da auto-avaliação institucional: tecendo redes de redes”. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, vol. 14, n. 52, 2006.

PIRES, E. B. L. L. et al. “A responsabilidade social universitária e a avaliação institucional: reflexões iniciais”. Avaliação (Campinas), vol. 22, n. 1, 2017.

REIS, C. Z. T.; SILVEIRA, S. F. R.; FERREIRA, M. A. M. “Autoavaliação em uma instituição federal de ensino superior: resultados e implicações”. Avaliação (Campinas), vol. 15, n. 3, 2010.

RIBEIRO, E. A. “As atuais políticas públicas de avaliação para a educação superior e os impactos na configuração do trabalho docente”. Avaliação (Campinas), vol. 17, n. 2, 2012.

RISTOFF, D. I. Universidade em foco: reflexões sobre a educação superior. Florianópolis: Insular, 1999.

RODRIGUES, M. K. et al. “Autoavaliação SINAES: uma estratégia de gestão de um hospital universitário”. Avaliação (Campinas), vol. 19, n. 1, 2014.

ROTHEN, J. C. et al. “Cursos de graduação no SINAES: a prática institucional entre parâmetros nacionais e internacionais de avaliação e acreditação da qualidade”. Acta Scientiarum. Education, vol. 40, n. 4, 2018.

SANTOS, R. N. M.; KOBASHI, N. Y. “Bibliometria, cientometria, infometria: conceitos e aplicações”. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, vol. 2, n. 1, 2009.

SCREMIN, G.; DALLACORT, M. D. “A CPA no Processo de Autoavaliação Institucional: Avanços e Desafios nos 10 Anos do SINAES”. Meta: Avaliação, vol. 6, n. 18, 2014.

SILVA, M. R.; HAYASHI, C. R. M.; HAYASHI, M. C. P. I. “Análise bibliométrica e cientométrica: desafios para especialistas que atuam no campo”. INCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, vol. 2, n. 1, 2011.

SGUISSARDI, V. “Regulação estatal versus cultura de avaliação institucional?” Avaliação: Revista da Avaliação (Campinas), vol. 13, n. 3, 2008.

SGUISSARDI, V. (org.). Avaliação universitária em questão: reformas do estado e da educação superior. Campinas: Autores Associados, 1997.

SILVA, M. F. et al. “Higher education policy: A case study on quality assessment towards a model of university management”. Avaliação (Campinas), vol. 22, n. 1, 2017.

VANTI, N. A. P. “Da bibliometria à webometria: uma exploração conceitual dos mecanismos utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento”. Ciência da Informação, vol. 31, n. 2, 2002.